RSS Feed

Monthly Archives: Abril 2009

Beleza põe mesa

13_2553-c3a7oletrando01

Quem disse que beleza não põe mesa não viveu em nossa época. Pois basta ser modelo pra se apresentar programas de televisão ou fazer papéis medíocres em novelas.

Há muito venho enrolando para escrever sobre o fato que irei abordar agora, Luciana Gimenez.

Toda vez que me pego perdida na programação da TV aberta e caio em seu programa eu pergunto a mim mesma: “pra que diploma de jornalismo se eu posso por silicone e fazer lipoaspiração!?

Não digo que seja somente este programa, mas em especial, tirei o dia para falar o que penso dele, pois a muito me sinto engasgada coisas os absurdos que vejo e escuto ali. Tudo se resume sempre a escândalos de artistas já esquecidos que utilizam aquele espaço para se promoverem novamente, novos filmes pornôs, mulheres frutas, Inri Cristo (que é uma das maiores blasfêmias), um estilista que não tem senso algum do papel de ridículo que faz na maioria das vezes e claro, desfile de lingeries.

Quem me acompanha há mais tempo, deve ter lido algum comentário sobre a forma preconceituosa com que esta “apresentadora” julga as modelos.

Um dia qualquer, lá estava eu, não sei por qual motivo, vendo o tal desfile, quando uma das meninas, que já vi passar por ali antes (eu não sou fã destes desfiles, mas morei em um pensionato com a maioria masculina e uma única sala de TV), entrou e Luciana quase que emocionada comentou o quanto a moça estava linda e mais magra! Mais magra? A moça já era magra, agora está o verdadeiro “palito”.

Já não basta ter ouvido tempo atrás que as gordinhas não ficavam bem de lingerie, tenho de ouvir elogios pra uma menina que está praticamente anorexica?

Não, isto não é despeito, nem coisa do gênero e sim senso. Com o crescimento de distúrbios como a anorexia e bulimia, comentários assim chegam a ser repugnantes.

Mas se tratando em um país onde mulher tem nome de fruta e uma de nossas qualidades é a bunda. Não podemos esperar mais nada, é como aquele ditado, “rir para não chorar”, pois a televisão já esta cheia de palhaços.

 

Freak Butterfly (Poliana Zanini)

 

 

 

Chegue por trás – Dicas para caricias em lugares menos explorados

fleshmap_sorting

Se você acha que já explorou todos os lugares prazerosos do corpo de sua parceira, leia agora algumas formas e caminhos diferentes de levá-la ao êxtase.

Brincar com seios, barriga, coxas e claro a vulva é o passatempo predileto dos rapazes, vejamos agora um posição que irá deixá-la mais confortável, solta e que criará sensações deliciosas, deite-a de bruços.

Se a parceira entrar no clima e se sentir a vontade, você pode utilizar uma venda, pode parecer estranho, mas muitas vezes a venda ajuda a desinibir e relaxar.

Com a parceira de bruços, comece pelos pés, algumas mulheres sentem imenso prazer nos pés, assim como algumas sentem cócegas e outras vergonha deles, veja a reação de sua garota e não insista em algo que ela não queira, mas comece com uma leve massagem, logo inicie sua jornada de beijos e caricias.

Siga dos pés para a panturrilha e delicie-se na dobra do joelho, saiba que ali é uma zona erógena, pouco conhecida. Com as mãos mais próximas da das coxas comece a acariciá-las sem parar com os beijos e siga até o inicio das nádegas. Aquela dobra entre a nádega e a coxa, também é uma zona erógena, você pode começar a brincar ali, se pretende ir mais além.

Se olhar o mapa ao lado poderá identificar pela numeração o caminho a seguir, não pule nem uma parte e não seja apressado, faça desta brincadeira uma noite romântica para ambos e formas de descobrir os locais que mais estimulam sua parceira.

Além dos beijos e caricias, pode utilizar pena, rosa (sem espinhos claro), e para os mais ousados vende-a e algeme-a a cama.

Algumas regiões podem causar cócegas mista a uma sensação de prazer, siga o que sua parceira diz, e não insista em locais que a incomodem, mas se o assunto for celulite, estrias ou aquelas gordurinhas a mais, mostre a ela o quanto você ama tudo aquilo que a pertence.

Ao chegar aos ombros, massageio, deixe-os relaxar em suas mãos, beije-os seguindo para a nuca, aproveite para dizer o que está sentindo já que está próximo ao ouvido. Não diga mentiras nem sentimentos que não existem. Se é só tesão, seja realista e diga a ela o quanto sente tesão naquele corpo magnífico. Esta coisa de dizer o que a mulher quer ouvir é mancada. Mulheres normalmente, querem ouvir o quanto à ama e deseja, se você só a deseja, não minta amor, isso pode prejudicar a relação de vocês mais a frente, e você não quer acabar com as brincadeiras não é?1226174813

Então vamos voltar ao corpo dela. Use sua imaginação nas caricias, seja criativo com as palavras e crie um ambiente seguro. E Para finalizar, a penetre na mesma posição que estão. Afaste as pernas de modo que você possa se encaixar entre elas. Pressione seu corpo contra o dela, nesta hora a excitação pode estar tão elevada que vale a pena segurar pelos cabelos e dizer coisas picantes ao pé do ouvido.

Esta posição é muito prazerosa e também ótima para sexo anal.

Jargões a parte, mas uma coisa é certa: é dando que se recebe!

 

Freak Butterfly.

 

 

Justine – rompendo limites (final)

126

 

Depois de uma tarde de planos, Justine se despediu carinhosamente de Marcela e foi para casa planejar como contar seus planos a Lucas.

Depois de horas deitada na cama olhando para o teto Justine ainda não sabia o que fazer, quando o celular tocou, era Lucas.

 – Oi querido! – disse ao atender.

 – Oi minha amada, como foi sua noite?

 – Uma maravilha! Marcela é um encanto e me surpreende cada dia que passa.

 – Que bom que matou saudades. Mas eu liguei pra te convidar pra viajar no final de semana. O que acha?

 – Viajem de diversão ou de trabalho?

 – Diversão, puramente diversão meu amor. Este final de semana serei todo teu, para o que quiser.

