RSS Feed

Monthly Archives: Janeiro 2009

Dúvidas: Monique e o Câncer no Colo Uterino

imagemdvidaun3

Monique: tenho vida sexual desde dos 16 e não fui no ginecologista esse tempo todo,talvez por descuido,medo…enfim hoje tenho 21 anos e um tempo desses eu estava sangrando e teve um sangramento durante uma relação que eu tive…enfim fiquei com medo e será que tenho o câncer??

Por favor, espero respostas de vocês…

 

Querida Monique, fico feliz pela sua visita e também por apreciar a matéria. Vamos por partes, primeiramente é muito importante a visita ao menos anual ao ginecologista após o inicio das relações sexuais. O ginecologista será ser melhor amigo ou amiga, não há porque temer, é pra ele que você irá fazer todas as perguntas e tirar suas duvidas. Vejo o meu como um bom amigo, ele sempre me esclarece tudo que tenho duvida ou medo. Desde o momento que perdemos a virgindade, devemos visitá-lo ao menos anualmente e realizar o exame preventivo do colo uterino.

Às vezes sangrar fora do período menstrual esta relacionada à alimentação ou até ao psicológico. Sangrar durante a relação sexual pode ocorrer, se você não estava lubrificada o suficiente pode ter se machucado. Mas lhe digo, não sou ginecologista, por isso lhe indico a ir, toda mulher deve ter cuidados especiais quando se trata da vida sexual, ir ao ginecologista ao menos uma vez ao ano realizar os exames de rotina, ou quando alguma duvida como a sua aparecer!

Espero ter lhe ajudado Monique e a muitas outras que sentem medo e duvida. O exame não dói!

 

Abraços,

Freak Butterfly

Os doze passos para conquistar uma mulher!

62556412

A revista Men’s Health realizou uma pesquisa com 696 mulheres e agora você vai ler aqui quais os passos certos para seduzi-las.

Este artigo pode parecer um tanto machista, já que se trata de dicas para levá-la para a cama, mas quando se trata de conquista, e vendo como as cantadas estão se encaminhando, achei excelente colocar aqui, afinal, os rapazes poderão utilizar tais dicas para conquistar uma namorada.

Vejamos agora quais iniciativas você deve tomar:

 

·        A melhor maneira para convidá-la para sair é um telefonema casual e direto. Vá direto ao assunto, cerca de 57% das mulheres disseram para esquecerem joguinhos. É muito mais interessante ouvir: “Adorei te conhecer, que tal sair pra jantar na sexta?”.

·        Quer passar do jantar para algo mais intimo? Sugira um lugar mais descontraído, de preferência com musica. Boates são ótimas pedidas, pois é ali que as pessoas se aproximam mais, depois de algum tempo de conversa no jantar, é na boate que os corpos se aproximam.

·        Entre um drink e outro, corpos suados e juntos você está louco para convidá-la a conhecer seu cafofo, certo? Então não fique com rodeios, 54% das mulheres preferem que os homens sejam transparentes, diga a ela que está a fim de ficar a sós e não quer que a noite termine por ali. Se ela topar, ótimo, se não, paciência.

·        Você não estava preparado para uma visita e a casa está uma bagunça? Não pense duas vezes, corra e de uma geral no banheiro. Pode parecer bobagem, mas as mulheres reparam muito mais no banheiro do que no restante da casa, pois o banheiro indica higiene.

·        Para dar alguns passos você não pode pular o primeiro, relaxe, pergunte se ela deseja algo, sentem-se e conversem, a conversa ajuda as mulheres a relaxar e se sentirem mais a vontade, deixe o papo ficar mais intimo. Fique atento nos sinais que algumas mulheres dão quando estão prontas para encerrar o assunto e partir para o beijo.

·        Rolou a forte troca de olhares, por alguns segundos o silencio pairou sobre vocês? Chegou à hora de avançar para o primeiro passinho, o beijo! Tenha cuidado, pois o primeiro beijo diz tudo, você saberá se ela esta afim ou não através dele, não seja afoito, vá com calma. Exageros transpassam insegurança ou inexperiência.

·        Se depois dos beijos, vieram as pegadas e o clima começa a esquentar, não espere que ela diga o que você deve fazer, apenas siga as reações dela, 69% delas disseram: atenção aos meus níveis de excitação. Uma coisa é fato, se as mulheres se sentirem confortáveis irão tomar a iniciativa por pensar que para os homens não há problemas de ir além. Uma dica: estão na sala e vão para o quarto? Saiba de 50% das mulheres desejam ser carregadas até lá. Então força na peruca!

·        Chegou então as preliminares, nem pense em pular esta parte, para muitas mulheres este é o passo mais importante da noite. Comece com beijos até que sinta o corpo dela quente. Mais uma vez não seja afoito, já com calma, não tente despi-la logo de cara, beije-a, acaricie seu corpo, opte por massagens intimas pétalas de rosas, velas, óleos, tudo isso excita a mulher, que parece ter um chamariz para coisas bregas, então seja brega!

·        Agora você já pode começar a tirar a roupa dela, mas vá devagar, não sugira um strip-tease, pois as mulheres, por mais perfeitas que sejam, sempre tem algo que incomoda em seu corpo, então tire você mesmo, alternando com ela, tire um blusa, deixe que ela tire os sapatos, vá com cuidado, deixe as partes intimas para depois e aprecie cada pesa de roupa dela.

·        Seu objetivo para a primeira vez com ela não deve ser um orgasmo fenomenal, mas sim tentar se conectar para construir uma ponte emocional entre os dois, 48% delas disseram: aumente a sensação de intimidade.

·        Esqueça tudo o que leu no Kama Sutra, não é um show de vídeo pornô que fará sua noite render, o crucial esta noite é você ser gentil, ardente e atento ao que o corpo dela disser a você. É isto que 44% das mulheres desejam, atenção ao corpo.

