RSS Feed

Monthly Archives: Setembro 2008

Nota de esclarecimento sobre Justine!

Olá caros leitores, sei que muitos adoraram as aventuras da Justine, e já estou trabalhando no próximo capitulo da louca jornada da nossa anti-heroína, mas gostaria de deixar bem claro que, ela é fictícia, Justine e eu somos pessoas diferentes.

Recebi uma série de comentários sobre, e e-mails também, e quero deixar claro aqui que é tudo profissional.

O nome Justine surgiu da minha paixão por Sade, e não me liguei que já usava este nome em um projeto paralelo como modelo alternativo no site Xplastic.

Por favor, mantenham o respeito, não só a mim, mas com todas as modelos do site, garanto que não deve ser somente eu que recebo e-mails com propostas indecentes.

Não sou profissional do sexo, aquilo é apenas trabalho como qualquer outro. Respeito as profissionais do sexo, mas eu sou só algo do imaginário. Assim como a personagem.

Não vamos misturar as coisas e nem ofender!

Respeito é bom e todo mundo gosta!

Freak Butterfly.

Bate-bola com “Percival Mendes” – Segredinhos de meninos

Conversando com um amigo, aliais, desabafando com ele sobre como homens são complicados, me veio a idéia de fazer uma espécie de bate-bola, e assim tentar saber um pouquinho mais do que se passa na cabeça de um homem.

Percival Mendes é o nome fictício, ele não quis se revelar não sei o porquê, mas segredo é segredo.

Escolhi o nome, pois é um personagem de Nelson Rubens com a seguinte descrição: moreno, pintoso, bonitão parecido com o César Romero.

A foto ao lado é do ator Cesar Julio Romero Jr. que o autor se referiu em uma de suas crônicas.

Já o nosso Percival Mendes é roqueiro e tem 23 anos.

Veja no que resultou esta divertida conversa.

Freak Butterfly: Então, você acha que pode realmente haver amizade entre homem e mulher sem desejo da parte masculina?

Percival Mendes: Sim!

Freak Butterfly: Como?

Percival Mendes: Tenho várias amizades com garotas e não sinto a melhor atração sexual ou algo do tipo por elas, é assim algo de irmão mesmo, de querer cuidar, nada mais!

Freak Butterfly: Estou perguntando por que as pessoas misturam muito amor de amigo com amor de relacionamento, e muitas vezes quando você tenta deixar claro, a pessoa não entende e acaba por terminar uma amizade que poderia durar muito, você já passou por isso?

Percival Mendes: Não, aliais minha ex-namorada, antes de começar nosso namoro éramos só amigos, muitos anos depois de um tempo sem se ver começou rolar um interesse maior… Mas foi algo recíproco, o namoro durou um bom tempo depois!

Freak Butterfly: Isso é legal, tendo em vista que o namorado acima de tudo tem de ser amigo, mas até que ponto você acha que um namorado deve ser amigo, pois sabemos que homens (namorados principalmente) não são tão pacientes como amigos no geral.

Percival Mendes: Cara, namoro na própria palavra diz: amor! Amizade e companheirismo fazem parte disso tudo, ao menos pra mim. Namoro ali só pra sexo é fácil. União, respeito, cumplicidade, carinho, romance, isto tudo tem que em um namoro. A ausência ou excesso de todas estas coisas podem gerar conflitos. Por isto é importante ser verdadeiro e honesto o tempo todo e expor as coisas.

Freak Butterfly: Nossa! Você está solteiro? Porque depois de tudo isto, milhões de garotas vão desejar ter ao menos um clone teu!

Percival Mendes: Teoricamente sim!

Freak Butterfly: Porque teoricamente? Por acaso existe namoro teórico e namoro pratico?

Percival Mendes: Eu estou solteiro, porem apaixonado!

Freak Butterfly: É minha gente, o amor é lindo! (risos)

Percival Mendes: E como é! (suspira)

Freak Butterfly: Na teoria o amor existe mesmo, mas você crê neste tal de amor?

Percival Mendes: Sim claro! E é ótimo quando é recíproco.

Freak Butterfly: Sim, concordo, mas vamos parar com esta coisa melódica e ir logo pro hardcore. Amor e sexo para você são?