 – Hum… Bom saber. Será que podemos fazer umas brincadeirinhas?

 – Claro querida! O que você quiser, eu estou com saudades, eu sei que andei ausente.

 – É, esteve mesmo, me senti muito abandonada, e por isso você terá uma surpresinha.

 – Surpresa?

 – Sim, você topa?

 – O que seria?

 – Você topa ou não topa?

Lucas ficou calado por alguns segundos e um tanto hesitante resolver responder.

 – Ok!

 – Ótimo! Pra onde vamos?

 – Aluguei uma casa de campo.

 – Que horas vamos?

 – Bem, estou concluindo uns documentos e partimos em seguida.

 – Amanha?

 – Sim amor.

 – Será que eu posso ir cedo? Gostaria de lhe preparar uma surpresa.

 – Olha lá em Justine, passa na minha casa daqui uma hora te dou o mapa e as chaves.

 – Perfeito meu bem! Juro que será uma experiência maravilhosa!

 – Ok, te espero mais tarde.

 – Beijos.

Ela nem esperou que ele respondesse, desligou e saltitante ligou para Marcela.

 – Alô? Amor! Sou eu, amanhã será o dia.

 – Já?

 – Você não está mais afim.

 – Não, não é isso, é que, sei lá, fiquei tensa.

 – Relaxa, daqui uma hora vou na casa do Lucas buscar o mapa e a chave da casa de campo que ele alugou, daí vou direto pra aí e dormimos juntas e partimos cedo.

 – Mas ele sabe que eu vou?

 – Ainda não, mas relaxa, eu te amo! Vou tomar banho e arrumar as coisas.

 – Ok!

Justine parecia criança que estava se preparando para ir a Disney.

Ela passou um longo tempo no banho, imaginando como seria. Depois hidratou a pele com o aroma predileto de Lucas, colocou um vestido simples e juvenil sem nada por baixo.

Após colocar todos os apetrechos na mala, foi conversar com a mãe.

 – Mãe, vou passar o final de semana fora de casa. Tudo bem?

 – Pra onde você vai menina?

 – O Lucas alugou uma casa de campo, e vamos ficar lá descansando.

 – Ah menina! Você não esta indo muito longe não nesta relação?

 – Aí mãe, eu sei o que estou fazendo. Não se preocupe. Vou pro Lucas e te ligo pra te passar o endereço de lá, ok?

 – Ta minha filha, juízo, pelo amor de Deus!

 – Te amo mãe – ela abraçou a mãe e beijou-a na testa.

 – Ai minha filha, você ainda ontem era menina, hoje é uma mulher, cresceu tão rápido…

 – Não se preocupe, serei sempre a sua garotinha e do papai também.

 – É o que espero.

 – Bem mãe eu vou indo ta bom. Beijos.

Ela pegou a malinha e seguiu de carro pra casa de Lucas, ao chegar ele estava no escritório.

 – Amor, cheguei!

Ela se encostou na parede enfrente a mesa de Lucas, com a carinha de safada que ele já conhecia, abriu o zíper do vestido deixando-o cair no chão.

 – Será que você tem uns minutinhos de folga?

Admirado com a atitude dela, logo se excitando.

 – Você sempre me surpreende safadinha.

 – É que estou com muita saudade pra esperar até amanha – dizia ela enquanto caminhava nua até a cadeira se insinuando.

 – Delicia! Senta aqui no meu colinho minha garotinha.

Ela se aproximou e sentou em seu colo, e com a mão entre as pernas pegou no pau rijo e latejante de Lucas.

 – Adoro quando você fica assim meu amor.

Logo ela abriu o zíper e mais que depressa sentou no pau dele e começou a cavalgar. Lucas era apaixonado por cada curva de Justine, em pouco tempo ambos explodiram de prazer. Ele a abraçou e ficaram calados por alguns minutos.

 – Amor, vou fazer xixi – Justine se levantou e deu um sorrisinho safado.

 – Essa é minha menina! – exclamou Lucas enquanto via Justine se afastar rebolando.

Ao retornar do banheiro já vestida, foi direto ao assunto.

 – E então, onde fica a casa meu bem?

 – Fica perto, vou te dar a copia do mapa e as chaves, até meio dia eu saio daqui.

 – Tudo bem, acho que dá tempo de arrumar tudo. Posso ir ao closet pegar algumas coisinhas?

 – Claro meu bem! Fique a vontade, já estou ansioso pra saber o que vai aprontar.

 – Eu espero que goste. É algo que desejo muito.

 – Seu desejo é uma ordem minha rainha.

 – Ótimo, vou lá buscar as coisinhas e depois eu vou.

 – Já vai?

 – Sim, assim você pode terminar seus trabalhos em paz.

 – Você me deixa louco menina.

 – Eu sei, e sei que você gosta.

Ela se virou e foi para o closet, pouco depois saiu com uma malinha nas mãos.

 – Beijos amor. Amanha nos vemos.

 – Pegou tudo o que precisa?

 – Sim, lá tem algo para comer e beber?

 – Não sei, mas vou levar. Não se preocupe, so tome café da manha.

 – Ok!

Ela foi até Lucas, se despediu em um longo beijo e partiu para a casa de Marcela.

Ao chegar lá Marcela a esperava com um delicioso jantar para dois.

 – Nossa amor, pra que tudo isso?

 – Pra você linda. Você merece!

Justine se aproximou de Marcela, parou frente a ela, afagou seus cabelos e olhando nos olhos disse.

 – Marcela, você esta me fazendo tão feliz, mas não é só por isso que eu a amo, eu a mo porque você realmente é como eu.

As duas se beijaram e esqueceram o jantar. Sem se desgrudar elas foram derrubando moveis até o quarto e se jogaram na cama. Justine estava tão feliz que hoje era seu dia de fazer Marcela feliz, então sem pensar ela se pôs entre as pernas de Marcela e começou a beijar as coxas e seguia até o grelo.

 – Justine! Justine! Você é demais! – dizia Marcela em meio ao delírio do prazer.

Feliz por estar satisfazendo sua amante, Justine continuou até sentir o gozo de Marcela escorrer por seus lábios e o gemido sufocado se liberar.