·        Depois da longa noite, tome muito cuidado com a despedida, pois você pode sair da zona de príncipe para sapo. Não fique agradecendo, afinal ela não lhe fez favor alguém, diga apenas que deseja vê-la novamente, mas só diga a verdade, nada de promessas como telefonemas que nunca existiram, se ela for à garota que deseja para si, diga que irá ligar de tarde, e ligue! Se disser que liga a tarde e liga no dia seguinte, não adianta, já perdeu uma série de votos com ela. Ela não se sentirá segura para confiar em você novamente.

 

Viu, são coisas muito simples que podem mudar muitas experiências traumatizantes de primeiro encontro, tanto para você quanto para elas.

Lembre-se de ser carinhoso, delicado e claro, ardente, pois afinal, ninguém é de ferro.

 

Freak Butterfly

 

 

*fonte: Men’s health novembro de 2007.

Em Off: Jornal do Orkut entrevista Freak Butterfly

Se você achava que esta que vos escreve era apenas uma lenda, leia a entrevista descontraida feita pelo Hallorino Júnior!!!

parte6parte51parte3parte21parte-11parte7

parte8parte9parte10

Se você não conseguiu ler por aqui, confira no orkut do jornal do Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Album.aspx?uid=12209938055790184326&aid=1232636355

Freak Butterfly

Entrevistando: Chernobillies

 

Então pessoal, depois de algum tempo sem atualizar, volto aqui com estrevista, pra quem não conhece o Psychobilly, ai vai uma otima pedida, leiam e apreciem uma banda nacional.chernobillies_divulgacao01

 

F.B.: Há quanto tempo à banda está na estrada?

G-Lerm: Começamos a ensaiar no final de 2001, e a fazer shows em 2002. Então nesse mês estamos fazendo 7 anos de banda.

F.B.: Como surgiu esta idéia de uma banda de psychobilly?

G-Lerm: Bom, todo mundo na banda é psychobilly, compra discos de psychobilly, sai à noite pra ouvir psychobilly e se encontrar com psychobillies, então, quando montamos uma banda psycho, não foi uma idéia assim das mais criativas.

F.B.: Muitos estilos musicais são como uma filosofia de vida, um modo de se viver, há isto no psychobilly?

G-Lerm: O acho que o psychobilly é muito mais  um modo de se viver do que um estilo de música, até porque hoje em dia na musica você tem bandas psycho que são tão diferentes que um leigo jamais diria que fazem parte do mesmo estilo musical.

F.B.: Voltando a falar sobre a banda, houve uma pausa nos trabalhos da banda, quanto tempo ficaram fora dos palcos?

G-Lerm: Quando o Fred, que era o baixista original deixou a banda, ficamos um ano completamente parados, do final de 2007 até o final do ano passado, quando o Beavis, que era baixista do Voodoo Stompers veio de São Paulo pra assumir o baixo dos Chernos. Levamos um tempo pra ele pegar as musicas e adaptarmos elas para o baixo acústico, já que o Fred usava o elétrico, até voltarmos a tocar ao vivo.

F.B.: Quantos álbuns vocês já lançaram?

G-Lerm: Lançamos em 2004 uma demo de 10 faixas, chamada “Are you ready to rock?!?!” e participamos de algumas coletâneas, como o tributo ao Frantic Flintstones, que foi lançado na Alemanha pela Red 5 Records. Atualmente temos na manga musicas pra fazer uns 2 discos. A gente sabe que já demorou demais pra sair um (ou dois) primeiro disco “oficial”, mas também não queremos lançar nada que seja meia boca. Estamos vendo agora um esquema legal, acho que mês que vem já começam as gravações e ainda antes do meio do ano teremos um disco bom na mão, daí é achar alguém disposto a lançar.

F.B.: Fale sobre as músicas, onde buscam inspirações para as letras?

G-Lerm: Acho que, como todo mundo, nas coisas normais do nosso dia a dia. Mulherada, bebedeira, carros, monstros, religião…

F.B.: Qual a maior influencia da banda?

G-Lerm: Acho que a gente não tem nenhuma grande influência, algo que a gente queira soar parecido. O nosso som é resultado de tudo que a gente escuta, lê, assiste, imagina… Mas se você quiser saber que bandas a gente escuta, preferimos o psychobilly mais clássico, as bandas velhas, como Meteors, Guana Batz, Frantic Flintstones, Frenzy, Batmobile, Klingonz.

F.B.: Quais os planos da banda para este ano?

G-Lerm: Agora que voltamos à ativa de vez, a idéia é fazer shows, viajar o máximo possível, conhecer lugares e públicos novos. Isso e lançar o disco. Tomara que tudo de certo.

F.B.: Quais os próximos shows?

G-Lerm: Por enquanto estamos planejando 2 shows em Curitiba mesmo, um de aniversário da banda e outro que já está marcado, no Psycho Carnival.

F.B.: Nos últimos meses houve um crescimento significativo em fãs do gênero rockabilly, algumas pessoas vêem como modismo, o que você acha disto? Estaria o rockabilly se tornando moda?

G-Lerm: Já faz mais ou menos uns 10 anos que se comenta isso, e eu ainda não vi nenhuma banda psycho ou rockabilly tocando no programa do Faustão. Nem mesmo com clipes entre os 10 mais da MTV. Ou mesmo na programação normal. Todo ano aparece um monte de gente nova nos festivais, vão em um ou 2 e desaparecem do mesmo jeito que surgiram. Os que ficam mesmo adotam o estilo, fazem as coisas acontecerem, montam bandas e colecionam discos são poucos. Há 10 anos atrás tínhamos  um público de mais ou menos 100 pessoas nos festivais. Hoje temos 600, 700. É claro que rolou um aumento, mas ainda está bem longe de ser uma grande moda.

F.B.: Como você vê a cena deste gênero musical aqui no Brasil?

