RSS Feed

Tag Archives: dominação

Justine: delírio

 

Realmente aquele homem era um ser único, e não só pelo olhar enigmático, mas porque aqueles dedos a guiaram para o prazer quase que instantâneo.

                – Meu Deus! – suspirou ela junto a um orgasmo.

                – Estou longe de sê-lo querida. Foi um prazer, mas preciso ir.

                – Mas já?!

                – Sim, preciso viajar ainda hoje, passei aqui só pra tomar uma.

                – Pena… – Justine se levantou fingindo não dar importância pelo desconhecido que estava para partir.

               Ela se levantou e logo cambaleou, as pernas estavam bambas, sentiu o riso em sua nuca.

                – Ficou fraca querida?

                – Estou bem. Tchau! – seguiu sem olhar para trás.

               Darling estava radiante correndo em direção a sua protetora, ela a abraçou e beijou intensamente.

                – A senhora conheceu o Fernando, nem acredito!

                – Ah, então este é o nome dele…

                – É, mas ele não gosta muito de falar sobre, ele gosta de manter esse ar de mistério, isso enlouquece as meninas, todas dariam para ele de graça por horas, e fariam o que ele quisesse sem pensar!

                – Você já fez?

               – A senhora, eu o conheci a algumas semanas. A senhora e o Lucas estavam curtindo a vida de casal, então uma noite ele veio, mas me pagou, muito bem até.

                – E o que ele lhe pediu pra fazer?

               – Bem, ele queria me ver de saltos, salto altíssimos, parecido com aqueles sapatos vermelhos que a senhora tem que nem sei anda neles, mas o dele era preto.

               – Vamos sentar um pouco… Quero saber mais sobre isso.

               As duas foram para a mesa do canto, Fernando já tinha ido embora, o escuro lhe davam privacidade. Justine acenou para uma das meninas e pediu um wisky e Martini para Darling.

                – Vamos querida, continue!

                – Bem senhora, agente foi num quarto barato, em um destes hotéis que tem aqui na rua, ele estava de mochila, sempre muito sério, pediu para que eu ficasse pelada e colocar as botas, eram lindas, como as suas. Eu fiz o que ele pediu, ele mandou eu levantar, mas a senhora sabe que eu não consigo me equilibrar, então falei pra ele.

                – E ele?

                – Ficou bravo, pediu pra me levantar, disse que eu deveria me comportar. Como a senhora já sabe as cena, me segurei na beira da cama, tentando me aproximar da parede, ele pediu que eu caminhasse até ele, mas caí, espatifada.

                – Você se machucou?

                – Um pouco, bati o dente nos lábios e abriu um talho, saiu um pouco de sangue, ele veio até mim, perguntando se eu estava bem, um sorriso diabólico estampava aquele rosto. Ele viu que eu estava sangrando, então ele se afastou, sentou numa cadeira e me chamou.

                – O que ele disse?

                – “Vem minha cadelinha!”

                – Que delícia! – Justine afastou as pernas de Darling para ver se ela estava excitada.

               Bingo! Molhadinha.

                – Quer que eu continue senhora?

                – Claro, claro! Não pare.

                – Eu me arrastei até ele, o chão de madeira antigo esfolou meus joelhos, me ajoelhei na frente dele e apenas o olhei. Ele sorriu, mas dessa vez foi doce, me beijou a testa e mexeu nos meus cabelos e disse que eu era uma boa menina. Me disse que se eu continuasse a obedecer ele me daria um prazer que nunca senti. Eu já tinha ouvido algumas meninas comentar dele sabe. Então fiquei curiosa.

                – O que você? – perguntou Justine ainda a tocando.

               Um breve gemido, Darling tentou fechar as pernas. Justine as afastou novamente.

                – Ai senhora… Que delícia…

                – Cale a boca menina e me conte!

               Entre gemidos, suspiros, Darling tentou prosseguir com a história.