Feliz, as duas jantaram, se amaram mais uma vez naquela noite e cedo partiram para a casa de campo. No caminho foram ouvindo musicas que lembravam de quando saíram pela primeira vez, contaram sobre relacionamentos passados. Marcela disse que ainda encontrava Gustavo, mas que Justine era seu único amor.  Pararam em um posto na beira da estrada e compraram mais cigarros e guloseimas, fizeram xixi e seguiram para a casa que não deveria estar longe dali.

Pouco mais de duas horas de viajem as duas chegaram até um enorme portão, havia um caseiro, que pediu identificação e as liberou para entrar.

O coração de Justine se acelerava cada vez mais ao se aproximar da enorme casa. Marcela olhava admirada.

 – Nossa! Parece casa de filmes… Da até medo, porque me lembra os filmes de terror.

Justine se pôs a rir.

 – Bem, vamos nos aventurar nesta casa então e esperar nossa mocinha aparecer.

Elas levaram as malas para dentro e deixaram na enorme sala, que tinha uma parede de vidro que dava para ver uma piscina e uma banheira.

 – Uau! Isso é demais! – exclamou Marcela.

 – Com certeza, Lucas tem um ótimo gosto – dizia enquanto olhava tudo.

 – E muito dinheiro também.

 – Não sei, bem, sei que a família dele tem.

 – Vamos ver os quartos?

 – Quem chegar por ultimo é a mulher do padre! – disse Justine enquanto corria para o corredor deixando tudo para traz.

As duas pareciam crianças em férias. Entraram no quarto e encontraram uma enorme cama. Realmente, era um playground para as duas, que subiram na cama e começaram a pular. Cansadas elas se jogaram.

 – Bem, daqui a pouco o Lucas deve estar vindo – falou Justine – precisamos arrumar as coisas.

 – Ok! Que tal um vinho?

 – Ótimo, vamos buscar as coisas na sala.

As duas passaram horas no quarto, já era hora do almoço e foram até a cozinha procurar algo pra comer. Abriram os armários, e a geladeira e nada.

 – Nossa, acho que to ficando bêbada já, e aqui não tem nada pra comer – disse Justine.

 – Acho que tenho amendoins na minha bolsa.

Ao voltarem para o quarto o celular de Justine começou a tocar.

 – Deve ser o Lucas. – ela abriu a bolsa procurando o aparelho – Alô! Oi amor? Já saiu? Chega daqui a pouco? Ótimo! Esta trazendo comida? Perfeito, pois estou morrendo de fome. Ok. Até mais, beijos amor.

 – E então?

 – Ele já esta vindo.

Pouco menos de uma hora elas ouviram o barulho do carro de Lucas. Ele entrou chamando por Justine, mas tudo que ouviu foi o silencio, meio desconfiado, ele seguiu ainda a chamando até o quarto. Ao chegar na porta fechada, ele resolveu bater antes de entrar.

 – Jú! Você esta ai?

 – Pode entrar amor!

Ao abrir os olhos Lucas não acreditava no que via, Justine estava sentada em uma cadeira próxima a cama, vestindo uma camisola preta transparente. Marcela estava encostada na cama vestida com um vestido de látex, luvas e saltos altíssimos.

Lucas sem saber o que fazer, ficou paralisado. Então Justine se levantou e foi até o amado.

 – Oi bonequinha! – disse a ele em um beijo.

 – O que está acontecendo?

 – Hoje você será minha bonequinha, aliais, nossa bonequinha.

Ela o pegou pela mão e o puxou até a cama.

 – Vem amor, vou lhe aprontar pra sua primeira noite.

 – Quer beber algo boneca? – perguntou Marcela enquanto pegava uma taça de vinho.

 – Sim, senhora – respondeu tremulo.

 – Não tenha medo mocinha, sua primeira noite será mágica.

Lucas tornou a taça de vinho e acenou que pedindo mais. Justine começou a arrumar Lucas, o despiu e pediu que ele colocasse uma calcinha que ela comprou especialmente para ele, era branca de babadinhos, depois ela o ajudou a vestir uma camisola branca, colocou a peruca que ele usou naquela noite em que se aventuraram. E pronto, Lucas era uma virgem e inocente garotinha. Suas feições femininas se transformaram mais ao ser maquiado.

 – Está nervosa Alice?

 – Um pouco senhora. O que a senhora quer?

 – Eu trouxe Marcela para fazer algo que não posso, infelizmente, não posso deflorar minha garotinha. Mas ela o fará por nós. Eu estarei ao seu lado meu anjo.

 – É isto que a senhora deseja?

 – Sim! – ela estendeu a mão para Marcela que foi em sua direção – Venha amor! Seja delicada.

Marcela empurrou delicadamente Lucas para a cama e começou a beijá-lo. Justine se sentou na cadeira para não perder nada. Depois de muitos toques caricias e beijos, marcela virou Lucas de e começou a acariciar a bunda redonda de Alice. Começou a beijá-la, a tocá-la mais e mais fundo, penetrando seus dedinhos no rabo de Alice.

Marcela podia não gostar de Lucas, mas não podia negar que ele tinha um corpo espetacular, e uma doçura feminina que ela se encantava. Quando o sentiu relaxar, ela já nua, vestiu a cinta, pegou o lubrificante e espalhou pelo pau de borracha e pelo rabinho de Alice.

Lucas, ou seja Alice, já estava tomado pelo prazer e relaxou totalmente enquanto Marcela tentava penetrar seu rabo apertado.Em alguns minutos, e com certo trabalho ela finalmente conseguiu. Ele gemeu em um misto de dor e prazer e quando menos se esperava os ela já estava metendo como um homem e ele se sentia livre ao se entregar àquele prazer e romper todos os seus limites.

Justine estava excitadíssima, se masturbava sem parar. Em pouco tempo ela sentia que não iria mais suportar ser apenas uma expectadora, se jogou junto a eles na cama.

Lucas comia Justine. Marcela comia Lucas. Lucas comia Marcela enquanto justine a acariciava. Foi um bacanal, eles se sentiram livres naquelas quatro paredes estranhas, naquela cama eles foram apenas eles mesmos.