G-Lerm: É legal, o Brasil já é considerado um pólo psychobilly quase tão importante quanto Europa e Estados Unidos.  Muitas bandas de fora querem vir pra cá fazer shows, conhecer as pessoas. Em relação às bandas nacionais, acho que estamos melhores que nunca, muitas bandas, com características diferentes, boas bandas e bandas ruins, mas todas com um bom público e levando a sério o que gostam de fazer, e isso é o que importa…

F.B.: Vocês participam de um evento que ocorre no mês de fevereiro em Curitiba chamado Psycho Carnival, e este ano, vocês estarão presentes? O que seria este festival?

G-Lerm: O psycho Carnival já é considerado um dos maiores eventos do psychobilly no mundo, bandas e psychos  do mundo inteiro vem pra Curitiba passar o carnaval. É engraçado porque é uma cidade que não tem a menor tradição de carnaval, vai todo mundo pra praia, mas os hotéis centrais lotam de gente que vem para o festival, você anda pelo centro e só vê gente de topete. Esse ano vamos tocar, o festival promete, já que vai ter 2 bandas inglesas clássicas, o Klingonz e o Frantic Flintstones e mais um monte de outras bandas mais novas de fora, alem das bandas nacionais que por si só já fazem uma puta festa.

F.B.: Bem, eu gostaria de agradecer a você pela entrevista e deixar o espaço aberto para falar com nossos leitores.

G-Lerm: De nada, apareçam nos shows!

 

*Esta emtrevista está junto de muitas outras no www.oceniarock.com

Cuninlingus – Torne-se inesquecível

guthier03rq9

Este assunto foi debatido aqui dezenas de vezes, mas não custa nada repetir para que nunca esqueçam: sexo oral para uma mulher pode valer muito mais do que o convencional.

Todos sabem que: nem todas as mulheres alcançam o orgasmo através da penetração, então para não repetir os mesmos erros de outros, vamos repassar alguns passos importantes que você nunca deve esquecer.

O clitóris é um interruptor de luz que você liga e desliga, então ficar esfregando a região não estará lhe dando prazer, e sim incomodo.

O clitóris é extremamente sensível, então deve ser tratado como uma jóia delicada. Por isto qualquer movimento brusco pode causar irritação.

Comece com toques delicados, que tal iniciar seus carinhos pelos pequenos lábios? Quando ela estiver mais a vontade e lubrificação aumentar vá para o clitóris, este tipo de carinho faz com que se torne difícil de uma mulher ficar insatisfeita.

Sua língua é macia e quente, mas os dedos podem ser uma ótima opção, tente isto: posicione entre as pernas e cubra a vulva com a mão e excite-a com o polegar, pressione de leve, lubrificando a área. Uma dica: a estimulação deve ser feita em sentido horário, de nove para as três, alternando de doze para as seis, de acordo com a ginecologista e sexóloga, Marilene Cristina Vargas autora do livro, “Manual do Orgasmo”.

Se o clitóris se encolher, é um sinal de que ela esta quase lá, não pare, explore a vagina sem parar de estimular lá. Você notará o movimento da vulva, ele se contrai varias vezes e para, mas você não ouse parar.

Depois de toda esta excitação, vá fundo, a penetração fica mais fácil, então peça a ela que assuma o controle do clitóris enquanto você se movimenta para estimular o ponto G.

Garanta uma noite prazerosa a ambos. Uma mulher satisfeita fica mais feliz em satisfazer o parceiro e muito mais disposta.

Nunca se esqueça: vá devagar e sempre!

Não morda. Mordisque delicadamente.

Não mastigue, afinal o clitóris não é um chiclete.

Massageie, não esfregue. Machucar pode dificultar a excitação inclusive para que haja penetração.

Comece com lambidas, sugue os pequenos lábios, grandes lábios e parta para o clitóris, peça que ela comande, lhe indique o caminho mais fácil para alcançar o prazer. Muitas mulheres ficam tímidas para falar se estão ou não gostando, então tome a iniciativa e de a ela uma transa inesquecível.

Quanto às garotas que estão lendo, não sinta tanta vergonha de dizer se está ou não gostando, não iluda o parceiro com falsos gemidos e falsas palavras de o quanto está maravilhoso se não estiver realmente. Seja sincera, acima de tudo a você mesma.

 

Freak Butterfly.

 

*fonte: revista Men’s Health

Você pergunta

inte1

Querida Jussara Reis, obrigada por sua interação e também no interesse por saber mais sobre parafilias, confesso que não sei o nome do que busca, mas fiquei um tanto curiosa e busquei pesquisar, mesmo assim não encontrei nada sobre, e sim coisas que trazem excitação que são um tanto mais bizarras.

Filmes pornôs são mentiras da indústria pornográfica, para criar fantasias, há realmente homens que imaginam que aquilo que acontece ali fará sua companheira delirar, mas nós sabemos muito bem que não é assim que as coisas funcionam para nós mulheres.

Filmes pornôs é para mexer com o imaginário das pessoas, apimentar uma relação, mas não para serem levados como bíblias do sexo.

Se souber o nome desta parafilia, nos conte.

Abraços,

Freak Butterfly.

Tabu: Fantasias sexuais

2299162416_bdabb0931d_o

Quase todas as pessoas têm fantasias sexuais, há aquelas que sentem medo de sentir ou ao menos pensar em algo do gênero. Isto porque nossa sociedade “conservadora” criou uma série de regras e etiquetas que nós devemos seguir, e as fantasias sexuais se tornaram doenças ou desvio de conduta psicológica, fazendo com que muitos sintam medo ou culpa.

Claro que se uma fantasia passar a prejudicar a vida de outros, é porque há algo de errado. A pedofilia, o incesto, a necrofilia ou sentir prazer em ferir outras pessoas, pode ser considerado doença.

Muitas vezes a fantasia funciona como um estimulante há indivíduos que não chegam ao clímax sem recorrer a elas. Mas se a relação não anda bem, as fantasias podem ajudar a apimentar os lençóis.

