RSS Feed

Tag Archives: diversão

Pimenta na Cama – é hora de brincar

Quem disse que cama não é lugar para brincadeiras? Pois saiba como, onde e porque investir em apetrechos eróticos e ainda conheça algumas novidades – que infelizmente não são para todos os bolsos.

Em uma visita ao sexo shop, depois de algum tempo sem entrar em um, fiz novas descobertas e redescobri o valor de usar a cama como “área de lazer” da casa. Gel comestível que esquenta, gel que esfria e da choquinhos, adstringentes que fazem a moça “voltar” aos tempos de virgindade – penso, se doeu tanto da primeira, porque uma segunda vez? – calcinha comestível, caneta erótica para desenho corporal – que você irá ter que apagar com a língua depois – pó da bruxinha, é uma espécie de Viagra que serve pra homem e mulher e deve ser colocado em bebidas que não contém gás, diz à vendedora que isso aumenta a libido – será? Depois fiquei curiosa e me arrependi de não levar pra testar.

Enfim, são coisas antigas, novas, baralhos, vela que não te queima e sim servem para fazer massagem depois que queimam, algemas, kit bondage – que eu acho RIDÍCULO! Diga-se de passagem – chibatas, chicotes – que não dói nem um pouquinho, é só pra enfeite mesmo, se você for sádico, não compre em sexy shop comum, essas porcarias não prestam!

Daí que você pensou e se perguntou, “mas eu já sabia de tudo isso”, então vamos para algumas novidades:

  • Calcinha para sexo oral – é uma calcinha – brega – que tem uma fina camada, como um véu para te proteger contra doenças no sexo oral, algumas são de sabor, mas me pergunto, será que protege mesmo?
  • Língua de silicone que simula sexo oral – Deus, sim isto existe e parece até tentador, são 10 linguinhas que ficam girando livremente, o aparelho se chama Sqweel, funciona com três pilhas AAA, porém se a primeira vista é tentador, o preço é de espantar, em média você pode ter um por R$300;
  • Uma jóia ou um brinquedo erótico? – Depois de aparecer em mãos de celebridades, o anel para masturbação masculina caiu na graça do povo, e agora é acessório de moda, então uma o útil ao agradável e tenha o seu e brinque com o ‘garotão’ em várias ocasiões. O anel tem o formato ideal para masturbação do pênis e esquenta, elevando a excitação do parceiro;
  • Vibradores – estes estão evoluindo cada vez mais, o “I Vibe Rabbit” é o sonho de consumo de muitas, feito de silicone, reúne todas as melhores e desejáveis características da linha “Rabbit” – que ficou popular no Brasil depois do filme “De pernas pro ar” – além de ser rotativo, vem com controle sem fio podendo dar ao seu parceiro o “poder” de controlar seu prazer, mas essa maravilha toda custa cerca de R$1.200, sonho de poucas;
  • Fuck me Silly Mega Masturbador – para os aficionados em pornografia de plantão, que sempre sonharam em ‘foder’ uma atriz pornô, ai esta sua chance, este masturbador masculino pesa em torno de 10 kilos do melhor silicone moldado, acompanha DVD da atriz, agora eu preciso colar aqui a descrição do brinquedo “Enfie seu rosto inteiro nessa vagina perfeita em todos os detalhes, com seus lábios cor de rosa e depois penetre com toda sua força no buraquinho apertado do ânus da Fuck Me Silly. 
    Ela é quente, ela é muito resistente, e o mais importante, ela nunca diz não!
    ” – com o perdão da palavra, PORRA, tem que ser muito tarado a preferir uma vagina de silicone a de uma garota, mas para os que quiserem ter essa experiência, terão de desembolsar cerca de R$2.800 – meu caro, compre umas roupas legais e vá pra uma balada, pague um drink a garota e boa sorte!
  • Masturbador Masculino Automático – Se para as moças temos a língua “tentáculos”, para os rapazes criaram um masturbador automático, porém, não descobri a marca nem o preço, mas veja que interessante;
  • Wii Vibe II – o vibrador feminino mais premiado em feiras eróticas. Construído especialmente para nós mulheres, tem o formato em C, adaptável a qualquer corpo, pode ser usado até em seu dia-a-dia, pois você conseguirá andar com ele entre as penas, pois é macio e flexível e sem fios, orgasmos em qualquer hora e qualquer lugar. Preço médio R$ 844 – to ficando mais triste a cada minuto, tudo que é interessante é altamente caro.
  • WOW! Vibe n3 – esse brinquedinho é da mesma linhagem dos “Rabbits”, tem a ponta rotativa, massageador de clitóris, além de charmoso, rosa com detalhes em perola, uma ótima opção de presente pra quem deseja apimentar a relação um pouco mais e fazer sua parceira soltar uns WOW! – Preço médio? R$1.000;
  • Barra de Pole Dacing – sim, isto virou mania, o que uma novela global não faz na vida das pessoas! Cada dia mais as mulheres aderiram a barra, até para manter a forma, então, que tal unir as duas coisas e comprar uma para o quarto?