Satisfeitos e exaustos, dormiram enroscados aquela tarde. Justine estava realizada e feliz por estar nos braços de seus dois amores. Mas na mesma tarde, seu pesadelo se repetiu mais intensamente.

 

Freak Butterfly  (Poliana S. Zanini)

Justine: Rompendo Limites (Parte 2)

imkpp-i6an

Aurora se rompeu e o sol invadiu a janela acordando Justine, que ao abrir os olhos logo se lembrou do sonho. Olhou para o relógio e viu que era cedo, ela se levantou sem acordar Marcela, e de ressaca resolveu preparar o café da manhã.

Pouco depois Marcela notou a ausência da amada na cama e se levantou bruscamente, caindo da cama.Ao ouvir o barulho, Justine correu até o quarto assustada.

– Marcela, o que houve?!

– Nada amor, eu me levantei rápido demais, minha cabeça girou e eu caí, não foi nada demais.

– Sua maluquinha, tem de tomar cuidado – ela foi até Marcela e a ajudou a levantar – De ressaca?

– Com certeza!

As duas riram e seguiram para a cozinha.

– Sente=se querida – disse Justine sorridente – hoje sou eu quem vai preparar seu café.

– Nossa! O que fiz pra merecer tudo isso? Primeiro uma noite todinha com você e agora um café da manha!?

– Andei pensando em tudo que você me disse, e notei que realmente, tenho te magoado – Justine baixou a cabeça por uns segundos e com a face triste perguntou – Você me perdoa amor?

– Perdoar pelo que? Para com isso Ju, tu sabes, eu não tenho de perdoar nada, eu que tenho que te pedir perdão, por cobrar coisas que eu sei que não deveria cobrar.

– Eu sei que você me ama, eu não digo isto para me gabar, nem engrandecer meu ego, e sei que ficando com você esporadicamente, acabo te ferindo, e não gosto disso.

– Para com isso Ju. Nossa, este papo é melancólico demais pra uma manhã com ressaca.

– É que você é minha melhor amiga, e não quero, não posso te perder nunca – Justine não resistiu e lagrimas escorrem sob sua face pingando no balcão da cozinha.

– Ju! Você ta chorando porque amor? – Marcela rapidamente se pós ao lado da amada afagando seus cabelos.

– Não sei, que bosta! Essa porra de vinho, aquele sonho maluco, eu devo estar bêbada ainda. Desculpe.

– Credo, para de pedir desculpas. Sabe o que eu estava pensando?

– O que?

– Acho que sei o que posso fazer para te animar. Que tal agente tomar um banho bem gostoso?

Em meios às lágrimas Justine abriu um sorriso bobo, era como oferecer doce para a criança parar de chorar.

– Viu! Eu sei como te agradar, vem, vamos gostosa – disse Marcela enquanto puxava Justine pela mão.

As duas seguiram aos beijos até o pequeno banheiro do apartamento de Marcela, ao chegar, Marcela começou a despir Justine que estava impensada contra a parede fria. Entre gemidos e pedidos de mais, as duas seguiram para o chuveiro quente. Marcela tocava a xoxota molhada de tesão de Justine. Então ela se ajoelhou, colocou uma das pernas da amada sob o ombro e começou e se deliciar em meio àquela vastidão de mel que escorria de Justine que estava terrivelmente excitada.

– Ah Marcela! Você chupa maravilhosamente, ninguém nunca se igualará a você nisto meu amor!

Marcela feliz penetrou dois dedinhos na xota da amante de Justine que gemeu e a agarrou pelos cabelos. Marcela sentia que Justine estava pronta para explodir de prazer e aumentou a velocidade da língua. Em poucos segundos Justine soltava um alto gemido de satisfação.

– VOCÊ É A MELHOR! – Ela se abaixou até Marcela que estava sem graça com tantos elogios e a beijou carinhosamente repetindo em sussurros – Você é a melhor, eu te amo!

Corpos molhados, beijos, apertos, toques, as duas ficaram por hora no banho que parecia não ter fim. Marcela gozou, Justine Gozou outra vez, e então uma banhou a outra. Era como uma primeira vez romântica que não tiveram.

As duas saíram, se secaram ainda sorridentes, e sem falar nada, se jogaram uma no braço da outra, caindo sob a cama e recomeçando as caricias. Marcela abriu a gaveta do criado mudo e pegou um vibrador, mostrou a Justine e sorriu sarcasticamente.

– Não amor! Eu não agüento mais, to sensível! – disse Justine gargalhando enquanto Marcela a tocava entre as pernas novamente.

– Agüenta sim! – disse a sorridente Marcela em quanto beijava Justine rumo a sua deliciosa xoxota novamente. Depois de algumas lambidas, Marcela começou a acariciar o grelho já rijo de Justine com o vibro, ela gemia cada vez mais alto, e para os vizinhos não perceberem, ela colocou o travesseiro sob o rosto para então sufocar os altos gemidos.

Marcela sorria satisfeita por sua façanha de dar a amada vários orgasmos prazerosos em uma única manhã.

Em pouco tempo as coxas de Justine tremiam e seu corpo quente se contorcia, já podia se ver a pele arrepiada e uma explosão aconteceu, o prazer foi tão intenso que Justine urinou junto ao gozo. Depois que terminou ficou tão envergonhada que não quis se mover. Marcela notando o que estava acontecendo tentou quebrar o clima estranho.

– Nossa! Isso foi magnífico!

– Ah ta! Foi divino eu me mijar inteira.

– E foi mesmo amor, nossa, isso quer dizer que foi forte, eu fiquei maravilhada, queria mais.

– NÃO! Pelo amor de Deus – disse Justine jogando o travesseiro em Marcela – eu to que não agüento nem andar mais.

– Excelente! – disse Marcela rindo orgulhosamente de sua façanha.

– Boba! Eu vou tomar outro banho.

– Vai lá amor, eu vou terminar o café da manha, estou faminta e você também deve estar.

Pouco tempo depois, as duas estavam de roupão tomando café na sala com a TV ligada. Justine admirava o semblante iluminado de Marcela, sentia vontade de propor algo que havia planejado na noite passada, mas ficou com medo de estragar o clima.

– Pode falar. – Disse Marcela.

– Hã!? – Justine ficou pasma com a atitude da amiga – Falar o que?