Uma vantagem da fantasia é que o individuo é o próprio diretor, podendo criar lugares, pessoas, ângulos e tudo o mais que desejar, é algo que fica em seu imaginário, podendo ou não chegar à realidade.

Um estudo feito pelo psicanalista G. Fogel afirma que todos têm fantasias aberrantes, mesmo que estas não sejam conscientes. Ele afirma também que elas são tão freqüentes nas mulheres quanto nos homens. A questão é: ninguém tem coragem de admitir que tenha fantasias e isto faz com que a pessoa se sinta “única” por possuir uma.

As mais populares são sexo grupal, exibicionismo ou dominação. A inversão de papais com pessoas do mesmo sexo parece tomar o imaginário de homens e mulheres na mesma proporção. Isto não indica homossexualismo.

Um estudo feito em 1995 pelo psicólogo Sergio Fleury, com 72 mulheres, mostrou que 60% delas optam por não contar ou escolher o que falar aos seus parceiros, segundo mesmo estudo, mostra que 65% dos pares não expressam as próprias fantasias. Serio acredita que a inibição feminina tem a ver com a culpa ou medo, e a do homem por machismo puro.

A pessoa pode imaginar qualquer lugar ou ritual, pesquisam mostram que é que as fantasias geralmente envolvem pessoas conhecidas, sejam elas próximas ou não. Os locais escolhidos também costumam ser bastante comuns.

Dividir ou não a fantasia com o parceiro é uma opção feita, no livro “psicopatologia das relações amorosas”, Otto Kernberg afirma que todos os casais sempre dividem sua cama com mais quatro indivíduos, sendo eles divididos em: os rivais ou o tipo ideal de cada par. Para Kernberg, uma fantasia deve ir para o baú quando esta ligada a dor física ou emocional. Quando a agressividade é usada como estimulo, pode trazer ao casal dificuldades em se relacionar sem as mesmas, tornando plumas e chicotes uma rotina.

Uma pesquisa mostra que 90% dos dominados são pessoas que dominam sem seu circulo social, como executivos de alto escalão.

É comum as pessoas alimentarem uma serie de duvidas sobre suas fantasias, como: desejar o sexo oposto indica homossexualismo? Pegar uma mulher a força indica que sou estuprador? Entre outras perguntas, onde as pessoas visualizam situações que não gostariam de experimentar na vida real, se prestando somente para elevar seu nível de excitação. É provável que tais fantasias fiquem em adormecidas em suas mentes, pois elas provocam sentimento de culpa.

A fantasia só passa a ser doença se acabar prejudicando sua vida, ou a vida de outro. Se notar que só sente excitação com determinado pensamento, procure uma ajuda psicológica e tente descobrir a origem disto. Mas saiba que você não é único no mundo.

Há especialistas como Martin Pötner que acredita que não se deve conversar sobre as fantasias com o parceiro e sim descobrir na cama. Mas se você se reprimi por sentir alguns desejos que não irá expressar na cama, não há nada de mal em conversar com o parceiro sobre as probabilidades de realização de sua fantasia.

A maior fantasia do homem é ir para a cama com mais de uma mulher e ser subjugado por elas. Para as mulheres, a maior fantasia é vários homens lhe dando orgasmos múltiplos. O que torna homens e mulheres mais parecidos do que imaginam. Mostrando mais uma vez que a fantasia de muitos é o sexo grupal.

 

Freak Butterfly

 

*Fonte: O livro de Ouro do Sexo, de Regina Navarro Lins e Flávio Braga.

Justine – Eu quero ir mais além

097

Ao retornar a mesa, agiu como se nada tivesse acontecido, Justine e Lucas seguiram a conversa noite a dentro, dentre uma taça de vinho ou outro, os dois ficavam mais próximos. Justine começou a ver o mundo com outros olhos após ouvir as historias de Lucas. Já estavam sentados naquele bar a mais de duas horas quando Lucas resolver fazer o convite.

 – Você quer ir para outro lugar?

 – Não sei…

 – Tem medo?

 – Não, na verdade, bem não sei. Não sei se devo.

 – Você tem alguém?

 – Não, eu tinha, demos um tempo.

 – Se não quiser, tudo bem, o presente é teu mesmo assim. Porem gostaria muito que minha deusa o usasse comigo, mas a escolha é sua.

 – Você quer ir pra onde?

 – Você escolhe, se não quiser ir a minha casa, podemos ir a um motel.

Justine realmente sentia medo. Ouvira tantas historias de garotas raptadas, ou estupradas na mesma situação em que se encontrava agora, um motel seria mais seguro, mas ela ainda tinha duvidas.

 – Não sei. Você mora onde?

 – Próximo ao Jardim Botânico.

Ela começou a pensar, o Jardim Botânico era próximo de sua casa, mas por precaução ela optou pelo motel.

 – Prefiro um motel, há um próximo daqui.

 – Você quer deixar seu carro e ir no meu?

 – Não, eu te sigo, é melhor assim.

 – Entendo menina precavida você. Gostei.

Lucas pediu, pago e os dois saíram. Justine levava a caixa de presente e lá fora os dois decidiram qual motel ir.

 – Bem, minha deusa, você decide tudo esta noite.

 – Me segue!

 – Sim senhora!

Cada um foi para seus respectivos carros e Justine saiu primeiro, Lucas logo depois. Ela foi até um motel que já conhecia, parou enfrente e fez sinal para que Lucas parasse ao lado para que entrasse primeiro. Ele parou o carro na entrada, pediu um quarto, depois Justine parou e perguntou qual era o quarto que ela deveria seguir, ele havia escolhido a suíte presidencial, mostrando que era um homem de requinte. Ele permitiu que ela estacionasse o carro dentro da pequena garagem, e ele estacionou em uma garagem opcional. Enquanto isto ela entrou no quarto, com a caixa na mão.

 – E então, gostou? – perguntou Lucas ao entrar no quarto.

 – Sim, muito bonita. Eu quase não freqüento estes lugares, meu namorado morava sozinho e… Bem, é isto.