Deus é tanta novidade, bucetinha de bolso, vibradores carregáveis entre as pernas, géis, anéis, acessórios e lingeries, a imaginação é o limite – e o bolso claro, mas nada que não se possa utilizar brinquedos comuns, o que conta no final é a intenção de dar e receber prazer.

Escolhi para vocês uma série de vídeos destes brinquedinhos, vendidos no site http://www.a2ella.com.br – não eu não to recebendo pra isso – apesar dos preços muitas vezes exorbitantes, há algumas coisas que merecem investimento, e sexo é uma delas.

Agora você homem se pergunta se nós gostaríamos de ganhar algo assim? CLARO! Mulher também gosta destas coisas, mulher também vai ao sexo shop, só que com menos frequência, ou usando do artifício “loja virtual”, que a cada dia estão mais e mais discretas.

Agora fiquem com os videos dos brinquetinhos mais top do momento:

http://www.youtube.com/watch?v=1woHx-8O71w&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=5hZ2erTn3bo&feature=mfu_in_order&list=UL

http://www.a2ella.com.br/acessorios/kits/remote-control-waterproof-vibe-set.html

http://www.a2ella.com.br/acessorios/kits/cyberskin-cyber-sex-collection.html

http://www.a2ella.com.br/acessorios/kits/extreme-toyz-collection.html

http://www.youtube.com/watch?v=3Hhe1vXkKXY&feature=related – incrivel a cara de satisfeita da ‘compradora’!

Medo e delírio em São Paulo

Foram apenas nove dias naquela cidade caótica, com trânsito infernal, trens e metros lotados, clima instável e uma diversidade tão grande de pessoas e estilos, que no fim, você só aprende a amar. E foi assim que eu me re-apaixonei e senti vontade de viver novamente, eu percebi, aliais eu senti que, apesar de soar piegas ou como um clichê barato, eu nasci para viver ali.

Em todas as minhas experiências, de um mês certa vez, foi enlouquecedora, eu pensava “será que dou conta?”, mas sabe quando você chega em casa e sente que aquele não é seu lugar? Foi assim, quando desci do avião no aeroporto de Porto Velho, a tristeza me tomou a alma novamente.

Não venho aqui para criticar minha própria cidade, sim, sou uma BERADEIRA, nascida na beira do Rio Madeira, onde o por do sol ainda é o mais lindo, onde as estações do ano só se dividem em duas, onde as pessoas o acolhem como filhos da terra, cujo ditado é “quem bebe desta água sempre volta”, mas não é pra mim.

Quando voltei a ‘Sampa’, depois de um ano sem estar lá, sem ver alguns poucos amigos, o frio me congelou a espinha, e não era o frio qualquer, nem a garoa que caía, depois de anos, eu viria a conhecer dois amigos com quem conversei, chorei, magoei, e tudo que a distância nos proporcionava.