– Você acha que não lhe conheço? Esta cara de pensativa que parece que vai tostar os neurônios não me engana, sei que quer dizer algo, mas esta sem coragem.

Justine engoliu seco e tomou um gole do café, envergonhada ela olhou para o lado e disse.

– Não sei do que está falando, só estou lembrando da noite passada.

– Hum… Se lembrando de tudo o que eu te disse?

– É, isso!

– Inclusive de que eu faria qualquer coisa para não te perder?

– Também – respondeu engolindo seco novamente.

– Pode pedir. O que a senhora deseja? – perguntou Marcela ainda sorrindo.

– Olha Ma, não sei se é a hora certa pra lhe propor algo assim?

– Envolve animais?

– CREDO! Deus me livro Má, tu és louca guria.

– Eu só estava descontraindo boba, abomino estas coisas, mas se você desejasse, se fosse sua grande fantasia… – Marcela explodiu em risos.

– Para com isso Má, que boba!

– Eu só estou brincando Ju, tentando te descontrair, não sei por que esta com vergonha de me pedir algo.

– É por que… Porque envolve o Lucas.

No mesmo instante, Marcela parou de rir e entornou a xícara de café.

– tudo bem Ju, eu te prometi qualquer coisa.

– Olha Ma, é só uma fantasia, se você não quiser, tudo bem, eu sei que você não gosta do Lucas.

– Eu pensei que esta fantasia eu já havia realizado com você e Fabrício.

– Não é esta… – interrompeu a fala olhando envergonhadamente para a xícara – Olha Marcela, queria ver você comendo Lucas. Pronto falei!

Macela ficou olhando catatônica o rosto de Justine por alguns minutos.

– Ma? Marcela? Diz algo, por favor! Olha tudo bem se não quiser. – dizia ela enquanto sacudia a perna da amiga – Alô tem alguém ai???

Então Marcela piscou e explodiram risos pela sala, Marcela ria tanto, descontroladamente que até lacrimejou. Justine ficou angustiada sem saber se ela chorava ou se fora efeito dos risos.

– Marcela! – chamo-a para ver se ela voltava a si – MARCELA!

– Ju – dizia entre os risos – Ju você ta brincando, né? – e seguiam-se os risos.

– Eu não, agora para com isso que você já esta me assustando.

Marcela se concentrou, ficou seria novamente, olhou desconfiada para Justine e perguntou.

– Você, então falou a verdade? É isso mesmo o que você quer?

– Olha Marcela, tudo bem se não quer…

– Não, não – disse Marcela a interrompendo – não é isso, só que eu nunca pensei que você iria me pedir isso.

– É que tempos atrás, brinquei com Lucas de inversão, mas não fomos até o final, fiquei com medo que ele não gostasse e me enchesse de porrada, mas depois eu percebi que ele estava bem à vontade com tudo aquilo e fiquei com isso na cabeça, só que minha vontade é assistir, e não fazer isto.

– Você tem certeza? Ele sabe destes seus planos?

– Não, ainda não. Olha eu podia ter pago uma profissional, mas só confio em você o rabo do meu namorado.

Não sei se fico ofendida ou lisonjeada.

– Desculpa Marcela, se quiser me espancar te dou a razão.

– EU? Eu nunca faria isso, só acho estranho, mas pensando bem…

Marcela se clou por uns minutos pensativa, sua imaginação fluiu longe no que ela poderia fazer com Lucas, para ela seria um punição a ele por roubar o amor de sua paixão.

– O que foi Ma?

– Nada, só estou imaginando pra ver se consigo fazer algo assim. Me diz, o que eu poderia fazer com ele.

– Bom, Lucas agüenta muita coisa, acho que tudo, mas ele nunca praticou inversão completa, teria de ir com carinho, não quero estourar as pregas no meu namorado.

– Eu topo!

– Serio? – perguntou Justine desconfiada.

– Sim! – respondeu Marcela em um largo sorriso.

– Ah, eu sabia que você faria isso por mim, eu te amo – e se jogou nos braços da amiga.

– É espero que ame mesmo… – disse Marcela afagando o cabelo da amada.

Continua…

(Freak Butterfly – Poliana S. Zanini)

Afrodisíacos e sua historia ao logo dos tempos

afrodisiacos

O termo afrodisíaco vem de Afrodite, a deusa do amor. São eles substancias ou alimentos que simbolizam fertilidade e também aumentam e estimulam o desejo sexual.

Para àqueles que pensam que afrodisíacos são mitos, está comprovado que existem substâncias que agem nos sentidos proporcionando bem-estar e relaxamento.

Se por um lado há ervas e alimentos que estimulam os desejos, por outro existe o anafrodisíacos, que age como antídoto, e a cânfora é considerada o antídoto universal de tratamentos homeopáticos (tratamento a base de produtos naturais) anulando todo efeito dos medicamentos.

Por séculos a humanidade se preocupa em melhorar a arte de amar, em varias historias de diversas civilizações, a busca por alimentos que estimulantes esta presente, e segue até nos dias atuais.

Vejamos algumas civilizações e seus truques afrodisíacos:

·                                   Grécia antiga: As cortesãs tinham por habito usar perfume de violeta sem suas zonas erógenas, pois quando misturado ao suor e as secreções de seus corpos, estimulavam os jovens a se excitarem, e os mais velhos a aliviar suas melancolias. Cleópatra, uma das maiores aventureiras sexuais, passava pasta de mel com amêndoas moídas em suas partes intimas para que seus amantes a lambessem. Fica ai uma dica para as mulheres estimularem seus parceiros na pratica do sexo oral;

·                                   Romanos: Estes acrescentaram em sua dieta alimentos gregos e órgãos de animais, além disto, comiam ostras, favas, pimenta amassada com semente de urtiga, cheiro verde e cogumelos. Os romanos costumavam apresentar em suas peças teatrais cenas eróticas e produzir jantares fartos dos quais serviam fígado de lúcio, miolos de pavão e língua de guará. Aqui não recomendo muita coisa, a não ser usar os temperos como pimenta vermelha, cogumelos, cheiro verde e claro as ostras;