 – Relaxe, quer beber algo mais? Peça o que desejar, eu lhe dou tudo esta noite.

 – Eu estou bem. Não desejo nada agora. Bem, eu vou ao banheiro me vestir.

 – Que maravilha, ficarei quietinho aqui a sua espera.

Ela foi até o enorme banheiro e trancou a porta. Abriu a torneira e lavou o rosto, ela estava realmente nervosa, tal coisa nunca lhe aconteceu antes.

 – Bem Justine, é sua hora!

Sentou-se na beira da banheira e começou a olhar para seus novos brinquedos.

 – Nossa quanta coisa!

 Aquela seria sua caixa de Pandora, havia algema, chicote, palmatória, chibata, venda, strap on, mordaça, meias de látex, corpet junto a uma sai de látex e luvas do mesmo modelo, era o melhor presente de todos, era como um sonho, sempre desejou ter coisas assim, mas objetos de látex eram muito caros e por isto nunca os comprou, até porque usar com Fabiano ou Marcela não teria graça.

 – Bem, se é o que ele deseja, eu estou pronta.

Ela se despiu, lavou o corpo e o secou bem, era difícil vestir aquelas roupas, as meias então mais complicadas do que imaginará, sorte que havia talco dentro delas, depois de muita dificuldade ela conseguiu se vestir, e como aquela roupa era quente, já havia passado mais de 30 minutos então Lucas bateu na porta.

 – Senhora, não quero incomodá-la, mas esta tudo bem?

 – Sim, já estou quase pronta. Quero que apague as luzes, deixe apenas uma acesa que esteja distante, dispa-se e deite na cama.

 – O que a senhora mandar.

Ela calçou os sapatos, vestiu as luvas e pegou a chibata.

 – Bem, é hora do jogo.

Abriu a porta e lá estava Lucas, dono de um belo corpo nu na cama. Ao vê-la, os olhos de Lucas se iluminaram, a luz estava fraca, mas já podia notar as incríveis curvas de sua deusa e notara que ela estava com um dos brinquedos à mão.

 – Minha deusa! A senhora está divina.

 – Cala a boca e fique onde está! Não quero ouvir mais nada de você até que eu permita.

Ele acenou positivamente com a cabeça. Ela ligou o som e começou a rebolar. Ela se sentia majestosa com aquelas roupas, ela subiu na cama, e o deixou por entre suas pernas, ela estava sem calcinha e ele podia ver sua xoxota brilhar de tão úmida. Ela deslizou a chibata pelo corpo dele e suavemente bate-a na coxa.

 – Você gosta do que vê? – pergunta Justine.

 – Sim senhora, gosto muito.

Ela então se agachou e segurando pelos cabelos, começou a esfregar a xoxota na face de Lucas.

 – Gosta disto minha putinha?

 – Sim, eu amo.

Ela se levantou e passou o salto pelo peito dele até chegar no pau já rijo.

 – Você é um verme, uma putinha barata.

 – Sim, eu sou tudo o que a senhora disser.

 – Cale a boca, eu lhe perguntei algo?

Então ela da uma forte chibatada na coxa de Lucas e desce da cama. Ela caminha até o banheiro e trás a caixa com o resto dos brinquedos.

 – Vejamos o que eu quero usar hoje. Você precisa de correção, é uma putinha muito atrevida.

Ela pegou a mordaça e disse.

 – Venha até aqui e fique de joelhos.

Ele a obedeceu e se por de joelhos na frente dela.

 – Isto irá lhe ensinar a não falar fora de hora – disse ela enquanto o amordaçava.

Depois ela pegou a palmatória, o segurou fortemente pelos cabelos e concluiu.

 – E isto irá ajudar a lembrá-lo do que eu acabei de falar.

Ela abaixou a cabeça dele, empinando assim seu rabo branco para cima e começou a bater, alternando palmadas leves com fortes. Ele gemia e depois da quinta palmada ele levantou um braço. Seria a hora de ela parar. Eles não tinham a senha de segurança, mas Justine sabia que todos têm limites.

Ela o ajudou a levantar, retirou a mordaça e acariciando os cabelos de Lucas ela disse.

 – Bom menino – sentou-se a cama e prosseguiu – agora tire meus sapatos, as meias e massageie meus pés.

Ele obedeceu, retirou-lhe os sapatos e as meias delicadamente e começou a massagear os pés de Justine, ajoelhado a beira da cama, viu-a deitar o corpo e abrir as pernas, enquanto recebia a massagem, começou a se masturbar. Pouco depois, ela olhou e viu que Lucas não retirava os olhos de sua xoxota.

 – Quer um pouco?

 – Se a senhora permitir, desejo muito.

 – É toda tua.

Ele se pos no meio das pernas dela e começou a chupá-la, ela delirava com a língua quente e macia dele.

 – Mete um dedinho nela Lucas!

Ele obedeceu, e começou a tocá-la, então sentindo que não iria mais suportar, ela disse.

 – Toma meu leitinho, toma todinho! – e gozou.

 – Agora vem até mim, quero senti-lo dentro de mim minha putinha.

Ele colocou um preservativo e fez o que ela desejava, começou a meter na xoxota quente e molhada de sua senhora.

 – Vai puto desgraçado, mete nessa buceta que nem homem! Para de ser uma bicha e mete com força.

Ele estocava cada vez mais forte, ela não conseguia resistir àquele clima todo, segurava-o pela face e lhe fala coisas absurdas, ela queria vê-lo enfurecido, e foi o que aconteceu, ele soltou-lhe um tapa na face. Imediatamente ela colocou as mãos, ele desesperado pelo erro que cometeu, parou o que fazia e perguntou.

 – A senhora está bem? Me perdoe.

Ela parecia chorar, tudo falso, ela estava rindo, dando gargalhadas.

