RSS Feed

Tag Archives: tabus

Música, Fetiches e Tabus

Não é de hoje que sinto vontade de escrever sobre tal tema, porém, agora, podemos vê-los cada vez mais explícito em vídeo clipes o erotismo, o fetiche e a quebra de alguns tabus. Também não é de hoje que isso vem acontecendo.

Minha primeira relação com a musica e o fetiche foi nos vídeos da banda que mistura punk com rockabilly  “The Cramps”, o primeiro vídeo que assisti foi “Naked Girl Falling Down The Stairs”, onde Lux Interior aparece trajando um ‘catsuit’ em látex vermelho e scarpin, remetendo facilmente ao fetiche S&M, podolatria, além de temas explicitamente sexuais, vistos também no vídeo “Like a bad girl Should” que além de falar de ‘bundas’, mostra Poison Ive calçando as meias 7/8 e scarpin, além da pegada Domme que ela exerce no vídeo. O que era ousadíssimo para a época, hoje seria fichinha comparada aos delírios de Lady Gaga.

Ainda em minha jornada musical, me deparo com o trio inglês Placebo, com Brian Molko nos vocais, nitidamente andrógeno, atraindo os olhares de homens e mulheres. Entre as melodias melancólicas e sensuais, surgem clipes como “Nancy Boy”, em um clima sádico, o excêntrico diretor Howard Greenhalgh, passou a fazer outros vídeos da banda como “Bruise Pristine”, que é um pouco mais fetichista que o anterior citado, no DVD da banda, Brian Molko diz adorar a ousadia do diretor, mas temia que os clipes não passassem pela censura para ir ao ar. Um vídeo polêmico envolvendo a banda seria “Protege Moi”, onde a câmera passeia pelo que seria uma festa de swing. Mas estes seriam apenas alguns dos clipes com pegada fetichista e também envolvendo tabus como a homossexualidade (sim, pode não acreditar, mas isto ainda é um tabu).

Antes das cantoras de música pop dizer que beijaram meninas e gostaram, Madonna já tinha doutorado no assunto, sempre envolvida em performances polêmicas e vídeos ousados. O que mais poderia falar de Madonna depois de assistir “Like a prayer” (1989) cruzes pegam fogo e ela faz amor com um santo negro, quer romper mais Tabu do que isso??? Mesmo sendo criticada pela igreja, ela não se abalou e seguiu sua carreira linda e poderosa. “Like a virgen” é ainda um dos seus maiores e mais popular hit, rompendo novamente outro tabu, o da virgindade e ainda simulando uma cena de sexo com os famosos ‘sutien cone’, popular hoje entre as cantoras em suas mais variadas formas. Em “Justify my Love”, Madonna visita um bordel sadomasoquista e ainda beija uma moça travestida de homem (e por sinal esta moça era uma modelo brasileira, seria um fetiche da diva modelos(as) brasileiros(as)?). Bem, não caberiam aqui todas as extravagâncias desta diva pop que sem duvida deu o pontapé para outras moças ousarem.

Britney Spears tirou suspiros em seu primeiro CD “Baby one more time” com clipe no mesmo nome, onde trajava uniforme colegial (um tanto ousado), sendo este um dos grandes fetiches da marmanjada, sem contar o culto à virtude. Em pouco tempo Britney já estava na boca do povo no dilema “é virgem ou não é”. Viajando na fantasia dos homens, logo ela ficou louco e decidiu ser a próxima Madonna (o que nunca vai acontecer, afinal cada uma é uma) e foi no clipe “Slave 4 U” que ela mostrou as garrinhas no meio de um monte de homem. O que hoje é mais comum em vídeos do que nunca, é a cantora no meio de uma surruba, até Miley Cyrus já o fez (sim, aquela Hannah Montana que as criancinhas assistem). Ela beijou a diva Madonna e depois de “perder” os cabelos e surtar várias vezes, ela voltou com tudo usando meia arrastão, couro, dançando pole dancing, dizendo que a 3 é mais gostoso, em festas com homens e mulheres e mostrando que todos tem dois lados. E assim segue Britney.