                – Ele pediu para que eu tentasse caminhar novamente. Eu tive medo, ele fico de pé, me deu a mão e me ajudou a levantar, me senti uma criança aprendendo a andar, ele me segurou, mas não da forma segura, só consegui me apoiar, daí dei alguns passos e do nada ele tirou a mão, mais um passo e eu me espatifei na beira da cama. Ai eu soltei uma lagrima, porque bati meu braço, eu já estava pra tirar aquele sapato maldito e sair correndo dali, quando ele me puxou pra cama. Ele me deitou e pediu pra eu ficar quietinha. Repetiu que eu era uma boa garotinha por ter tentado, e não deveria chorar quando caísse, que eu tinha que ser forte.

                – E?

                – Acho que vou gozar… – respondeu Darling se contorcendo.

               Darling gozou e virou o Martini deixando a cabeça cair para trás.

                – Ah senhora… Depois que me deitei, foi uma loucura, ele começou a acariciar meu corpo, meus seios, brincou com os mamilos, mordiscou eles e depois passou a língua, suas mãos desceram até minha buceta, nossa eu tava pegando fogo já, ele começou a me tocar, me tocar, de forma tão diferente, como a senhora faz comigo, deslizando o dedo envolta do meu grelinho? Bem assim, então seus lábios beijaram minhas coxas, a virilha, e ele caiu de boca, me desculpe senhora, mas foi o MELHOR sexo oral da minha vida, não sei explicar, enquanto ele me sugava, os dedos dele entravam e saiam, até no meu rabinho ele meteu os dedinhos, eu estava tão, tão… Sei lá que palavra usar, foi como morrer por alguns segundos e cair no paraíso.

                – Que sortuda hem! Eu só tive os dedos… – disse Justine em um tom enciumado.

                – Bem Darling, preciso ir, o Lucas vai viajar manhã e tenho que estar em casa. Adorei a historinha.

               Elas se beijaram, cada vez que partia, Justine via nos olhinhos de menina de Darling o aperto no peito. Se era amor ou devoção, não se sabia, mas Justine sentia em Darling aquele calorzinho que tinha quando estava nos braços de Marcela. Ela pegou o casaco e saiu pela porta lateral do bar, o carro estava ali perto, ao sair seu coração estremeceu com um estranho vulto parado no meio do beco, encostado na parede, ela ouviu.

                – Você demorou, pensei que não fosse mais sair.

               Justine parou, as pernas estremeceram, a voz era familiar, mas sentiu que deveria perguntar mesmo assim.

                – Quem tá ai?

                – Sou eu minha querida, seu demônio!

               Justine soltou a respiração presa e continuou a caminhar como se não desse importância para quem fosse, mesmo sentindo seu grelo palpitar mais que o coração, ela procurou as chaves do carro na bolsa sem olhar pra ele, quando passou fingindo não se importar com sua presença, ele a segurou pela braço e a jogou contra a parede.

                – O que é isso? Tá maluco!?

                – Não, só fiquei com seu cheiro nos meus dedos, e senti vontade de provar seu gosto, seu perfume é tão inebriante sabia – disse ele se aproximando cada vez mais dela – Você gosta disso não gosta? – continuou falando – Gosta desses joguinhos, gosta do perigo, eu sinto no seu suor.

               Justine não respondeu, se fez de durona e tentou se soltar.

                – Você não quer sair quer? Se quisesse já teria, você ficou curiosa com o que a Darling te disse não foi?

                – Somo sabe o que ela me disse?

                – Meninas contam as outras sempre, eu vi ela nos espionando atrás da cortininha do palco, ela me falou de você, bem não disse seu nome, mas pela descrição… Ela te admira muito sabia? Você é uma deusa pra ela, deve ser muito bom no que faz, gosta de dominar essas menininhas né?

                – Me solta? Tenho que ir pra casa.

                – Você tem, ou quer?

                – Para de rodeios e fala logo o que você quer Fernando. É este seu nome não é? Ou é o que fala pras menininhas daqui.

               Ele sorriu, baixou a cabeça, balançou e sorriu novamente.