Percival Mendes: Coração e tesão.

Freak Butterfly: Amor sem sexo?

Percival Mendes: Vira amizade.

Freak Butterfly: Sim querido, mas isto é na musica da Rita Lee. Na vida, no cotidiano, o que você acha do sexo casual?

Percival Mendes: Acho foda e valido! desde d q aja respeito. Sem essa de: “nossa que puta ou nossa que cara galinha” ou coisas do tipo saca, isso é péssimo. Os dois estão ali se curtindo um momento, e tal não tem q existir preocupações e pré-julgamentos.

Freak Butterfly: Concordo, acho que o sexo casual é uma libertação, principalmente para as mulheres que passaram muito tempo reprimidas, sou à favor, mas a maioria ainda tem medo dos julgamentos.

Percival Mendes: Fato.

Freak Butterfly: O que você como homem diria a elas?

Percival Mendes: Relaxa e goza! (risos)

Freak Butterfly: Boa, muito boa! Agora vamos falar de estereotipo, é um assunto que afeta não só mulheres, mas aos homens também. A reclamação universal é estar acima do peso, seja homem, mulher ou derivados, todos estão descontentes. O que você pensa sobre isso?

Percival Mendes: Penso que você tem que se amar. Se acha que está fora do peso e está descontente, porque não correr atrás de malhar e se sentir bem, por outro lado tem gente que não ta nem fodendo pra isto e arrasa do mesmo jeito e até mais. A beleza é a atitude que sai de dentro, fato!

Freak Butterfly: Concordo por demais. Mas eu sou uma destas afetadas pela mídia, eu escrevo sempre pras pessoas se amarem como são, mas tenho meus distúrbios, o problema é que este problema nos outros não me afeta, apenas comigo mesma, eu não vejo cara, vejo coração, vejo atitude, eu amo pessoas que dão a cara a tapa. Mas acho que, infelizmente, mesmo amando jornalismo, a mídia estragou tudo que há de belo nas pessoas, ela destruiu o amor próprio.

Percival Mendes: Falou tudo sobre a mídia. Enquanto as pessoas não ousarem e pensar no que de fato agrada, tudo isso irá continuar.

Freak Butterfly: Mas hoje estamos aqui para isto né querido? Vamos mostrar pra mulherada que não é necessário ser a Gisele Bündchen, porque duvido que ela não tenha celulites! Vamos ver seu exemplo, o que mais lhe atrai em uma mulher? Seja sincero viu!

Percival Mendes: Poxa, difícil. Estilo, beleza, corpo, atitude e cabeça. Poxa essa é difícil.

Freak Butterfly: É eu sei, vamos fazer um jogo rápido quem sabe ajude a decidir. Mas cuidado com as palavras, você se contradiz quando diz “beleza e corpo”, ambos são extremamente relativos.

Percival Mendes: Ok! mas nada contra, eu já namorei “gordinhas”.

Freak Butterfly: Primeiramente, o que quer dizer “gordinhas”? Porque das aspas?

Percival Mendes: Não quer dizer nada, eu hem! (risinhos)

Freak Butterfly: Loira, morena, ruiva ou cabelo colorido?

Percival Mendes: Morena.

Freak Butterfly: Pele branca, morena, bronzeada, negra ou oriental?

Percival Mendes: Putz, ai não há preferência. Posso ser guloso?

Freak Butterfly: Pode! Olhos claros, negros ou castanhos?

Percival Mendes: Cada rosto pede um!

Freak Butterfly: Ai você me complica em ajudá-lo! Prefere ocidental ou oriental?

Percival Mendes: Ocidental.

Freak Butterfly: Magra, malhada, modelo ou uma gordinha “Dove”?

Percival Mendes: Curto magra, malhada e uma gordinha “Dove”. (risos)

Freak Butterfly: Mas tu és guloso mesmo hem?! Falando nisto, li certa vez que os homens gostam das “gordinhas”, mas muitas vezes tem medo de assumir por causa dos amigos, o que você acha?

Percival Mendes: Medo! Engraçado isso, (risos) eu em!