Saindo do Clube do Mickey (assim como Britney) Christina Aguilera levou os marmanjos ao delírio em seu CD “Back to Basic” onde renasceu (já que sua carreira a muito estava adormecida) uma pin up. Meias 7/8, ligas, cílios bem marcados, boca escarlate e sapatos em destaque foi sua marca, até meados de 2008, quando sumiu, retornando em 2010 mais nunca com o single “Not Myself Tonight”, coberta de látex, ballet heels e até mesmo um arreio (deslumbrante). De doce e virtuosa a um furacão sexual.

Mas a bomba sexual do momento é a atômica Lady Gaga, sempre com figurinos excêntricos e polêmicos, Gaga conquistou milhões com seus vídeos que exalam o fetiche. Latex já é uma marca registrada nos clipes da moça, que inspirada no glam rock, sempre ousa nas produções e nos saltos, que levam os submissos e podólatras ao delírio. Logo de cara em “Poker Face”, a mocinha sai da piscina vestida com o que parece ser um ‘catsuit’ preto e salto altíssimo. Mas o clipe que me chamou a atenção para a pegada fetiche sem dúvida foi “Paparazzi” (que está mais para um curta metragem que um vídeo clipe), bastou ela cair da sacada e voltar com aquele corset de aço que lembra um cinto de castidade, um suporte para o pescoço também em aço (me parece aço ou inox, algo do tipo) e imagens intercaladas a esta onde a moça aparece com uma roupa de vinil, eu vidrei. Sempre com sapatos lindíssimos e salto agulha (que são sonho de consumo), acabou cativando também os fãs do BDSM, seguindo a linha ousada de “Alejandro” repleto de látex, homens de salto alto, inversão de papeis, e apelação religiosa (assim como Christina Aguilera no clipe de ‘Not Myself Tonight’, o que parece ser moda entre as cantoras pop), no vídeo de “Telephone” onde brincou com o boato de que era hermafrodita e fez par com a musa Beyoncé (que agora anda mais ousada que nunca), e agora em seu mais novo trabalho “Born this Way”, que por sinal, acabei de assistir, é uma produção magnífica e repleta de mensagens subliminares altamente sexual que fizeram minha mente viajar e delirar.

Como em todos seus videos, o fetiche está cada vez mais presente, os tabus cada vez mais despedaçados, e sem dar a mínima para o que os outros falam ou julgam, ela segue, ousada e cada vez mais poderosa (sim, e seguira mais forte que nunca mesmo com uma série de vídeos com estudos sobre as mensagens subliminares satanistas que diz haver no vídeo).

Voltando ao rock ‘n roll, uma banda que me surpreendeu e seduziu foi 30 seconds to mars com o clipe “Hurricane” (na versão não exibida pela TV, sem censuras e sem cortes, que agora também foi proibido no Brasil em diversos sites, pois nesse país só se pode ver sexo e todo tipo de ‘putaria’ nas edições do BBB), apesar da letra um tanto melodramática, as imagens que compõem o clipe são maravilhosas, ali uma combinação dos mais variados fetiches, apesar de muitas criticas, este ainda é um dos meus vídeos prediletos.

Não sei os motivos que levaram a Rihanna da moça com jeito de “praia” para a louca mutante de cabelos e com pouca noção de moda (porém, continua linda), em vários clipes ela já demonstra algumas marcas do fetichismo – pois nunca se viu tanto látex assim na mídia como vemos hoje – agora explicito em seu novo clipe “S&M” (que eu achei até um pouquinho ‘brega’ se tratando de S&M), será que preciso falar mais? A música simplesmente fala que ela adora ser uma menina má, pois assim é mais divertido e que no amor tudo vale quando se tem criatividade. Bem, e coloca criatividade nisso. Saindo da linha noir que se tem visto até então no BDSM, Rihanna aparece com roupas em látex colorido, amarrações de bondage (que eu achei muito fake) também em cordas coloridas, usando chibata, entre outros apetrechos popular entre os amantes do BDSM.

Bem, poderia escrever a noite inteira relembrando cada clipe que assisti de várias bandas e músicos pop que levam o fetiche mais explicitamente do que nunca a publico e não tem medo de dilacerar os tabus ainda resistentes na sociedade (tão tolos como a sexualidade), e mesmo assim não conseguiria terminar a lista. Os citados são apenas uns dos milhares que transbordam sexualidade em suas musicas e vídeos, que invadem a fantasia e o desejo de muitos.