É tão emocionante o perigo que chega a ser excitante! E em nove dias, aprendi coisas, conheci pessoas, vi lugares, fui acolhida. Minha intenção não era escrever nada disto que estou ‘tagarelando’ até o momento, eu apenas queria contar minha louca aventura de nove dias em uma cidade que não se apaga. Uma viajem que me estimulou a ser alguém diferente, a lutar pelo que quero, a ser, simplesmente eu, sem medo de ser julgada e condenada, e apesar de sempre ouvir que SP é um lugar de pessoas frias, fui muito bem acolhida. Ri, chorei, acho até que chorei mais do que ri. Mas, como só eu sei fazer, ou seja, mudar a conversa bruscamente vejamos coisas que aprendi no meu, digamos, “retiro espiritual”, ou de uma folga de mim Rondoniense:

  • Você pode se abrir, chorar, falar de seu passado com os amigos, por mais que a terapeuta lhe pareça uma boa idéia, ela é paga pra te ouvir, e receber um abraço quente depois de mil lágrimas, quando só o que se desejava era sorrir, não tem preço;
  • Ser abraçada por uma doce senhora que mal lhe conhece e te acolhe como uma espécie de filha, foi um dos carinhos mais sinceros que tive durante este ano;
  • Ouvir elogios de você para outra pessoa que não você, não estimula o ego, e sim acalenta a alma e te faz pensar “caramba, de certo sou boa em algo mesmo”;
  • Que eu posso ser amável, e não no sentido de delicada e sim no sentido de que alguém possa me amar, mesmo quando o magôo ou falo asneiras, ou mostro vídeos sem graça (pra ele) da internet;
  • Que a Augusta sempre será um mito, mesmo infestada de ‘moderninhos’ paga pau, ela tem seus encantos;
  • Que slogan de puteiro é genial: “cervejinha e putaria! Cervejinha e putaria à vontade, vamos entrar” e claro o melhor “mesa pra casais, mesa pra casais! Hoje uma galinha irá comer três minhocas com uma bicada só!” – eu deveria ter visto isso, deveria, também não sei porque mas senti imensa vontade de abrir um puteiro no bairro Liberdade… E criar slogans para o mesmo (risos);
  • Aprendi dentro de um puteiro qual o melhor tipo de sapato para você andar, pode ser salto 7 ou 15, desde que a meia pata da frente seja reta, ele será super confortável, disse Carol, uma moça que estava a trabalho;
  • Também aprendi com a Carol que aquelas bolsinhas pequenas de pulso e cigarros de caixinha não dão certos, o melhor é maço, só assim eles irão ficar bem guardados na bolsinha, ela também nós ensinou (sim claro, porque não sou maluca de entrar num puteiro desacompanhada) que mulher, seja puta ou não, gosta de ser bem tratada, odeia ouvir “nossa, olha aquela gostosa”, acha cantada de pedreiro nojenta, e que o melhor jeito de conquistar é ser cortejada;
  • Finalmente aprendi que Velhas Virgens é uma banda do caralio, e que a música ‘Madrugada e meia de amor’ é minha cara (risadas);
  • Que Serra Malte é uma cerveja muito ruim;
  • Que hostel é uma opção barata e divertida, onde você aprende a conviver com diversas culturas, apesar das amizades rápidas, você aprende coisas pra vida toda;
  • No hostel também percebi que devo urgentemente voltar a estudar línguas estrangeiras, apesar de ver que muitos estrangeiros não fazem a mínima questão de aprender a nossa;
  • Também aprendi a nunca deixar meu shampoo caro no banheiro do hostel, não se pode ser tão confiante em um lugar cheio de desconhecidos, mesmo que os que trabalhem lá sejam super legais;
  • Aprendi o quanto é importante uma vez na vida ir ver seu time jogar em um estádio, o grito e calor da torcida te contagia, é algo que te faz amar com mais afinco ou odiar de vez futebol;
  • Aprendi que não se negocia com as chinesas (ou japonesas ou coreanas, seja o que for que trabalhem no shopping 25 de Março), elas são dura na queda, odeiam quem pechincha com os homens você já consegue, mas com elas… Ainda quando você vira e não leva nada, falam mal de você, mesmo que agente não entenda, agente sente!
  • Que mesmo você avisando TODOS seus amigos e conhecidos eles sempre aparecem no ultimo dia dizendo: mas porque não me avisou que tava aqui?
  • Enfim, aprendi a esquecer tudo o que me arrancou lágrimas antes de viajar e ainda nos primeiros dias e a derramar lágrimas de saudades, de pessoas novas, de coisas novas, de uma pequena parte nova de mim.