                – Não disse, elas contam tudo. E sim, este é meu nome mesmo. Sabe, cansei de conversa, eu to com pressa e só fiquei aqui porque não poderia viajar sem ter esse seu perfume inebriante espalhado no meu rosto.

                – Você é louco!

                Ele a prendeu com seu corpo e com uma das mãos tentou afastar as pernas. Depois de pouca insistência ele a tocou, estava quente e lúbrica, já podia sentir o grelo pulsar, ele aproximou os lábios do dela, e então Justine se entregou, deixou a bolsa cair, entrelaçando os braços em seus cabelos longos. O beijo era voraz, ele puxou o cabelo dela impulsionando a cabeça para trás, beijou-a o pescoço, seios, e se ajoelhou, levantando a saia ficou maravilhado com aquela boceta de menina, lisinha, branquinha, de lábios pequenos e avermelhados, era suculenta, ele levantou uma das pernas apoiando-a em seu ombro e invadiu o paraíso.

               Justine queria uivar, seu peito doía, ela pensou que fosse enfartar. O calor subia rápido, a sensação era tão deliciosa, que ela não sabia se gozava ou segurava um pouco mais. Ele deslizava os dedos melados entre os pequenos e os pequenos grandes lábios, abria e a penetrava com a língua, sugava-a, e voltava a penetrá-la com os dedos, os lábios eram tão macios, Darling estava certa, era como se fosse morrer. Céu ou inferno, pouco importava, ela não podia mais esperar, então relaxou e sentiu a explosão, de olhos fechados ela pode ver centenas de cores, ela não podia respirar, por um segundo ela morreu. As penas balançaram, ela pensou que fosse cair, quando ela abriu os olhos ele estava sorridente olhando para ela.

                – Você é doce! Incrível como realmente é doce, é como um mel, valeu esperar, mas não posso me atrasar.

               Justine escorregou o corpo pela parede, tentava recuperar o ar, ele beijou-a na testa e agradeceu. Ela não conseguia se mexer, nem pensar nem se quer ao menos falar. Ela ficou ali, escorada na parede vendo um doce demônio partir. Quando ele dobrou o beco, ela se esforçou para se levantar, fechou o casaco, vasculhou a bolsa, pegou as chaves e em silêncio entrou no carro deixando um rastro de gozo para trás.

 

Justine – Eu quero ir mais além

097

Ao retornar a mesa, agiu como se nada tivesse acontecido, Justine e Lucas seguiram a conversa noite a dentro, dentre uma taça de vinho ou outro, os dois ficavam mais próximos. Justine começou a ver o mundo com outros olhos após ouvir as historias de Lucas. Já estavam sentados naquele bar a mais de duas horas quando Lucas resolver fazer o convite.

 – Você quer ir para outro lugar?

 – Não sei…

 – Tem medo?

 – Não, na verdade, bem não sei. Não sei se devo.

 – Você tem alguém?

 – Não, eu tinha, demos um tempo.

 – Se não quiser, tudo bem, o presente é teu mesmo assim. Porem gostaria muito que minha deusa o usasse comigo, mas a escolha é sua.

 – Você quer ir pra onde?

 – Você escolhe, se não quiser ir a minha casa, podemos ir a um motel.

Justine realmente sentia medo. Ouvira tantas historias de garotas raptadas, ou estupradas na mesma situação em que se encontrava agora, um motel seria mais seguro, mas ela ainda tinha duvidas.

 – Não sei. Você mora onde?

 – Próximo ao Jardim Botânico.

Ela começou a pensar, o Jardim Botânico era próximo de sua casa, mas por precaução ela optou pelo motel.

 – Prefiro um motel, há um próximo daqui.

 – Você quer deixar seu carro e ir no meu?

 – Não, eu te sigo, é melhor assim.

 – Entendo menina precavida você. Gostei.

Lucas pediu, pago e os dois saíram. Justine levava a caixa de presente e lá fora os dois decidiram qual motel ir.