Tabus femininos: Sexo Causal

Hoje, dia 08 de março, comemora-se o dia internacional da mulher. E desde então nós lutamos por nosso espaço, temos direito ao voto, ocupamos lugares de destaque em diversas profissões e aos poucos estamos conquistando mais e mais lugares.

Ainda somos reprimidas por alguns tolos tabus, hoje irei falar do sexo casual. É engraçado como depois de tantos anos de liberdade, muitas de nós mulheres ainda nós sentimos reprimidas quando o assunto é este. Cada vez mais nos tornamos independentes, livres para quais quer escolhas, mas não conseguimos um misero sexo casual. E sabe por quê? Porque os homens não conseguiram entender que sim! Mulheres também transam sem envolvimento emocional.

Sim! É isto mesmo. É engraçado como a maioria dos homens buscam isso nas mulheres, anseiam encontrar uma garota que não deseja compromisso, que ligue para eles quando está afim, mas quando a encontram, qualquer demonstração de desejo dela por mais de duas transas, eles pulam fora do barquinho com medo de que estejam apaixonadas!

E por isso este tabu ainda não foi quebrado, além do mais, ainda temos alguns machistas ou algumas moças conservadoras de mais que adoram julgam quem aderiu a esta pratica livre! Não julgamos se não desejamos ser julgados. Já estamos em pleno século XXI, estamos perto do que possa ser o inicio do tal “fim do mundo” e as pessoas, mesmo em eras apocalípticas não abrem suas mentes e param de tentar meter o bedelho na vida dos outros.

E aos homens, lhes digo, se a garota quiser transar com você mais de duas vezes, não é paixão, há duas hipóteses: ou ela gostou, ou apenas não tem mais opções no momento (porque sim! Mulheres também tem suas necessidades), então abram suas mentes e vejam que os tempos realmente são outros, que as mulheres realmente estão mais pra frente e mais livres para escolher, assim como você, nós também temos desejos e corremos atrás deles como qualquer pessoa saudável.

Então mulheres do novo século, da nova década, sejamos livres, tenhamos desejos e não se reprimam por eles!

Feliz dia internacional da Mulher!

Freak Butterfly (Poliana Zanini)

Vinte e dois anos – A realidade feminina que não muda

Quando estava de bobeira assistindo TV vi o clipe novo (não tão novo assim), da cantora inglesa Lily Allen, 22. Ao ver a tradução da musica, pensei “é comigo”?.

Pra quem nunca ouviu ou viu a tradução desta musica, ela fala que a mulher aos 22 anos tem sonhos, e agora que está chegando aos 30, nota que nada mudou, que nada foi como planejou, e que tudo se tornou ainda mais difícil. Enfim, a realidade das mulheres, digamos, normais (porque no mundo da fama, realmente todas as mulheres se sentem realizadas aos 30).

Canso de ler por ai que é aos 30 que a vida da mulher começa, como naquele filme “De repente 30” desde os anos 80 que nós lutamos para nos sentir-mos realizadas seja no pessoal, quanto no profissional, mas como diz a musica “(…) é triste quando a sociedade diz que sua vida já acabou. Não há nada a fazer, não há nada a dizer (…)”, realmente, um homem de 30 anos solteiro, consegue se relacionar muito mais fácil do que uma mulher, pois quando o tempo passa, muitas de nós (não digo todas não), começam a entrar na paranóia de que não conseguirão casar, não conseguirão ter filhos, e nem conseguirão um bom emprego, pois não basta trabalhar, temos de construir uma carreira.

A sociedade ainda é repleta de tabus hipócritas, que ditam quando temos de casar, quando temos de ter filhos, pois em determinada idade não poderá, pois será arriscado, é tudo regras, é tudo do jeito que eles querem, mas quem são eles?

O grande problema da mulher no fundo é se deixar levar por tais regrinhas. Quando se esta livre, quando não fica correndo contra o tempo, as coisas parecem fluir melhor. Eu ouço quase que diariamente, mulheres reclamando de que o tempo esta correndo, de que elas não têm namorado e já estão com 27 anos, de que logo será difícil ter filhos, e vários outros blá-blá-blás que chega a ser pior que um surto psicótico da TPM. A musica infelizmente é uma realidade social em qualquer país, mas se nos deixar-mos levar por essas idéias falidas que infelizmente muitos compram, estaremos de cabelos brancos e repletas de pés de galinha aos 35, tudo por não saber esperar. A vida não acaba, a vida começa.