Enfim, você conhece pessoas, concretiza amizades, planejar, re-vê amigos (bem, só revi a Dani e o Rafa) e de alguma forma, conhece pessoas que se tornam anjos na sua vida, que se preocupam e que cuidam de você, que sorri ou elogiam sem desejar nada em troca. E mesmo que seja apenas nove dias (você deve pensar “essa mina ta viajando, nove dias não é nada comparados a vida toda”), são suficientes pra dizer: é lá que quero ‘sonhar’.

 

Justine – Deflorando o olho Parte I

No dia seguinte ao conhecer Darling no puteiro, Justine planejara um divertimento para animar Lucas. Ela ligou para a moça conforme haviam combinado e passou em seu kitnet para buscá-la, era um lugar deplorável, sujo, um ninho de prostitutas baratas.

– Entre querida – disse Justine acenando com a mão para Darling.

– Boa tarde senhora – cumprimentou a ainda tímida Darling.

– Boa tarde querida. O que disse para sua madrinha?

– Disse que iria a uma despedida de solteiro, são demoradas e se paga pouco, então não tenho que dar tudo a ela.

– Que bom! Vamos a uma loja que gosto muito, quero comprar algo para usar essa noite.

– Ok!

Darling ficou deslumbrada ao ver a loja de lingeries que Justine a levara.

– Nossa minha senhora, esse lugar é lindo! Parece coisa de novela, é tudo tão chique – disse olhando para um robe de renda preta – nossa e muito caro também, eu nunca poderia pagar nada nessa loja.

– Bem, este robe parece lindo, o que achou?

– Eu amei, mas é muito caro.

– Eu gostaria de ver seu corpo nu envolvido nele, vamos pegar seu tamanho, quero que experimente pra mim.

A moça sorridente pegou um robe de sua numeração e seguiram para o provador.

– Qualquer coisa, você é minha irmã – sussurrou Justine para Darling.

– Vai experrimentar senhorita? – perguntou a atendente.

– Sim, ela vai! – respondeu Justine voltan-se para Darling – Vai lá imrã, qualquer coisa me chama pra ver como ficou – terminou dando uma piscadela.

– Ok maninha! – respondeu Darling entrando na sessão do provador.

Poucos minutos depois Darling gritou do provador para a atendente que deseja ver a irmã.

– Ju, pode me ajudar a decidir aqui? – gritou Darling.

– Posso? – perguntou Justine para a atendente.

– Claro senhorita!

Justine começou a sorrir quando ficou de costas para a atendente, ela estava ansiosa para ver a bela mocinha. Então bateu na porta do provador.

– Darling?

Ela abriu a porta lentamente, o coração de Justine disparou ao ver o corpo nu e depilado de Darling e sob ele aquele robe longo de renda preta, ela ficou encantadora.

– Nossa!

– Ficou bom senhora?

– Uma delicia, se eu pudesse te comia aqui mesmo – Justine olhou para os lados, a atendente conversava com outra atendente, ela aproveitou para colocar a mão na abertura e tocar o sexo nu, despido de pêlos.

– Molhadinha sempre em pequena?

Darling sorriu.

– Eu gosto assim – disse enquanto tirava os dedos e sentia o perfume.

– Bem, vista-se, vamos comprar um sapato para você e depois vamos ao salão dar um jeito neste cabelo.

Darling sorriu e acenou que sim com a cabeça, para ela aqui estava sendo um dia de princesa. As duas foram a outra loja, uma especializada em sapatos para drag, dançarinas e fetichistas. Os olhos de Darling brilharam ao entrar.

– Nossa, nunca vi nada assim, essa loja é muito chique! Aonde eu compro os meus não é assim não.

– Bem querida, qual seu numero?

– calço 37.

– Deixe-me procurar algo pra você… hum… – olhava para as prateleiras – acho que este! O que achou?

Eram sandálias pretas coberta por pedrarias que remetia a brilhantes, o salto fino era altíssimo e fechava como uma tornozeleira.