·                                   Cristianismo: Foi quando o prazer se tornou um pecado para a igreja e os afrodisíacos eram pecaminosos e estavam ligados a magia negra. Então para melhorar o sexo, o amante medieval buscava de formas ilegais, utilizando ingredientes esdrúxulos à alimentação, como coração de sapo e gordura de vitimas de enforcamento, que refletia o sentimento de culpa associado ao prazer. Esta seria a época negra dos afrodisíacos;

·                                   Na Inglaterra: No reinado de Tudor, os estudos por afrodisíacos continuavam, além de agregar alimentos importados de outros países como o Peru, eles acrescentaram em sua dieta porcos, corças, carneiros, galinhas e salmão servidos em banquetes regado a molhos picantes. Porém, logo o Puritanismo se estabeleceu abolindo qualquer tipo de condimento que excitasse as paixões. Após a restauração da monarquia em 1660 no reinado de Stuart, os alimentos afrodisíacos retornaram a culinária;

·                                   Na França: No século XVIII (18), com o numero crescente de bordeis, a competição se dava pela variação de alimentos que chamavam a atenção dos clientes. Os pratos eram repletos de gengibre, pimenta e outros condimentos que elevavam a energia, ainda eram servidos folhados e o chocolate era abastecido com cantárida (mosca espanhola). Além dos alimentos, os bordeis disponham de porções, pílulas e perfumes estimulantes. A França até hoje é vista com o país que tem os melhores bordeis, chamados hoje por Cabaré, com shows burlescos que encantam todas as classes,

·                                   Entre os árabes: A obra do xeque Nefzawi, O jardim perfumado, podemos encontrar uma grande orientação sobre afrodisíacos.

·                                   Na Índia: Com 5 mil aos de civilização, os indianos possuem uma rica tradição sexual, transcrita em dois livros, Ananga Ranga e Kama Sutra. Além da culinária com aspargos cozidos, melado com leite e alcaçuz, arroz e ovo de pardal cozido com mel e leite. Segue um link com um livro moderno de Kama Sutra para vocês espiarem: (http://www.scribd.com/doc/2273544/ebook-portugues-guia-do-sexo-posicoes-do-kamasutra-intravenoso)

·                                   Na China: Vinda também de uma cultura milenar, para os chineses, o simbolismo sexual era muito importante. Todo alimento que representasse a forma da genitália masculina e feminina era acrescida na culinária, chifres de animais, plantas, cogumelos e claro ginseng, canela, algas, enxofre, pinhão, pepinos e fígado de vários animais que eram conhecidos com caráter predatório;

A escolha de alimentos é fundamental para um bom desempenho sexual, incluir na dieta frutos do mar, que é rica em fósforo, sal e micro elementos necessários ao nosso organismo. A vitamina E que é conhecida como a vitamina da fertilidade, que é encontrada no gérmen de trigo e alimentos que contém farinha de trigo. A carência desta vitamina pode levar até a esterilidade, à impotência e outros problemas sexuais.

O álcool se utilizado moderadamente, ajuda a eliminar as inibições e aumentar o fluxo sanguíneo inclusive do pênis, porém se em excesso, ele reduzirá a velocidade das reações nervosas e produzindo incapacidade sexual temporária.

Entre os humanos a atração começa pela visão e pelo olfato, nosso corpo exala feromônios e são eles que enviam a mensagem ao outro de que estamos afim de sexo, é como nos animais, é pelo cheiro o que macho identifica que a fêmea esta pronta para acasalar.

As prostitutas de Nápoles, Itália, eram conhecidas por esfregarem secreção vaginal atrás das orelhas para atrair fregueses. Dizem que este truque é usado até hoje.

Vejamos ainda alguns condimentos que você pode usar para apimentar seu paladar, e a cama:

·                                   Açafrão (no oriente ele é muito utilizado como estimulante);

·                                   Açafrão-da-índia;

·                                   Alcaparra;

·                                   Anis;

·                                   Baunilha;

·                                   Borragem;

·                                   Canela (dizem que passar canela em pó em áreas erógenas do corpo chama atenção);

·                                   Cardamomo.

 

Algumas substâncias:

·                                   Marapuana;

·                                   Catuaba;

·                                   Guaraná;

·                                   Ginseng;

·                                   Alho;

·                                   Cebola;

·                                   Gergelim;

·                                   Tahine.

 

Carnes Diferentes:

·                                   Testículos;

·                                   Fígado e rim;

·                                   Tartaruga (mas não apoio);

·                                   Caracol (criados em cativeiro exclusivamente para alimentação);

·                                   Rãs (também criadas em cativeiro para alimentação).

Frutos do Mar:

·                                   Abalone (muito utilizado na cozinha chinesa e japonesa);

·                                   Amêijoa e Mechilhões;

·                                   Vieira;

·                                   Lula e polvo;

·                                   Camarão, lagostim, caranguejo, lagosta e outros crustáceos;

·                                   Ouriço-do-mar (considerado mais afrodisíaco do que as ostras);

·                                   Ostras.

 

Bebidas:

·                                   Café;

·                                   Chá;

·                                   Chocolate;

·                                   Mel (riquíssimo em vitaminas R, C e minerais do pólen, estimula a produção de hormônios sexuais);

·                                   Absinto (considerado muito afrodisíaco, teve a fabricação proibida por seus efeitos altamente tóxicos).

 

O que se pode concluir é, que além de vários produtos serem afrodisíacos e melhorar o desempenho sexual, eles ainda são bons para a saúde física e mental do ser humano. Algumas coisas são medievais, e não recomendo que façam, porém outras, como condimentos, alguns alimentos e bebidas podem ser acrescentados na sua vida, e também em um jantarzinho a dois.

Para que os leitores se animem a cozinhar algo esta noite para seus parceiros, deixo aqui um link de receitas afrodisíacas.

Bom apetite!

 

Freak Butterfly (Poliana S. Zanini)

 

·                                    Fonte: O Livro de Ouro do Sexo (Regina Navaro Lins e Flávio Braga)

·                                    Site: www.google.com e google imagens*

·                                    Site: http://www.gastronomias.com/afrodisiacas/

·              Site: http://www.scribd.com/doc/2273544/ebook-portugues-guia-do-sexo-posicoes-do-kamasutra-intravenoso

 

Justine – Rompendo os Limites (Parte 1)

bacanal

Após aquela noite, Justine e Lucas voltaram a sua rotina de antes, mesmo sentindo que não teve tudo o que queria, Justine estava feliz com a possibilidade de Lucas aceitar a inversão de papeis.