Por isso não se desesperem, não se descabelem, pois a vida não, ela não acaba nos 30, também não sei se começa, mas que a vida pode ser divertida, isso, é você quem fará! Por isso força na peruca e vamos a luta que “eles”, no fim, não sabem de nada.

Freak Butterfly

Tabus: Mulheres que falam de sexo

sex

Ok! Isto não parece mais ser um tabu, isto se você não for uma destas mulheres que falam de sexo e não são conhecidas por isso. Estava no banho pensando sobre o assunto e me questionei: Porque falar de sexo assusta muitos homens?

Foi então que comecei a dividir os tipo de mulheres que falam de sexo e como elas são classificadas:

  • As que comentam sobre sexo na mesa do bar entre amigos e amigas: estas são modernas, descoladas, que não tem pudores;
  • As que debatem com os amigos tecnicamente sobre o sexo: estas são as amigas sábias, aquelas que lhe darão bons conselhos e são vistas como sexólogas;
  • As que adoram falar de suas vidas sexuais: estas no mínimo são ninfomaníacas! Elas até podem não ser, podem apenas fazer um bom sexo uma única vez por mês, e mesmo assim são as “malucas”;
  • As que comentam sobre sexo na mesa do bar, que debatem sobre os termos teóricos, que dão conselhos aos amigos, que escrevem sobre sexo ou contos eróticos: estas não têm uma classificação definida, normalmente são confundidas com “Bruna Surfistinha”, ou recebem cantadas de “amigos” para que você de “aulas” sexuais a eles, ou são popularmente conhecidas na cidade em que vivem como “doidinhas por sexo” (esta que lhes escreve é uma delas, sem vergonha alguma por isso, mas revoltada pela estupidez humana e facilidade em julgamentos).

Desde que o mundo é mundo, e Eva mordeu a maça, sexo é sexo, e ponto! Mesmo com toda a revolução feminina, com a queima dos sutiãs, com a independência da mulher moderna, falar de sexo ainda é um absurdo.

Se você tem 30 anos e não casou, e nem pensa nisto, você é uma maluca, pois logo não poderá ter filhos, mas e se estas não quiserem ter filhos? Casar, ser boa dona de casa já não é mais prioridade na vida de uma mulher, nem fará com que se sintam realizadas.

Cada uma com seus planos e prioridades, o que não podemos é generalizar. Assim como há homens de 40 anos que não estão nem ai na palavra matrimonio, e todos acham supernatural!

O que quero dizer é, se bem que posso mais uma vez estar tentando dizer nada, posso apenas estar escrevendo por simples revolta de não ser compreendida, por ser vista como ninfomaníaca e isso afugentar muitos possíveis bons relacionamentos, ou ser vista como “aventura de uma única noite”. Que mau há em ser aventura de mais de uma noite?

Isso é um blog caramba, eu posso falar o que eu bem quiser, um dia se eu chegar a escrever em revistas como NOVA, GLOSS ou até mesmo Men’s Helth (que eu amo ler) eu pratico o jornalismo em terceira pessoa, mas aqui eu posso colocar a boca no trombone e dizer: eu penso, eu falo, eu vivo, e sou feliz assim!

O que agora eu quero mesmo dizer (sim acho que é isso que quero realmente lhes falar caros leitores) é que: parem de perder seu tempo julgando, e tachando, viva a vida! Não é porque uma mulher mais nova (na maioria das vezes) que sabe teoricamente mais sobre sexo que você que você não ensinará nada a mais pra ela (digo isso porque já ouvi esta desculpa também), ou que isso possa afugentá-los. Abram suas cabeças para a mulher do futuro, aquela que pode querer não casar, não ter um relacionamento muito serio, ser independente e ter um cãozinho ou gato ao invés de ter um filho. Este é o mundo de hoje. O mundo prático, rápido e instruído.

Freak Butterfly.

Sexo no primeiro encontro – Assuma os riscos

casal

Quem nunca se perguntou se transar no primeiro encontro é certo ou errado que atire a primeira pedra!