Freak Butterfly: É, mas os homens ainda têm medo do que os amigos vão falar. Fato, homens não espalham que comeram uma gordinha linda e sim que comeram a loira gostosa.

Percival Mendes: Depende do gordo. Gorda não é o mesmo que cheinha.

Freak Butterfly: Eu não digo obesa, mas há amores para eles também, não acha?

Percival Mendes: Acho, e também acho a mesma coisa das mulheres.

Freak Butterfly: Como assim? Você acha que as mulheres não falam que pegaram um gordinho?

Percival Mendes: Sim, acho que as minas não vão sair espalhando que transaram com um Jack Black.

Freak Butterfly: Eu já comi gordinhos, já ate noivei com um, mas já acabamos. Mas vem cá, tu já comeu uma gordinha?

Percival Mendes: Já transei com uma cheinha, e que cheinha gostosa.

Freak Butterfly: É verdade que as cheinhas são mais dedicadas?

Percival Mendes: Não sei, foi uma rapidinha apenas. Não deu pra sacar.

Freak Butterfly: É que a uma “lenda” de que as gordinhas são melhores na cama por haver mais dedicação. É uma espécie de compensação, por não se acharem atraentes (mas vocês são deliciosas), elas compensam com um sexo fenomenal. Falando em sexo, o que o homem mais aprecia na preliminar?

Percival Mendes: Eu piro na sedução, antes de tudo o contato na pele, provocações e depois o sexo oral.

Freak Butterfly: Me diga uma coisa, muitas mulheres sentem vergonha quando engasgam por tentarem chegar mais “fundo”, o que você acha disto?

Percival Mendes: Acho que não da pra pensar em nada, acontece, é normal.

Freak Butterfly: Tem quem ache sexy sabia? Um amigo meu disse que da a impressão de que ela quer mais e mais de que é uma gulosa e isto o excita mais!

Percival Mendes: hum… Tem gente que fica com tesão né. Porque sexy me vem outra coisa a cabeça. Mas mulher gulosa, isso de com vontade ao pote… hum!

Freak Butterfly: Dentro de quatro paredes vale tudo?

Percival Mendes: Vale tudo dentro do limite de cada um.

Freak Butterfly: Posição preferida?

Percival Mendes: Piro em todas, mas eu por baixo domino e de quatro não duro tanto de tanto tesão.

Freak Butterfly: Prefere mulheres atiradinhas ou as que esperam iniciativa?

Percival Mendes: “atiradinhas”

Freak Butterfly: O que você gosta de receber?

Percival Mendes: Oral!

Freak Butterfly: O que mais gosta de fazer?

Percival Mendes: Oral!

Freak Butterfly: Todo mundo adora um tapinha, mas nem sempre confessa. Curte tapinhas?

Percival Mendes: Não, prefiro aranhões, mas já pedi uns tapas na cara só pra empolgar.

Freak Butterfly: E dar tapinhas, curte?

Percival Mendes: Tapões!

Freak Butterfly: Um lugar diferente que já transou?

Percival Mendes: Corredor do prédio.

Freak Butterfly: Um lugar que gostaria de transar?

Percival Mendes: Terraço de prédio.

Freak Butterfly: Sua maior fantasia sexual é:

Percival Mendes: Duas minas, mas duas minas destruindo mesmo.

Freak Butterfly: Típico, masculino! Algo que você não aceita é:

Percival Mendes: Me comer, literalmente.

Freak Butterfly: Você acha que receber um “fio” terra, afeta a masculinidade de alguém?

Percival Mendes: Acho que não… Mas é coisa de gosto.

Freak Butterfly: Pois é, porque não afeta mesmo! Você geme?

Percival Mendes: Acho que dou uns gemidos. Gosto de fazer, ou tentar fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Freak Butterfly: Gosta de palavrão?

Percival Mendes: Palavrões apimentam, mas falar demais pode cansar.

Freak Butterfly: Do que gosta de chamar a garota na hora da transa?

Percival Mendes: Não sou muito disso.

Freak Butterfly: Mas então pra encerrar, o que se passa na cabeça de um homem na hora do sexo?

Percival Mendes: Fico pensando na mina gostosa. Mas acho que homem (ou ao menos eu), fica pensando em coisas não.