 – Bem, minha deusa, você decide tudo esta noite.

 – Me segue!

 – Sim senhora!

Cada um foi para seus respectivos carros e Justine saiu primeiro, Lucas logo depois. Ela foi até um motel que já conhecia, parou enfrente e fez sinal para que Lucas parasse ao lado para que entrasse primeiro. Ele parou o carro na entrada, pediu um quarto, depois Justine parou e perguntou qual era o quarto que ela deveria seguir, ele havia escolhido a suíte presidencial, mostrando que era um homem de requinte. Ele permitiu que ela estacionasse o carro dentro da pequena garagem, e ele estacionou em uma garagem opcional. Enquanto isto ela entrou no quarto, com a caixa na mão.

 – E então, gostou? – perguntou Lucas ao entrar no quarto.

 – Sim, muito bonita. Eu quase não freqüento estes lugares, meu namorado morava sozinho e… Bem, é isto.

 – Relaxe, quer beber algo mais? Peça o que desejar, eu lhe dou tudo esta noite.

 – Eu estou bem. Não desejo nada agora. Bem, eu vou ao banheiro me vestir.

 – Que maravilha, ficarei quietinho aqui a sua espera.

Ela foi até o enorme banheiro e trancou a porta. Abriu a torneira e lavou o rosto, ela estava realmente nervosa, tal coisa nunca lhe aconteceu antes.

 – Bem Justine, é sua hora!

Sentou-se na beira da banheira e começou a olhar para seus novos brinquedos.

 – Nossa quanta coisa!

 Aquela seria sua caixa de Pandora, havia algema, chicote, palmatória, chibata, venda, strap on, mordaça, meias de látex, corpet junto a uma sai de látex e luvas do mesmo modelo, era o melhor presente de todos, era como um sonho, sempre desejou ter coisas assim, mas objetos de látex eram muito caros e por isto nunca os comprou, até porque usar com Fabiano ou Marcela não teria graça.

 – Bem, se é o que ele deseja, eu estou pronta.

Ela se despiu, lavou o corpo e o secou bem, era difícil vestir aquelas roupas, as meias então mais complicadas do que imaginará, sorte que havia talco dentro delas, depois de muita dificuldade ela conseguiu se vestir, e como aquela roupa era quente, já havia passado mais de 30 minutos então Lucas bateu na porta.

 – Senhora, não quero incomodá-la, mas esta tudo bem?

 – Sim, já estou quase pronta. Quero que apague as luzes, deixe apenas uma acesa que esteja distante, dispa-se e deite na cama.

 – O que a senhora mandar.

Ela calçou os sapatos, vestiu as luvas e pegou a chibata.

 – Bem, é hora do jogo.

Abriu a porta e lá estava Lucas, dono de um belo corpo nu na cama. Ao vê-la, os olhos de Lucas se iluminaram, a luz estava fraca, mas já podia notar as incríveis curvas de sua deusa e notara que ela estava com um dos brinquedos à mão.

 – Minha deusa! A senhora está divina.

 – Cala a boca e fique onde está! Não quero ouvir mais nada de você até que eu permita.

Ele acenou positivamente com a cabeça. Ela ligou o som e começou a rebolar. Ela se sentia majestosa com aquelas roupas, ela subiu na cama, e o deixou por entre suas pernas, ela estava sem calcinha e ele podia ver sua xoxota brilhar de tão úmida. Ela deslizou a chibata pelo corpo dele e suavemente bate-a na coxa.

 – Você gosta do que vê? – pergunta Justine.

 – Sim senhora, gosto muito.

Ela então se agachou e segurando pelos cabelos, começou a esfregar a xoxota na face de Lucas.

 – Gosta disto minha putinha?

 – Sim, eu amo.

Ela se levantou e passou o salto pelo peito dele até chegar no pau já rijo.

 – Você é um verme, uma putinha barata.

 – Sim, eu sou tudo o que a senhora disser.

 – Cale a boca, eu lhe perguntei algo?