Bem, acho que não fui apedrejada, então vamos seguir em frente.

Uma noite desta me questionei sobre o seguinte assunto: o que o cara pensa de nós, mulheres, que transam no primeiro encontro.

Sem pensar muito tempo sobre o assunto, decidi perguntou a única pessoa que poderia me responder, o homem que eu dividia a cama no exato momento do meu conflito interno. Certo que nunca dei tanta importância para tais questões, já que não sou de sair por ai “dando” pra qualquer um (ao contrário do que muitos pensam, sou seletiva, chata e não ligo no dia seguinte), mas quando sente que algo a mais poderia rolar entre vocês, uma transa assim poderia estragar algo futuro.

Sem pensar muito ele logo me respondeu o seguinte: “Não tenho nada contra (como se algum homem pudesse ter algo contra uma mulher que está preste a lhe proporcionar prazer), acho que mulheres que fazem isto são decididas do que querem, e se fazem é porque sentiu algo, alguma atração pelo cara (isso é fato, mas há aquelas que fazem por diversão mesmo, mas que são decididas do que querem não!) e me sinto privilegiado por estar ser escolhido (bem, como eu sempre digo: o cara já vai “comer” então pra que continuar mentindo?). E então moça, quando vai escrever sobre isto?”

Claro, agente já havia feito um resumo de nossas vidas antes de estar ali e a esta altura ele também sabia que eu escrevo sobre “comportamento”.

Mas voltando ao caso em questão, o fato é que muitos homens já não se importam mais com isso, este é um tabu antigo que esta sendo rompido, como o sexo casual. Mas para muitas mulheres a pergunta nunca cala: o que ele pensará de mim?

Primeiramente: se esta com vontade, não se iniba, mas assuma os riscos desta aventura, tais como:

  • Ele pode não ligar no dia seguinte, nem na semana, no mês seguinte, talvez você nunca mais nem o veja, são riscos que todas estamos correndo;
  • A culpa, talvez no dia seguinte você se sinta culpada e com arrependimento. Não fique se martirizando você não é a única mulher na terra a cometer estas gafes;
  • Ele pode sim se apaixonar e você perceber que não estava tão afim. Vocês podem não acreditar, mas há homens que realmente se apaixonam depois de uma noite repleta de prazeres que você proporcionou a ele.

Perguntei a alguns homens o que eles pensam da mulher que topa transar no primeiro encontro:

 

  • “Penso nada baby se a vibe ta boa ali porque não transar no primeiro. Uma hora ou outra vai transar, qual a diferença de não transar no primeiro e transar no segundo?” (V.F., 27 anos, São Paulo-SP);

 

  • “Então como diria Einstein tudo é relativo. Dependendo do encontro, da mulher, em geral o tema pra mim não tem nada de mais. Juro! Eu já namorei uma menina por mais de um ano e tivemos transa no primeiro encontro” (P.N. 23 anos, Rio de Janeiro-RJ);

 

  • Não é nada demais, nada demais mesmo. Dar ou não dar.” (P.S., , 44 anos, Rio de Janeiro-RJ);

 

Bem garotas estão são algumas opiniões. Se você sente desejo e não vê nada de errado nisto, vá em frente, mas não faça disto uma brincadeira, todos devem impor limites para qualquer situação, mesmo porque a sociedade ainda é machista e “podre”, é muito fácil julgar nós mulheres por seguirmos nossos instintos, enquanto o macho “comedor” sai ileso dos seus “vacilos”.

Lembre-se: Camisinha sempre! Não caia no conto do vigário de que: “é só com você que ele faz isso”. Cuide da sua saúde em primeiro lugar e divirta-se (com moderação). Como disse um caro amigo: “Você só precisa ser seletiva, senão os palhaços colocam teu nome da pista, o que é a única coisa que incomoda as mulheres.”

Para os homens: como eu já disse uma vez, quem come quieto, como muito mais. Quem se vangloria de suas façanhas sexuais fala demais e pouco tem, ou acaba pendendo o mínimo que lhe resta.

 

Freak Butterfly.

Tabus: Masturbação Feminina II

27164

Se você acha que o maior problema da mulher (sexualmente falando) é o ménege à trois ou o sexo anal, saiba que estes tabus não são nada perto da masturbação.