E este foi nosso bate-papo, gostaria de dizer que não era nossa intenção ofender alguém, seja o que for, aqui foi a opinião de uma pessoa sobre determinados assuntos, e na questão dos “tapas”, não, não estamos fazendo apologia à violência. Somos contra isto e sabemos que pra tudo há limites.

Diga sim a Lei Maria da Penha!

Diga sim a sua liberdade e seus valores morais e éticos. Não vá pela cabeça dos outros, siga teus instintos.

Freak Butterfly.

Pergunte, eu te escuto!

Às vezes há coisas que temos vergonha de perguntar ou desabafar até para a melhor amiga, tenho recebido vários comentários e alguns questionamentos, dentre eles, estou aqui disposta a responder alguns.

Então, vamos por partes:

Juliana (21/09/2008): “EU ADORO USAR LENÇOS NO PESCOÇO TENHO VÁRIAS CORES E TAMANHOS, MAS NÃO SEI DIREITO COMO COLOCAR NA MODA CERTA NO PESCOÇO, GOSTARIA MUITO DE UMA DICA.”

Então querida outra leitora também me pediu a mesma dica, e aqui mesmo neste blog, foi posto algumas, veja em: https://freakbutterfly.wordpress.com/2008/08/17/duvidas-lenco-no-pescocoduvidas-lenco-no-pescoco/

Aninha (29/09/2008): “e quais os tipos de tratamento?”

Bem querida, sobre auto-flagelo é muito complicado, isso primeiramente tem de começar de você querer parar de se punir, depois você reflete o porquê de tal punição, e claro procura um psicólogo que mais a frente lhe encaminhará a um psiquiatra. Os tratamentos normalmente são dois. Primeiro a psicoterapia e segundo através de remédios controlados, assim que seu diagnostico foi dado. Normalmente este ato é conseqüência de uma outra síndrome chamada de Mania que está presente em pessoas Bipolares. Então o que você pode fazer é procurar o mais rápido um psicólogo. Eu também sofro deste problema e sei que temos de achar outras formas de desabafo que não nos cortar-mos vivas. Eu repito, procure um médico, ele irá saber qual tratamento se enquadra no seu diagnostico.

Leia um relato neste site: http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol33/n5/272.html certas coisas podem nos fazer refletir.

Luana (25/09/2008): “Ola todo bem…. Tenho 24 anos e nunca senti o tal do orgasmo. Sinto muita dor na hora da penetração quando eu e meu namorado estamos juntos, mas depois não sinto nada é só na penetração mesmo. Tenho desejos, vontades a gente conversa mto ele fica louco pra eu chegar no climax como ele mas não consigo posso tar com mto tesão mas não consigo gozar. Ultimamente tenho me tocado mto qdo to só em casa as vezes acho que to quase lá mas não acontece. Será que vc pode me ajudar?

Abraço”

Um grande abraço pra você também querida! Então isto que você tem se chama ANORGASMIA, ou seja, uma difusão orgástica que se define com a ausência ou persistência do orgasmo. No seu caso Luana é a ausência. Há dois tipos de classificação, no seu caso seria secundária, quando, depois de um período em que era possível para a mulher atingir o orgasmo, isso deixa de acontecer, independente da forma da relação ou masturbação. Quanto à dor na hora da penetração, pode ser falta de estar realmente relaxada, pois excitada é uma coisa, relaxada é outra. Esta que vos escreve sente a mesma coisa, então não entre em pânico, você não é a única. Os motivos da dor na hora da penetração pode ser vários, como disse, por não estar totalmente relaxada, ou também por sua cavidade vaginal ser estreita, o que não é anormal. Procure usar lubrificantes, eles ajudam a diminuir a dor na penetração, agora se a dor também está presente durante o ato, isto é DISPAREUNIO. No caso da penetração pode ser também VAGINISMO, que é a contração involuntária da vagina ou anus. Preste atenção nos detalhes e procure um ginecologista.