Então ela da uma forte chibatada na coxa de Lucas e desce da cama. Ela caminha até o banheiro e trás a caixa com o resto dos brinquedos.

 – Vejamos o que eu quero usar hoje. Você precisa de correção, é uma putinha muito atrevida.

Ela pegou a mordaça e disse.

 – Venha até aqui e fique de joelhos.

Ele a obedeceu e se por de joelhos na frente dela.

 – Isto irá lhe ensinar a não falar fora de hora – disse ela enquanto o amordaçava.

Depois ela pegou a palmatória, o segurou fortemente pelos cabelos e concluiu.

 – E isto irá ajudar a lembrá-lo do que eu acabei de falar.

Ela abaixou a cabeça dele, empinando assim seu rabo branco para cima e começou a bater, alternando palmadas leves com fortes. Ele gemia e depois da quinta palmada ele levantou um braço. Seria a hora de ela parar. Eles não tinham a senha de segurança, mas Justine sabia que todos têm limites.

Ela o ajudou a levantar, retirou a mordaça e acariciando os cabelos de Lucas ela disse.

 – Bom menino – sentou-se a cama e prosseguiu – agora tire meus sapatos, as meias e massageie meus pés.

Ele obedeceu, retirou-lhe os sapatos e as meias delicadamente e começou a massagear os pés de Justine, ajoelhado a beira da cama, viu-a deitar o corpo e abrir as pernas, enquanto recebia a massagem, começou a se masturbar. Pouco depois, ela olhou e viu que Lucas não retirava os olhos de sua xoxota.

 – Quer um pouco?

 – Se a senhora permitir, desejo muito.

 – É toda tua.

Ele se pos no meio das pernas dela e começou a chupá-la, ela delirava com a língua quente e macia dele.

 – Mete um dedinho nela Lucas!

Ele obedeceu, e começou a tocá-la, então sentindo que não iria mais suportar, ela disse.

 – Toma meu leitinho, toma todinho! – e gozou.

 – Agora vem até mim, quero senti-lo dentro de mim minha putinha.

Ele colocou um preservativo e fez o que ela desejava, começou a meter na xoxota quente e molhada de sua senhora.

 – Vai puto desgraçado, mete nessa buceta que nem homem! Para de ser uma bicha e mete com força.

Ele estocava cada vez mais forte, ela não conseguia resistir àquele clima todo, segurava-o pela face e lhe fala coisas absurdas, ela queria vê-lo enfurecido, e foi o que aconteceu, ele soltou-lhe um tapa na face. Imediatamente ela colocou as mãos, ele desesperado pelo erro que cometeu, parou o que fazia e perguntou.

 – A senhora está bem? Me perdoe.

Ela parecia chorar, tudo falso, ela estava rindo, dando gargalhadas.

 – Sua putinha medrosa, acha mesmo que este tapinha de bicha seu me faria chorar? – ela se sentou na cama e continuou – agora você vai aprender a bater direito – e meteu-lhe a mão na cara.

Ela se levantou, pegou o chicote, e começou a chicotear-lhe a bunda.

 – Putinha bastarda! Você não merece minha xoxota.

Ela parou de bater nele e segurou seu pau na mão.

 – Quero ver teu leite jorrar agora – e começou a masturbá-lo.

Em poucos minutos o membro dele pulsava em sua mão derramando leite.

 – Gostou?

 – Sim senhora! A senhora é divina!

 – Que bom, vou tomar um banho, depois você vai.

Ela se levantou, e foi sozinha para o banheiro, banhou-se, colocou suas roupas e foi para o quarto guardar seus novos brinquedos. Lucas foi para o banheiro, tomou banho, voltou nu para o quarto, se vestiu e pediu a conta.

 – Eu te ligo – disse Justine.

 – ficarei esperando minha rainha!

E os dois seguiram seus caminhos. Ao chegar em casa, todos estavam dormindo, ela colocou a caixa escondida no guarda-roupas, se despiu, deitou nua na cama e disse para si mesma.