 – Sua putinha medrosa, acha mesmo que este tapinha de bicha seu me faria chorar? – ela se sentou na cama e continuou – agora você vai aprender a bater direito – e meteu-lhe a mão na cara.

Ela se levantou, pegou o chicote, e começou a chicotear-lhe a bunda.

 – Putinha bastarda! Você não merece minha xoxota.

Ela parou de bater nele e segurou seu pau na mão.

 – Quero ver teu leite jorrar agora – e começou a masturbá-lo.

Em poucos minutos o membro dele pulsava em sua mão derramando leite.

 – Gostou?

 – Sim senhora! A senhora é divina!

 – Que bom, vou tomar um banho, depois você vai.

Ela se levantou, e foi sozinha para o banheiro, banhou-se, colocou suas roupas e foi para o quarto guardar seus novos brinquedos. Lucas foi para o banheiro, tomou banho, voltou nu para o quarto, se vestiu e pediu a conta.

 – Eu te ligo – disse Justine.

 – ficarei esperando minha rainha!

E os dois seguiram seus caminhos. Ao chegar em casa, todos estavam dormindo, ela colocou a caixa escondida no guarda-roupas, se despiu, deitou nua na cama e disse para si mesma.

 – Que noite maluca, mas até que eu gostei, acho que estou libertando minhas fantasias, eu quero ir mais além!

Virou-se para o lado e puxou o edredom, estava meio frio e então dormiu.

 

Freak Butterlfy.

 

 

Dicas para conviver a dois em paz

briga2

Um dos passos mais importantes na vida de uma pessoa é o casamento, ou simplesmente “juntar” as escovas de dentes.

Quando se está amando, mas em casas separadas, há uma serie de coisas que você não sabe sobre o outro, quando juntos, ambos fazem de tudo para agradar e mostrar seu melhor, mas com o passar do tempo, as coisas podem esquentar, e não é na cama.

Tome alguns cuidados para evitar explodir a bomba hormonal dela:

· Não seja egocêntrico: muitas vezes não é você o motivo da irritação dela, a muitas coisas realmente inexplicáveis no universo intimo feminino como a TPM, a insatisfação com o cabelo, ou o peso, coisas pessoais, então não se irrite, isso pode piorar as coisas, fique calmo e pergunte o que está acontecendo, demonstre interesso. Ela se sentirá melhor com sua boa intenção.

· Evite a “TPM”: o que quero falar com isso é, quando ela estiver nervosa, irritada, sensível ou algo do gênero não culpe a TPM, isso faz com que ela sinta que não tem sentimentos verdadeiros, só disfunções hormonais, apenas concorde com ela, por mais absurdo que seja o problema.

· Questione o sexo: o sexo é para a mulher esta conectado ao lado sentimental, muitas ficam tímidas para dizer o que gosta ou não na cama, então elas soltam indiretas ou falam entrelinhas, se notar que você não percebeu nada, vai sentir que não estão conectados, então antes que isso se torne um drama, com direito a lagrimas e tudo, ou até a insatisfação da sua amada, pergunte o que ela gosta, o que gostaria de fazer, peça sugestões, assim ela se sentira mais a vontade e o sexo poderá ser melhor ainda.

· Divisão de tarefas: ela pode até existir, mas no final das contas, muitas vezes a mulher faz tudo sozinha, às vezes ela não quer partilhar as tarefas e sim um auxilio, comece por evitar deixar a toalha molhada na cama, urinar com a tampa do vaso abaixado (por favor, acerte o vaso e não urine por todo ele, incluindo o chão), evitar sua bagunça é um bom começo. Mas naqueles dias de fúria de uma ajudinha a ela, se proponha a fazer o almoço ou jantar.

· Saco de pancadas: em dias de fúria muitas mulheres desejariam ser boxeadoras e sair dando socos por todos os lados. Seja seu saco de pancadas, ouça tudo sem retrucar e de atenção a ela. Se você não for à causa do problema, pra que justificar algo, fique calado, demonstre atenção, pois no final é só isto que ela deseja e claro um cafuné.

· Sexo, doce sexo: não são todos os dias que a mulher fica disposta ao sexo. Uma mulher estressada não pensa em sexo, neste caso ouça seus problemas, isso é a sedução, depois de colo, carinho, quando ela se sentir segura irá se entregar, estudos revelaram que as mulheres ficam menos estressadas após o coito, devido a liberação de hormônios que atuam como calmante.

· Depois do sexo: não seja frio, não saia da cama, não vire para o lado, depois de toda a luta para chegar aos “finalmente” você não quer que tudo recomece com uma nova discussão, 90% das mulheres acham o carinho pós coito essencial, para as mulheres o corpo e os sentimentos estão ligados, então fique com ela mais um pouco, faça alguns carinhos, sugira um banho a dois, de um pouco de atenção, afinal todo mundo adora dormir de “conchinha”.

· Fantasias: a indústria pornográfica é algo fora da realidade sexual, os filmes sempre mostram que a explosão do orgasmo está ligada a movimentos frenéticos e bruscos, ao invés de ter um orgasmo, ela provavelmente irá fingir e por estar insatisfeita, desejará dormir bem longe de você. Então ao invés de querer ser um ator pornô, troque os movimentos frenéticos por movimentos suaves e circulares, concentre-se em fazer pressão nas paredes da vagina e não em ir mais fundo, lembramos que nem sempre as mulheres chegam ao orgasmo através da penetração, então procure saber o que a satisfaz.

Para se conviver a dois, mais do que amantes o casal devem ser amigos. Saber conviver com os defeitos, isso que faz a relação perdurar, também é importante saber ceder, nem sempre ela fará o que você quer e você terá de fazer o que ela quer, o diálogo é importante por isto, ambos tem de entrar em comum acordo. Quando sozinhos cada um tinha suas manias, claro que algumas manias podem prejudicar a relação, mas não fique com implicância.

São pequenos detalhes que poderão mudar a vida a dois e ferver os lençóis, ao invés das brigas.