Uma dica é: PARE DE ESPERAR O ORGASMO CHEGAR! Isto lhe deixa preocupada e não a deixa relaxar para senti-lo. Apenas relaxe, não fique na expectativa, quando menos esperar ele vem, diga o mesmo ao seu namorado, pois ele quer tanto lhe dar um orgasmo que muitas vezes sem querer, lhe pressiona e você mais uma vez fica tensa.

RELAXA E GOZA MINHA AMIGA!

Você consegue, tente com um vibrador, eles são mais rápidos que os dedos. Qualquer coisa tente umas praticas deste artigo: https://freakbutterfly.wordpress.com/2008/08/19/segredos-da-china/

Kaotik2003 (27/09/2008) achei muito válido você seu comentário sobre o artigo: https://freakbutterfly.wordpress.com/2008/07/27/relacionamentos-%E2%80%93-namoradas-problematicas/

Realmente, é incrível como há pessoas que queiram ser desta forma. Se você precisar de apoio pode contar. Bipolaridade é algo sério, e deve ser tratado como tal e não uma modinha adolescente.

Bem pessoal é isso ai, qualquer dúvida, qualquer pergunta, é só mandar que estou disposta ajudar no que estiver ao meu alcance. Meu e-mail: poliszanini@hotmail.com

Agradeço a todos que estão sempre aqui e me apóiam, sem vocês este blog não aconteceria. Esta semana fique ligado, muito mais há por vir.

Freak Butterfly.

Lubrificação feminina

Uma leitora me perguntou sobre quando falta lubrificação até mesmo na masturbação. Bem, não sei os motivos em que ela se masturba para que isto ocorra, já que nos masturbamos quando há desejo, e nisto a lubrificação surge, junto à excitação.

Mas não se assuste, saiba que, com o passar do tempo e as transformações hormonais, nosso corpo pode não responder tão fácil aos estímulos.

O desejo sexual, nem sempre coincide com a lubrificação, que na relação sexual a lubrificação exerce um papel determinante, facilitando o toque e a fricção, tornando a relação confortável e gratificante.

Se a lubrificação não acontece espontaneamente, use um gel lubrificante, mas o que eu sempre digo é: busque um profissional qualificado. O ginecologista não é o bicho papão que pintam por ai, na realidade ele deve ser visto como seu melhor amigo(a). E com ele(a) que você deve fazer todas as perguntas e se abrir inteiramente (não digo no exame do preventivo), ele(a) é um profissional que está ali para lhe ajudar e tirar suas duvidas. Eu confio no meu, e quando vou não êxito em tirar minhas duvidas.

Normalmente a falta de lubrificação é devido à falta de excitação ou porque não estava totalmente relaxada, algumas vezes acontece de na masturbação as mulheres não se sentirem “molhadas”, mas não é um caso sério. Preste atenção quando esta lubrificação faltar nos atos sexuais.

Se você está na menopausa, uma reposição hormonal pode lhe ajudar.

Mais uma coisa, o uso excessivo de absorventes internos também pode lhe prejudicar, ou até mesmo um efeito colateral de medicamento especifico.

Como disse, não sou especialista, nem ginecologista, mas espero ter lhe ajudado cara amiga.

Procure seu ginecologista ao menos duas vezes ao ano para exames rotineiros.

Freak Butterfly.

Porque comer fora se agora tem em casa?

Muitos homens sentem pânico quando o assunto é casamento, a idéia de estar presa a uma única pessoa, não é tão assustadora quanto fazer sexo com apenas uma pessoa.

Tudo bem, a idéia pode parecer estranho e difícil de ser aceita, mas pense bem, há estudos que afirmam: homens casados fazem mais sexo.

Se o seu objetivo na vida é ter mais sexo, aposte no casamento.

Veja agora 4 mitos que a revista Men’s Health desvendou.

· Amar significa estar louco de paixão: foi-se o tempo que para saber se amava a garota seu coração deveria acelerar, a boca secar e as pernas bambear por ela, saiba que quanto mais seguro de si e mais maduro o homem fica, menor as chances disso acontecer, afinal sua adolescência já terminou e se não terminou, isso passa. Paixões arrebatadoras podem ate acontecer, mas não fique esperando por isso, pare de perder tempo, porque isto não é garantia de nada. Porque várias mulheres que não podem deixá-lo sem fôlego à primeira vista, pode lhe inspirar por anos e anos a fio. Homem quer uma parceira, não alguém que vá completá-lo, afinal, você já não é mais um garotinho.