 – Que noite maluca, mas até que eu gostei, acho que estou libertando minhas fantasias, eu quero ir mais além!

Virou-se para o lado e puxou o edredom, estava meio frio e então dormiu.

 

Freak Butterlfy.

 

 

Algemas do prazer

Algemas, chicotes, palmatórias, chibatas, cordas… São alguns adereços do mundo fetichista, do mundo BDSM (Bondage, Dominação, Sado-Maso).

O brinquedinho mais usado dentro e fora do BDSM ainda é a algema. Estar imóvel de forma erótica parece deixar as pessoas mais excitadas.

Depois dos vibradores, consolos e lubrificantes, as algemas são os brinquedinhos mais vendidos no sex shop.

Não é doença gostar de ser algemado, acredite, muitas casamentos se salvam quando os brinquedos entram em ação.

Se você se sente desconfortável ao usar algemas, seja criativo, use fitas de cetim para prender seu parceiro (a) à cama.

Uma forma deliciosa de a sua parceira ir as nuvens é: prenda-a como um X na cama, braços e pernas, ela ficará totalmente ao seu domínio. Aproveite para “abusar”, brinque com a vagina dela, use gel que muda a temperatura conforme a excitação, não resista, caia de boca nos “lábios” dela, para aumentar a adrenalina, use uma venda, você pode usar lenço ou fitas de cetim mais largas.

Mas turbe-a e saboreie o que está a sua disposição, ao chupá-la penetre um dos dedos na vagina e acaricie o ponto G. Para aquele que não sabe ainda onde ele fica, há um artigo bem amplo sobre o assunto. Mas vamos lá, penetre o dedo nela voltado para o “céu”, você irá sentir uma carne mais dura, veja a reação dela e saberá se está no lugar certo.

Enquanto suga seu clitóris, acaricie o ponto G, isso dará a ela um orgasmo explosivo, a sensação de estar presa aumenta a adrenalina.

Inverter a situação também será delicioso, prender o parceiro e deixa-lo a sua mercê, vai ajudá-la a se sentir poderosa, aproveite este poder todo para dizer o que irá fazer com ele. Não poupem no repertório, eles irão amar ouvir o quanto estão suculentos indefesos e o quanto irá “sofrer” em suas mãos. Utilize do método chupe e pare. Isso o enlouquece e prolonga o prazer, experimente fazer umas três vezes esta seqüência, não o deixe alcançar o orgasmo. Quando ele não agüentar mais e lhe implorar que o solte, solte! Vocês terão um sexo incrível.

As algemas custam entre 22 reais até as mais caras e sofisticadas de 90 reais ou mais.

Solte a imaginação e também liberte seu pensamento. Siga suas fantasias e instintos.

Lembre-se, para tudo há limites, se um dos dois não aceitarem, não force a barra.

Nos sex shop há também kit de bondage, são práticos, fáceis de usar e também confortáveis. Custam em média 50 reais e são super fofos.

Dê de presente ao seu parceiro (a) isto pode despertar curiosidades e apimentar a relação.

Divirtam-se!

Freak Butterfly.

*Mais brinquedos veja em: http://www.sextoy.com.br/loja/displaypage.asp?page=110

Segredos da China

Já que o país anda em ritmo de olimpíadas, que este ano acontece em Beijing, na China, nada melhor do que falar sobre o “Clã da Tigresa Branca”.

Que a cultura da China é milenar todos já sabemos, então saiba agora que desde a antiguidade, os chineses pregam que a sexualidade, quando usada do jeito certo, é uma poderosa fonte de vitalidade, plenitude, saúde e também imortalidade (tendo em vista que eles acreditam que o espírito viva para sempre).

Com base no Taoísmo, onde se deve equilibrar o ying e o yang, representados pela energia feminina e masculina. Esta doutrina, criada no século 6 antes de Cristo é o que inspirou o surgimento da sociedade secreta intitulada de “Tigresa Branca”.