Se há problemas, converse, isto serve para ele e para ela, não se pode sair descontando seus problemas hormonais no parceiro, você deve manter o controle.

F.B.

*Fonte: Men’s Health – Outubro 2007.

Justine – Eu quero sempre mais

sapatos

Já fazia mais de um mês que Justine estava em um triangulo amoroso entre Marcela e Fabiano, e em quase dois meses de namoro ela já se sentia saturada. Ficar com um dos dois já estava virando rotina, Fabiano estava cada vez mais ocupado e Marcela cobrando cada vez mais sua ausência.

 – Chega Marcela! To cansada de você exigir algo de mim, eu já disse que isto não posso lhe dar. Já te dou meu amor, meu carinho, durmo com você sempre, mas uma relação estável não dá.

 – Ju cala a boca! Isso me magoa demais porra!

 – Me desculpa gatinha, mas você sabia disso desde o principio, eu te amo, mas isso ta me esgotando. É o Fabiano que nunca ta pra mim… É você querendo mais do que eu posso dar… Isso ta me matando, não dá…

 – O que você quer dizer com isso?

 – Eu quero um tempo! Preciso de um tempo pra mim.

Marcela se senta na beira da cama e se põe a chorar.

 – Por favor, Ju não faz isto comigo, eu a amo demais… Por favor!

Justine se senta ao lado dela e começa a acariciar seus cabelos.

 – Amor, olha pra mim… É só um tempo gatinha, eu não to terminando nada.

 – Todo mundo sabe que tempo não existe – diz Marcela aos prantos.

 – Isto é para relacionamentos heteros, nos somos diferentes disso, vai por mim, saia, conheça novas pessoas, divirta-se com suas amigas…

 – Ju, você não entende, eu não tenho mais nada. Eu perdi minhas amigas, meus amigos, perdi tudo.

 – Calma Ma, vai ver o Gu, ele ainda é seu amigo, vai adorar vê-la.

 – E o Fabiano?

 – Também quero um tempo com ele. Quero um tempo de tudo!

 – Vá embora Ju, não quero vê-la mais!

 – O que?

 – Anda, vai!

Justine se irrita e sai batendo a porta. Depois de caminhar pelo centro pensando em tudo que disse para Marcela, ela percebeu que realmente magoou sua amada, mas não podia passar por cima de seus próprios sentimentos, então decidiu dar um basta também com Fabiano. Quando chegou lá Fabiano estava na correria de sempre, em mais um preparativo de show, Gustavo estava arrumando o bar.

 – Oi Gu, tudo bem?

 – E ai Ju! E Marcela?

 – Demos um tempo.

 – Fala serio Ju, putz, a Ma deve estar mal. É ela me odeia, mas foi melhor assim, eu só preciso de um tempo. E o Fabiano?

 – Adivinha?

 – No escritório?

 Ele ta com alguém?

 – Não, pode subir!

 – Liga pra Má, ela vai gostar de falar contigo.

Justine sobe as escadas rumo ao escritório de Fabiano, bate na porta.

 – Entre.

 – Oi Fá.

 – Meu amor, que bom vê-la, como está?

 – Não muito bem… Rompi com Marcela.

 – Sério? Por quê?

 – Foi só um tempo, mas ela não quer aceitar…

 – Coitada, ela te ama demais baby.

 – É eu sei… É por isso que eu vim aqui falar contigo. Quero um tempo!

 – O que? Mas por quê?

 – Fá, eu não sei, só preciso de um tempo pra mim, preciso ficar sozinha. Você vive ocupado, vive pro teu trabalho, eu preciso de atenção também sabia? Não só de sexo!

 – Mas eu te dou atenção!

 – Dá, quando me fode, tirando isto, você nem me liga ao menos pra saber como vai meu dia, porra, eu sou de carne e osso, não tua boneca inflável.

– Mas pensei que gostasse de foder meu bem.

 – Eu amo, mas eu quero algo mais… Me desculpe, não é o fim, é só um tempo, preciso estudar, e olhar mais pra mim mesma.

 – Porra Justine, tu é foda! Eu te amo porra!

 – Então se ama, vai me dar este tempinho!

 – Curta teu trabalho, teus amigos, as vagabundas, logo eu volto.

Ela vira as costas e caminha até a porta, ela se volta para Fabiano e diz.

 – Nada de adeus, vamos ficar no até mais, certo?

 – Te odeio Justine!

 – Eu te amo baby!

Ela fecha a porta e vai embora sem olhar para trás.

No caminho de casa ela começa a pensar se não se precipitou em sua decisão. Ela entre na garagem, vai direto para o quarto, a mãe lhe pergunta o que houve.

 – Nada, eu só quero ficar só.

Justine se senta enfrente ao computador e vai olhar os e-mails e orkut. Ambos lotado de recados, pois desde que iniciou sua relação com Fabiano e depois Marcela, ela não tinha tempo para internet.

 – Nossa, quantos recados, deixe-me ver se há algo interessante.

Depois de vasculhar todos os e-mails e recados, ela se depara com um muito interessante que dizia:

“Lucas: Minha senhora, curvo-me diante de teus pés para lhe servir de todas as formas, por favor, seja minha”

Recado interessante, ela ficou animada e adicionou o rapaz no msn. Logo viu a janelinha dele piscar.

 – Olá minha deusa! – disse Lucas.

 – Olá querido! – respondeu Justine.

 – Ainda bem que a senhora me adicionou, eu estava ansioso para conversar com a senhora.

 – Para de me chamar de senhora, me sinto uma velha.

 – Me perdoe!

 – Tudo bem, então o que você quer comigo?

 – Tudo que você desejar me dar.

 – Não sei se quero lhe dar algo… O que você realmente deseja?

 – Beija-la completamente, começando por seus deliciosos pés… Quero cobri-la com pétalas de rosas e lhe massagear, depois, sou todo teu minha deusa.

 – Hum… Parece interessante. Quantos anos têm?

 – 26 e a senhora?