Desde criança ainda na fase genital (segundo estudos de Freud, onde a criança começa a descobrir seu corpo e sempre está com a mão na genitália), os pais repreendem, muitas vezes de forma severa, muitos psicólogos explicam que é necessário que a criança obtenha este conhecimento, para seu próprio desenvolvimento, e os pais nunca devem repreender e sim dialogar com a criança. Estas repreensões acabam gerando uma espécie de trauma, principalmente nas meninas.

Desde pequenas, elas aprendem que o sexo é feio e errado, assim como tocar seu corpo. Já os meninos, são mais, digamos, estimulados a tais praticas mais cedo, para provar a tal masculinidade (de forma desnecessária). Com isso, muitas mulheres crescem sem o interesse em desbravar seu próprio corpo.

Se para os rapazes a masturbação é mais para o próprio prazer, para as moças, ela é sinônimo de descobertas e novos prazeres.

Não se sinta envergonhada em tocar seu próprio corpo, além de prazeroso é saudável conhecer cada parte de nos mesmas.

Este assunto, já tratado anteriormente aqui,veio a tona, pois ainda vejo que muitas moças sentem vergonha de praticar o ato e tentar descobrir onde seu corpo sente mais prazer, o que acaba muitas vezes prejudicando sua vida sexual.

Faça o seguinte exercício sempre que puder:

  • Dispa-se! Vá enfrente a um espelho e admire seu corpo, esqueça qualquer detalhe que a incomoda e admire-se!
  • Deslize suas mais acariciando seu corpo, veja quais lugares lhe da uma melhor sensação, que me excita, fique atenta a cada pequeno detalhe prazeroso;
  • Escorregue seus dedos para a vagina, não tenha medo, se necessário se agache e use um espelho pequeno para olha-la melhor, a acaricie, a estimule e sinta quais pontos, quais lugares você se sente mais excitada;
  • Não tenha medo de penetrá-la com os dedos, descubra seu ponto G, ele será fundamental na sua vida sexual. Para aquelas que desconhecem o seu ainda, faça o seguinte: deslize o dedo como se indicasse o céu, o ponto G é um nervo mais firme, ele é a continuação do seu clitóris, massageie ali e veja o que sente.

Acima de tudo: NÃO TENHA MEDO DOS SEUS DESEJOS, SIGA-OS!

Explore seu corpo sem medo de ser feliz. Saiba também que se masturbar na frente do parceiro pode apimentar a relação. Para muitos homens assistir a parceira se masturbar é incrivelmente sensual e excitante. Então use isto também para esquentar a cama.

Para os rapazes que estão lendo esta matéria, siga algumas dicas para ajudar suas parceiras.

  • Estimule-as a masturbação, mostre o quanto isso o excita e o quanto é bonito o ato do toque. Nunca em hipótese alguma a deixe constrangida, isto pode desencadear novos traumas;
  • As masturbe! Primeiramente esqueça tudo que já assistiu em filme pornô. Esqueça a “esfregação” excessiva e os tapinhas, siga apenas sua parceira, quando ela se sentir a vontade irá lhe indicar onde ela sente mais prazer e o que ela deseja;
  • Seja carinhoso sempre. Se para os homens o prazer vem quase que automático, para muitas mulheres não é assim, por isso tenha cuidado ao toque, não seja bruto, pois o clitóris é uma terminação nervosa muito delicada e qualquer movimento brusco pode machucá-lo, fazendo com que a parceira perca o tesão no exato momento.
  • Acaricie delicadamente, estimule-os entre movimentos horário e anti-horário, seja paciente, valerá a pena.

Estas são algumas dicas que vocês podem colocar em pratica hoje mesmo.

Freak Butterfly

 

Quer mais tuques e sugestões para apimentar a relação?

*Leia: https://freakbutterfly.wordpress.com/2009/02/12/squirting-orgasms-redtube/

https://freakbutterfly.wordpress.com/2008/07/15/os-dedinhos-tambem-fazem-milagres/

*Assista: http://www.redtube.com/8513 o interessante do vídeo é que o casal parece duas pessoas extremamente comuns e amadoras que fazem com que o vídeo seja mais natural.