· Casamento é se anular: Estudos mostram que, em média, homens casados chegam às vias de fato mais vezes que seus colegas solteiros. E sim, este sexo todo é com a mesma mulher, e esses estudos não dizem nada sobre a qualidade destas transas. Claro que há homens sortudos que têm tudo, qualidade e quantidade com uma variedade infinita de mulheres, mas venhamos e convenhamos você acha que pode ser um deles? E mesmo que você seja, acha que isto irá dura quanto tempo? Se sua aposta é o melhor do sexo, prepare as alianças. Saiba que qualidade é algo que só depende de você e dela (e um ótimo diálogo).

· Vocês precisam ter muito em comum: tire da cabeça esta idéia de que vocês têm que ter muito em comum ou as idéias baterem, pare de procurar a tampa da panela, pois ela não existe. Não dá pra existir dois seres humanos iguais. O melhor de um relacionamento é terem pontos de vistas diferentes do espetáculo todo. Não faça disto um campo de batalha e pare de dizer que está atrás do seu “tipo” de mulher. O que vocês precisam ter em comum é pertencerem a mesma espécie e claro coisas mais corriqueiras em comum para grandes decisões da vida, como ter filhos ou não. Há mais chance de dar certo se forem diferentes, do que duas pessoas que seguem a mesma cartilha. Pessoas parecidas podem sufocar um ao outro. Você não deixaria de casar com a musa sexual pelo simples fato de não serem do mesmo time não é?

· Ela tem que ser perfeita: mulher não é um eletrodoméstico a ser avaliado. Não veja o casamento como uma compra onde você faz uma analise do “objeto” para saber se ele está no mais perfeito estado. Pare de olhar qualidades e defeitos e veja o que ela realmente significa para você. Porque no final, ninguém é perfeito, nem você. Uma mulher não precisa de beleza ou intelecto para ser a mulher fabulosa. Tudo que é belo, tem uma rachadura, escreveu Leonard Cohen, é por essa rachadura que a luz penetra.

Não entre em pânico quando a vontade de se amarrar a alguém bater. Você não será o cara mais “burro” da turma por sentir vontade de usar um “bambolê de otário” no dedo. Use do casamento uma forma de se gabar dos seus amigos. Esta relação só entra em crise por falta de paciência e diálogo.

Uma boa conversa, ser paciente naquelas fases ruins que toda mulher enfrenta, ou seja, a TPM.

A única coisa que no final das contas você deve saber se a mulher é ou não perfeita para você é: ela vai estar ao seu lado nas horas difíceis?

Sabe aqueles votos, na alegria ou na tristeza, na saúde ou na doença? É isto que você precisa saber, se na hora que o cerco fechar, se na hora que o dinheiro faltar ela vai estar ai. Se você achou a resposta, aí sim, você achou sua mulher perfeita.

Freak Butterfly.

Coma no café da manhã

Você teve uma noite incrível e ao despertar lá está ela, deitada ao seu lado no sonho de beleza, corpo quase nu e seu desejo ao relembrar do que fizeram na noite anterior vem à tona?

Calma rapaz, saiba que as mulheres tem um ritmo diferente pra encarar o sexo matinal (claro que há exceções).

· Seja um cavalheiro: nenhuma mulher no mundo se sente à vontade em beijar ao acordar, isso porque ela quer se livrar do hálito matinal, então porque não levar o café na cama? Saiba que a maça é uma fruta que elimina certos hálitos que nos incomoda, ou então quem sabe um suco pra aliviar as tensões da moça.

· Sem papas na língua: só em novelas e filmes pra você ver a mulher acordar com maquiagem intacta da noite anterior, ou com os cabelos arrumados, então não se espante se parecer que o furacão passou na sua cama, pois este furação pode ter seu nome. Então, para não deixa-la sem jeito ao estar descabelada, elogie-a, diga o quanto é linda e gostosa e aja naturalmente.