Era uma tarde quente de verão quando Justine resolver visitar Marcela, que estava reclamando sua ausência, ao chegar, foi recebida com beijos e abraços, Marcela já não era mais aquela mulher segura de si que Justine conheceu e sim uma garotinha amedrontada e insegura.

 

– Amor! – exclamou Marcela cheia de felicidade ao ver a amada em sua porta – Venha, entre, entre – dizia ela enquanto puxava Justine para a sala.

 

– Olá Marcela, como está?

 

– Não muito bem – ela responde enquanto baixa o cenho – você me esqueceu… Me sinto tão só.

 

– Para com isso Marcela, eu não estou aqui?

 

– Agora sim. Mas você não vinha há semanas, nem ligava, achei que já não me queria mais.

 – Para com essa bobagem menina! Você sabe que estou namorando, você deveria fazer o mesmo.

Neste momento a face de Marcela mudou completamente, podia-se ver o quanto ela resistia às lágrimas. Então Justine foi até ela cheia de doçura e afagou seus cabelos, tomando-a em seus braços por um longo beijo.

As duas ficaram sentadas no sofá, Marcela no colo de Justine que começou a pensar como uma pessoa podia ser tão frágil, tão dependente, tão escrava dos sentimentos e desejos, será que ela também era assim? Um turbilhão de perguntas passou por sua mente, logo sendo interrompido por um abraço apertado da sua garotinha.

 

– Eu te amo tanto Ju. Sinto tanto a sua falta, quero lhe pedir algo. – Disse ela com receio.

 

– Claro, diga.

 

– Não me deixe nunca, por favor. Eu não saberia viver sem você.

 

– Para com isso Marcela. Você não é mais nenhuma garotinha indefesa. Haja como a mulher que sei que você é, a mulher por quem entreguei sentimentos sinceros um dia.

 

– O que quer dizer com isso, você não me ama mais sua vagabunda! – disse enquanto se levantava subitamente.

Justine ficou catatônica com o que Marcela lhe disse. Vagabunda? Questionava ela. Ela não conseguia mover um dedo sequer. Ao notar isto, Marcela se desmanchou em lagrimas e pedidos de perdão. Ajoelhou-se aos pés da amada e pediu perdão beijando seus joelhos. Justine colocou uma das mãos nos cabelos ruivos e sedosos de Marcela e sentiu pena daquela moça.

 – Tudo bem, tudo bem. Eu compreendo Ma. Não fica assim.

Entre lagrimas sufocadas Marcela gaguejava perdão sem poder olhar nos olhos de Justine.

 – Amor, eu já disse, para com isso.

 – Eu faço Ju, eu juro, eu faço o que você desejar. Qualquer coisa pra não lhe perder.

 – Deite no meu colo e fique calma – pediu Justine com toda a doçura do mundo.

Obediente, Marcela deitou a cabeça em seu colo. As palavras de Marcela martelavam na cabeça de Justine: “Eu faço Ju, eu juro, eu faço o que você desejar. Qualquer coisa pra não lhe perder.”

Será que ela realmente faria qualquer coisa? Ela tinha uma fantasia inacabada, mas nunca se viu ativa e sim como vouyer. Mas será que Marcela toparia? Será que faria realmente qualquer coisa por ela? Um turbilhão de perguntas começaram a surgir quando Marcela interrompeu seus pensamentos.

 – Ju, dorme comigo hoje?

Lucas trabalharia até tarde e como se não bastasse ainda levaria mais trabalho para casa, então uma noite com Marcela seria ótimo para relaxar e variar um pouco, afinal ela também sentia falta de quando estavam mais juntas.

 

– Ótimo, vamos fazer uma noite do pijama! O que acha amor?

 – Perfeito, vamos ao mercado comprar algumas coisas, não esperava por você.

 – Claro que tal comprar vinho e queijo, pegamos um filme e curtimos uma noite só nossa.

 – Ai, isto vai ser perfeito! – dizia Marcela com os olhos iluminados.

As duas foram ao mercado, compraram vinho e mais algumas guloseimas, passaram na locadora e alugaram uma comédia romântica que Marcela dizia ser excelente. Tudo estava normal, como um programa de amigas. Elas foram para casa, colocaram seus pijamas, beberam o vinho, riram do filme, fumaram cigarros e quando ambas já estavam rindo a toa por causa do vinho, Marcela se atirou sob Justine.

 – Eu senti muito sua falta – dizia ela entre beijos – eu te amo demais Ju!

 – Eu também te amo pequena, você é meu solzinho.

Sem perder tempo as duas se jogaram no tapete, nuas, corpos suados, se amaram como a muito não faziam. As mãos de Marcela percorriam docemente pelo corpo da amada. Para ela não havia cheiro melhor, não havia pele mais sedosa do que a de Justine.

Marcela se pos entre as pernas de Justine e começou a acariciar seu grelo, sua felicidade se completava quando ouvia suspiros, gemidos e sentindo o gozo escorrer. Depois de muitos beijos e caricias, as duas adormeceram o sono dos deuses.

Os olhos de Justine se abriram, mas tudo estava escuro, era mais negro do que a noite naquele corredor estranho. Com medo, ela começou a caminhar se guiando com as mãos na parede. Havia uma pequena luz vermelha no corredor que parecia não ter fim. Então ela tentou gritar, mas sua voz ficou sufocada na garganta. Desesperada, começou a caminhar mais rápido para a luz vermelha que ficava maior e mais forte, as lagrimas percorriam sua face como uma cascata, ela tentou gritar novamente, mas foi em vão. Ao se aproximar da luz, ela podia ouvir gritos, gemidos, então ela correu em direção a porta fechando os olhos ao passar por ela, sem saber em que ela tropeçou e caiu de quatro.