Mas você deve estar se perguntando, o que seria a Tigresa Branca? Ela é uma mulher dedicada a disciplinados exercícios sexuais e espirituais. E pela primeira vez os segredos foram revelados, Hsi Lai teve o privilégio de estudar e registrar os ensinamentos para preservá-los, publicando no livro “Os Ensinamentos Sexuais da Tigresa Branca”, pela editora Aquária.

Sob a orientação de Madame Lin, a matriarca de uma linhagem de Tigresas ainda existente em Taiwan, as praticantes da arte. aprendem técnicas para absorver a energia sexual masculina, intensificar os orgasmos, restaurar a beleza, recriar a energia sexual da juventude e estimular os órgãos sexuais.

O livro mostra os “Três Tesouros do Taoísmo, que são ching (energia sexual), qi (energia vital) e o shen (consciência), que são segredos para despertar a terna juventude e a imortalidade, originada nas antigas práticas da Mãe Real do Oriente (Hsi Wang Um), passadas e refinadas pelos séculos a dentro para uma sociedade asiática que crê na ideologia feminina e sexual.

Para a Tigresa Branca atingir a iluminação sexual, ela conta com seu Dragão de Jade (protetor e amante com quem experimenta os ensinamentos mais avançados) e o Dragão Verde (seduzidos unicamente com o objetivo de praticar sexo).

Se você está curiosa para saber mais sobre esta arte milenar, veja algumas técnicas que você pode começar a praticar já.

· As Tigresas não são submissas aos homens, elas se acham auto-suficiente e sempre esperam mais de seus amantes;

· Para efervescer os hormônios, nada melhor do que um joguinho adolescente, relembrar quando começamos a namorar e os primeiros amassos com garotos. Recriar as sensações de um romance adolescente mudando sua própria percepção do ato de fazer amor e ver com olhos de quem busca apenas uma aventura sexual. A tigresa se veste bem e se exibe melhor ainda, ela brinca, provoca e estimula o homem, com muitos abraços, beijos, murmúrios, mão boba que deixaram qualquer um nervoso e excitado na época da adolescência. Neste encontro ela pula toda uma preliminar para chegar aos finalmente;

· Uma das lições mais importantes das chinesas desta linhagem é compreender profundamente o sexo oral. Para muitos o sexo oral é visto como uma submissão feminina, mas talvez o que ninguém tenha notado ainda, é que nós mulheres encontramos em nossa submissão a nossa força, pois se analisar o ato do sexo oral, nós é que estamos no controle da situação, é por nossos lábios que eles sentem um prazer imensurável. Quando a mulher leva o pênis à boca, o ato é um símbolo de controle sobre ele;

· Beijar é algo muito prazeroso, mas o que só as iniciadas aprendem é que um beijo profundo e apaixonado estimula todos os centros erógenos e ainda estimula a imaginação masculina. Veja como o beijo é representado nos ensinamentos. “Os lábios são como a entrada da vagina; a boca e a garganta como o interior” diz Lai. “A ponta da língua representa o clitóris e age como ele. A saliva é como a secreção sexual produzida pela vagina e, quando expelida, o sêmen do homem. Quando sentimos medo, a boca seca; quando sentimos excitação, ela produz saliva. Da mesma forma, a vagina tem suas secreções sexuais ressecadas quando a mulher sente medo e se inunda quando ela está excitada.”;

· Quer experimentar uma posição de intimidade? Então siga os seguintes passos: sente-se sobre a coxa direita do seu namorado, com o braço esquerdo em cima do ombro dele e o direito servindo de apoio. Peça para ele introduzir lentamente um dedo da mão esquerda na vagina e o indicador direito sobre o orifício anal (se você preferir, pode introduzir até a primeira articulação), ele deve se concentrar em beijar sua boca, acariciar os seios e excitar seu clitóris. Quando você atingir o clímax, peça para ele fazer movimentos circulares com os dedos sobre a vagina e o clitóris. Você que é homem e está lendo este artigo, pratique com sua namorada;