 – Tenho 22, o que faz da vida?

 – Sou advogado e a senhora?

 – Para com esse negocio de senhora, já disse! Estudo e trabalho em uma loja.

 – Então, será que podemos conversar por telefone?

 – Não sei se devo, não lhe conheço.

 – Então, vamos conversar, quem sabe você me da uma chance de realizar seus desejos.

 – ok!

Ela passou o numero e os dois conversaram por um longo tempo, Lucas tinha uma bela voz, e pela foto do msn parecia atraente, depois de falarem muito sobre suas vidas, então ele enfim propôs.

 – Deusa, aceitaria um presente meu?

 – O que?

 – É surpresa, quero lhe entregar pessoalmente.

 – Hum… Não sei…

 – Sei que tem medo, realmente é perigoso, mas podemos ir a um lugar aberto, e daí lhe dou o presente.

 – Pode ser um barzinho? Você quem sabe minha rainha, onde quiser eu vou.

 – Bem, há um barzinho sossegado, com musica ambiente próximo ao shopping, topas?

 – Claro, que horas?

 – Daqui uma hora?

 – Maravilha! Te encontro lá.

 – Vou me arrumar, até mais.

Colocou o telefone no gancho que correu para tomar banho, no banho falou consigo mesma.

 – Nossa, eu nem sai de um namoro e já vou encontrar alguém, se o Fabiano ou a Marcela descobrirem, me matam! E eu disse que não ia sair hoje… Mas que se dane! Eu quero é mais!

Uma hora depois Justine ainda estava terminando de se aprontar, ela trajava um vestido tubinho de cetim vermelho e scarpins pretos de vinil, maquiagem discreta, afinal o ambiente era mais fino do qual ela era acostumada a ir. Então o celular tocou, era Lucas.

 – Oi Lucas, antes que pergunte algo, eu já estou saindo de casa, só me enrolei um pouco pra me arrumar.

 – Tudo bem linda, estou a sua espera.

Ela desliga o celular pega a bolsa e as chaves do carro, deixa um bilhete no computador para a mãe dizendo onde e com quem ela estava, e os números de telefone, caso houvesse algo com ela. Então atravessou a sala para a garagem.

 – JUSTINE! – grita a mãe – VAI SAIR AGORA? NÃO DISSE QUE FICARIA EM CASA?

Ela volta até a porta e responde.

 – Mãe foi de ultima hora, é um encontro do pessoal da loja, viu, estou até social, não demoro, prometo.

 – Juízo menina!

 – Te amo mãe!

Cerca de 20 minutos ela estava estacionando o carro, ao descer notou suas pernas tremulas, o nervosismo estava tomando seu corpo. E se ele fosse um tarado? Ou um seqüestrador? E se ele fosse o cara mais feio que ela já havia visto? Então ao entrar se deparou com o mesmo rosto da fotografia, ela olhou para ele, ele sorriu. Ela suspirou aliviada e caminhou até o balcão do bar onde ele estava.

 – Lucas? – perguntou Justine.

 – Sim minha deusa. Sente-se!

Ela se sentou no banquinho, um tanto encabulada ainda.

 – Quer beber o que?

 – Uma tequila!

 – Boa, vou tomar uma com você. Garçom, duas tequilas, por favor!

 – Está nervosa? – perguntou Lucas.

 – Eu? Não, não! E você?

 – Um pouco, você ainda é mais bonita pessoalmente. Eu amei seus sapatos, são divinos.

 – Obrigada, são os meus prediletos.

 – Pedi uma mesa mais reservada, o bar está cheio hoje.

 – É verdade.

Depois da tequila o garçom avisou que a mesa estava pronta, os dois o seguiram, ficava no fundo do bar, havia rosas, velas e uma caixa preta com um laço vermelho.

 – O que é isto? – questionou Justine surpresa.

 – Seu presente, como não sei o que desejaria beber, não pedi nada, mas me diga, o que deseja?

 – Vinho tinto suave.

 Ele fez um gesto afirmativo para o garçom ir buscar o vinho.

 – Venha sente-se minha bela.

Justine estava vislumbrada, ainda não conseguia acreditar que um homem havia feito tudo àquilo para ela na primeira noite que se encontraram, coisa que ela não conseguiu em dois meses de namoro.

 – Está tudo bem?

 – Sim Lucas, está perfeito. Posso olhar o que há na caixa?

 – Claro é sua, mas recomendo que apenas tire a tampa.

A curiosidade de Justine que já não era pouca cresceu mais, rapidamente ela puxou a caixa, puxou a fita e levemente tirou a tampa. Seus olhinhos de menina brilharam, era como ganhar a primeira boneca.

 – É para mim!?

 – Sim, todo seu.

 – Nossa! Acho que não devo aceitar.

 – Porque não? Por favor, mesmo que não queira usar comigo, é seu.

Justine ficou pasma com o presente, olhou para Lucas e não resistindo o beijou.

 – Uau! Que beijo é este minha linda! Maravilha!

 – Desculpa…

 – Não – ele segura suas mão – nunca me peça desculpas, eu deveria lhe pedir isto todos os dias por desejar roubar um pouquinho de você para mim.

Rubra Justine se levanta.

 – Eu vou ao banheiro!

 – Não vai fugir? Por favor, sinto muito se disse algo.

 – Não, só quero ir ao banheiro.

Ela se virou e foi para o banheiro sem olhar para trás, as pernas estavam ainda mais bambas e o rosto parecia queimar, aquele homem sabia mexer com ela. A forma com que a tratava, fazia-a se sentir uma rainha. O banheiro estava deserto, então ela lavou as mãos, se olhou no espelho e disse.

 – Pare de agir feito uma menina boba! Você viu o presente, sabe o que ele quer, se você quer, o que há de mal nisto!

Ela retocou a maquiagem, ajeitou a roupa e repetiu para si mesma.

 – Essa será uma nova página em minha vida, uma nova aventura.

 

Continua…