Os gritos e gemidos eram mais altos, e o medo a deixará catatônica por alguns minutos. Ao sentir uma mão tocar seus cabelos, ela abraçou os joelhos colocando o rosto entre eles, o choro era desesperado e a voz teimava em não sair. Ela começou a pensar que não estava em um pesadelo, mas sim que havia morrido e irá para o inferno. Começou a pensar em Marcela, em Lucas, em seus pais, um flash back tumultuado passou por sua mente em segundos então ela abriu os olhos sem deixar que o medo os fechasse novamente.

Era como estar em Sodoma, vários corpos nus ao seu redor, não importava o sexo as pessoas estavam se contemplando, mulheres com mulheres, homens com homens, casais, ménage à tróis, era um bacanal regado a porra que jorrava de todos os lados. E ali no centro Marcela e Lucas fornicavam de maneira selvagem, e Justine estava ali, caída ao chão, invisível. A excitação a tocava. Ele se levantou e atravessou por vários corpos, ninguém a sentia, ninguém a tocava, estava ai seu maior pesadelo, ser ninguém no mundo. Ela tentou gritar por varias vezes o nome de Marcela e Lucas, mas sua voz não saiu. Ela se aproximou e tentou toca-los, era como num transe, os dois estavam tendo um prazer único, então uma onda de ciúmes e ódio tomou Justine, que em prantos começou a gritar, quando enfim ouviu uma voz longínqua a lhe chamar. Com a face entre as mãos, ela gritou a todo pulmão por marcela.

 – MARCELAAAAA!

 – Justine abra os olhos, acorde amor – dizia Marcela assustada – ande, abra os olhos, foi só um pesadelo.

Meio zonza, ela abriu os olhos e o feixe de luz a cegou por uns instantes.

 – Marcela – disse ela sussurrando – é você?

 – Amor, calma, foi só um pesadelo. – disse Marcela enquanto afagava os cabelos da amada que se colocou entre seus braços.

 – Foi horrível Má – dizia justine aos prantos – foi horrível, ninguém me via, ninguém me ouvia, eu queria gritar e não conseguia. E você estava lá, com Lucas, vocês não me viam… Foi horrível!

 – Calma, foi só um pesadelo, isso vai passar. O que fazíamos que você ficou tão desesperada se debatendo na cama?

 – Era uma Sodoma, uma Sodoma!

 – A Justine e você estava com medo disto?

 – Mas eu não existia ali, eu era só um espírito vagando. E meus dois amores estavam juntos, e não me viam.

 – Fique calma, você sabe que eu nunca nesta vida lhe trocaria pra ficar com Lucas! Eu nem gosto muito dele… Mas eu sei ficou desesperada porque não conseguiu participar deste bacanal né!? – disse Marcela com um meio sorriso tentando distrair a amiga.

 – Não sei, eu não sei porque esta onda de desespero me bateu.

 – Calma, foi só sonho. Vai passar. Vamos voltar a dormir.

 – Acho que não consigo.

 – Foi só um pesadelo Justine, agente bebeu demais. Foi só isso, você misturou fantasias, os filmes e a bebida.

 – É talvez você tenha razão.

As duas se deitaram, Justine nos braços de Marcela, e adormeceram juntas. Como dois anjos.

 

Continua…

(Freak Butterfly – Poliana S. Zanini)

 

*Imagem do Google Imagens

Relacionamentos: Quero me Realizar!

so1

Olá queridos, me desculpem pela ausência, uma serie de furacões se passaram em minha vida e me afastei por um tempo para não escrever o que não devia. Mas cá estou, e prometo escrever mais vezes.

 

Recebi um e-mail de Maria Amélia* com a seguinte questão:

“Estou casada há 28 anos, sou apaixonada por meu esposo, tenho um grande problema na cama adoro o sexo oral para fazer e receber, mas ele não é muito a fim de fazer, adora receber, o que devo fazer para ele me retribuir, trocamos algumas vezes me sentir nas nuvens queria que isso se repetisse sempre, mas ele às vezes não quer. Me ajude a encontrar essa saída.”

 

Uma ótima questão por sinal. É típico dos homens receber e não dar. Mas como já foi dito varias vezes: é dando que se recebe! E isto serve para todas as ocasiões.

 

A grande maioria dos homens ainda tende a ser egoísta e machista, alguns acham que as preliminares são mito, que se a mulher estiver molhada já esta excitada e pronta para a penetração, e que eles devem ter um pequeno estimulo para ficar ereto, tais como masturbação ou o sexo oral. Mas a verdade é que estar molhada não quer dizer necessariamente que esta excitada. Então queridos leitores, agradem suas parceiras, as estimulem manualmente ou “oralmente”. O sexo oral realmente é muito prazeroso para a maioria das mulheres, então dêem a elas esta satisfação na cama.

 

Não basta somente você ejacular, as parceiras devem sentir o mesmo prazer que vocês.

 

Para um homem se recusar a “chupar” sua parceira, pode haver pequenas coisas que estão incomodando, como o cheiro, a depilação, ou o simples fato de não gostarem.

 

Você podem não acreditar, mas alguns homens sentem nojo deste ato. Se você estiver com algum corrimento, verifique se não há odores fortes. Tenha um momento consigo mesma de intimidade. Se toque, se olhe, descubra o seu prazer. Se você não tem problema algum, converse com o seu parceiro. Eu sempre bato nesta mesma tecla, pois continuo a pensar que o dialogo pode salvar relacionamentos.

 

Outra opção é estimular os desejos. Use todas as armas que tiver como gel comestível, aromas, leite condensado, calda de chocolate e acredite, sorvete. E falando em gelado, há uma técnica de masturbação com o picolé. Sim, é isto mesmo que você está pensando. Da mesma forma que você utiliza o vibrador, utilizará o picolé (com o sabor da preferência dele), você se masturba e o convida a se deliciar.

 

Se nada disto adiantar, se ele não quer lhe dar este prazer, converse e descubra o porquê, assim você mesma conseguira resolver este probleminha, e a paz voltará a reina no ninho do casal.

 

Se você tem sugestão, duvidas ou quer desabafar, entre também em contato. Farei o possível para ajudá-los.

 

Freak Butterfly (Poliana S. Zanini)

 

·         * Nome fictício, qualquer semelhança é mera coincidência.

·         Imagem retirada do google imagens

 

Aguardem: Justine mais ousada do que nunca!