· Agora um joguinho que deve ser praticado somente com seu Dragão de Jade: a tigresa deita-se com a cabeça apoiada no travesseiro e um outro travesseiro é colocado sob as nádegas, de modo que a vagina esteja em uma boa posição para que ele se excite. O Dragão irá introduzir somente a primeira articulação do indicador. A tigresa irá movimentar os quadris na tentativa de que o dedo a penetre mais fundo, mas o Dragão não permitirá. Quando o Dragão sente que a mulher está molhada, ele posiciona seu corpo sobre o dela e coloca somente a cabeça do pênis dentro da vagina, apoiando-se com as duas mãos na cama. Mais uma vez ela se movimentará na tentativa de ser penetrada, e ele não permitirá. Segure os seios nas mãos como em uma concha e ofereça para o Dragão que deverá rodeá-los com a língua e suga-los. Quando perceber que ele está delirando de prazer, troque de posição. Posicione a vagina sob o rosto dele e envolva o pênis com a boca. Este seria a posição 69 com preliminares. O dragão dele abrir a vagina e com os lábios sugar, devagar, mas firmemente até que ambos cheguem ao ápice;

· Quer ter um orgasmo explosivo? Veja em 4 passos como as Tigresas Brancas chegam ao clímax de causar inveja até a uma atriz pornô. Primeiro, na hora H coloque a língua no palato superior (para quem não sabe, é o céu da boca). Segundo, repouse as mãos sobre a região dos ovários e empurre para baixo e para dentro, mantendo assim a energia por lá. Terceiro, contraia o ânus e concentre a atenção nos rins, imaginando assim que toda aquela força do desejo esta indo para o órgão. Quarto e ultimo, prenda a respiração durante todo o orgasmo e expire quando terminar, você sentirá o orgasmo mais intensificado do que nunca. Claro que isto requer um pouco de prática;

· Vamos praticar com o Dragão Verde? Bem, há um rito sexual de dominação entre a Tigresa Branca e seu Dragão Verde, o do sexo oral. Tente com seu namorado. Deite-se de costas na beira da cama ou da mesa ou então se incline para trás em uma cadeira ou poltrona. Abra bem as pernas e com os dedos afaste a área da vulva o máximo que puder. Peça para o parceiro introduzir o polegar na vagina e que segure seu bumbum com força com a outra mão para que possa erguer seus quadris até os lábios dele. Com a língua ele estimulara seu clitóris e você verá estrelas, outra dica dada é que ele passe o indicador em círculos sobre o clitóris lentamente enquanto introduz e retira a língua da entrada da vagina. Lembre-se, você está no comando, e só permita que ele pare quando você atingir o clímax total;

· Para concluir, leia os 5 mandamentos do sexo sublime. Primeiro, permanecer com parte das roupas para se criar uma expectativa. Segundo, ficar de joelhos e permitir que o homem veja o pênis entrar em sua boca, segundo a filosofia do cão, este estimulo visual é excitante para ambos. Terceiro, fazer sons sexuais e dizer frases picantes, nunca fique quieta, isto é importantíssimo. Quarto, use incensos e um perfume relaxante e gostoso. Quinto e ultimo, criar uma grande quantidade de saliva antes do sexo oral. Para isto as Tigresas bebem um pouco de leite de soja, que segundo a doutrina chinesa, aumenta a produção do liquido e deixa mais espesso e branco.

Bem, se você deseja conhecer mais das praticas e ensinamentos do Clã, leia o livro, ele deveria ser peça de cabeceira obrigatória para toda mulher que deseja alcançar o ápice sexual e acima de tudo estar de bem consigo mesma.

Vivamos pela eternidade e cuidemos de nossa juventude que vai além da idade.

Freak Butterlfy.

*Fontes: Revista NOVA, ano 36, nº 4, Abril de 2008 e livro Os ensinamentos sexuais da tigresa branca – Segredos das mestras Taoístas, por Hsi Lai, Editora Aquária.

*Imagem representativa de Hsi Wang Um.