· O futuro: Depois daquela noite você já sabe o que quer para seu futuro? Está realmente interessando em investir em um relacionamento? Então não perca tempo, dê seu recadinho no café-da-manhã, que tal colocar um bilhetinho ou um convite com a simples frase de: “Vamos repetir a dose?”.

· Não se cale: não perca aquele clima da noite anterior, ao acordar ofereça a ela uma camiseta sua, assistam TV, conversem, não perca o assunto. A principio pode parecer meio constrangedor, mas assim pode pintar o convite para um próximo programa e também para se conhecerem mais a fundo.

· Paciência é uma virtude: a lua se foi, mas isso não quer dizer que a “noite” terminou. Mostre a ela que curtiu o encontro e em hipótese alguma fique de olho no relógio ou na porta.

São pequenas atitudes tuas que podem fazer valer um próximo encontro, ou se tua intenção não é esta, ao menos não vai levar famas das quais não gostaria, pois afinal, mulher sempre conta às amigas sobre seus encontros.

Freak Butterfly.

Você sabia: Fragmentos da história da sexologia

Depois de algum tempo sem escrever a vocês sobre o assunto, hoje venho lhes falar um pouco sobre a historia da sexologia.

Você sabia que os primeiros registros sobre o comportamento sexual humano é estimado à cerca de 22 mil anos atrás?

Isto mesmo, os dados são baseados em registros da “Pré-história” onde a sexualidade é dada pela “lei da natureza” tal como animais. Durante milhares de anos, os humanos se reproduziam para a procriação.

Monogamia, poligamia ocasional, poligamia regular e poliandria (excepcionalmente), eram vistos em uma sociedade arcaica. Também eram feitos rituais de abstinência para evitar gestações, até que o bebê atingisse alguma auto-suficiência.

A poligamia só era aceita se houvesse recursos ou necessidades de expansão da população, já a monogamia assegurava a concentração de bens da família, porém mostrava que o homem não tinha condições de manter mais de uma mulher.

Na sociedade contemporânea a monogamia é dominante, porém há algumas regiões onde a cultura permite a poligamia.

O patriarcado surgiu com as primeiras civilizações da era do Bronze, subjugando as sociedades matriarcais e enfatizando a prostituição e o adultério.

Também há 20 séculos, os chineses, indianos e árabes produziram o TAO, o Kama-Sutra e o Jardim Perfumado, verdadeiros tratados sobre os prazeres sexuais.

No fim do século XII, o sexo foi considerado obra do demônio e combatido pela Santa Inquisição. As mulheres que viviam dos “prazeres da carne” e até mesmo as “moças”, por serem simplesmente atraentes e sedutoras, eram suspeitas de bruxaria e relações com diabo, apesar de virgens eram queimadas na fogueira por representarem um perigo.

O século XIX se iniciou o controle médico às prostitutas. O casamento foi legalizado. A masturbação considerada causa de problemas físicos e mentais, é dêem graças a Deus que esta era terminou, se não se “conhecer melhor” não existiria.

Neste mesmo período o Vitorianismo incitava à repressão dos desejos sexuais, paradoxalmente abria espaço ao inicio da Sexologia, bem como às investigações de Freud.

O século XX as doenças venéreas, mais bem tratadas, também ameaçaram mitos e tabus, assim como a liberação dos costumes (que seguiram pelas duas grandes guerras) e os avanços em Fisiologia, Anatomia e Sociologia.

Ainda em meados do século XX, com a liberação dos anticoncepcionais o erotismo foi liberado. Consequentemente, nas ultimas décadas, mudanças econômicas, religiosas, sociais e novas descobertas cientificas, aliadas às contribuições da Psicologia e da Medicina, na avaliação e no tratamento dos problemas do comportamento, refletiram-se nas atitudes de homens e mulheres.

No inicio do século XXI, os profissionais começaram a reconhecer que a experiência, o amadurecimento físico e emocional, a intimidade com o (a) parceiro (a), um bom padrão de conhecimento sobre o assunto, além de hábitos saudáveis de vida e saúde geral preservada são imprescindíveis para garantir êxito na satisfação sexual.

Freak Butterfly

*Fonte: Ciência e vida: Psique edição Especial, ano III nº9.