– São lindos, tudo e lindo, o que a senhora quiser que eu use eu usarei com maior prazer – disse Darling animada.

– Bem, então são estes, agora vamos para o salão, quero que arrume este cabelo e faça as unhas também. Também vou me arrumar.

Justine já havia marcado hora, cabelo, pedicure e manicure, realmente um dia de princesa pensava DarlingDepois de pouco mais de uma hora, ela estava pronta. Justine ondulou os cabelos dando um ar mais selvagem, já Darling o deixou liso, como pediu Justine, ambas estavam de unha cor escarlate.

– Agora vamos pra casa nos aprontar.

No caminho Justine explicou o que queria, combinou o pagamento e disse que ela poderia levar seus presentes embora. O dinheiro era bom então Justine impôs condições, inclusive de assinar um contrato.

Ao chegarem ao apartamento, Darling olhava tudo como uma criança curiosa.

– Venha, quero que leia o contrato antes de tomar banho.

– Sim senhora.

Enquanto Darling o lia, Justine pegou uma sacola no armário e começou a tirar algumas coisas, velas aromáticas, pétalas de rosas vermelhas, champagne, camisinhas, lubrificante, um kit completo para uma noite de sexo caliente.

– Bem senhora, eu confesso, nunca fiz nada assim, e fico com um pouco de medo, mas o dinheiro é muito bom.

– Não quero que faça só pelo dinheiro querida, quero que faça porque gosta, se não estiver a vontade, não dará certo. Bem, você vai gostar o Lucas, ele é muito bonito, tem um corpo delicioso e um pau M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O, você vai curtir, e eu vou estar com você, não precisa temer.

– Tudo bem, onde eu assino?

– Aqui!

– Bem, seja o que Deus quiser!

– Bem, acho que ele não quer tal coisa – disse Justine rindo – Venha pequena, vamos tomar um banho.

– Juntas?

– E porque não? Se quiser já te deixo mais a vontade.

– Eu adoraria.

As duas foram até o banheiro, Justine ligou a banheira, enquanto ela enchia, Justine despia Darling lentamente, primeiro a blusa, acariciando os seios, beijando o pescoço, a nuca, a costa, então desceu a saia, tocou a bunda durinha, deu um tapinha e assim resistiu a tentação a açoitar aquele rabo firme.

– Você é toda delicinha – sussurrou Justine no pé ao pé do ouvido de Darling.

Justine sentia os pelinhos louro do corpo dela ouriçar, um gemidinho leve escapuliu daqueles lábios carnudos. Darling virou-se e começou a beijar Justine, logo tirou o vestido que ela usava, abriu o sutien e começou a baixa-lhe os seios, descendo pelo tórax, ela se ajoelhou e baixou a calcinha de Justine.

– Posso senhora? – perguntou com carinha de safada.

– Deve! Quero ver se é boa nisso.

Justine encostou-se à banheira e abriu as pernas, Darling se ajoelhou entre elas e começou a sugar o grelinho melado dela.

– Isso minha putinha querida, chupa gostoso chupa.

Darling era uma cadelinha, mamava como ninguém, era melhor até mesmo que Lucas. Darling se atreveu em penetrar-lhe o dedo e Justine suspirou.

– Putinha safada, hum que putinha safada.

Justine não conseguia mais resistir e desejava puxa-la pelos cabelos e esfregar a boceta na cara daquela doce puta.

– Eu não consigo, não consigo mais resistir – disse Justine alterada – Vem cá sua puta safada, enfia essa cara na minha buceta – disse enquanto a puxava pelos cabelos esfregando sua buceta nos lábios de Darling – anda chupa essa buceta com vontade, chupa!

O quadril de Justine começou a se movimentar mais rápido, seu grelo pulsante estava prestes a explodir, ela gozou tão gostoso que até ejaculou levemente.

– PUTA GOSTOSA! – gritou Justine.

Darling continuou no chão e joelhos, Justine se ajoelhou junto dela e acariciou seus cabelos um pouco bagunçados já.

– Melhor por uma toquinha pra não molhar os cabelinhos – disse Justine e depois lhe deu um beijo – venha querida, vou te dar um banho.

As duas entraram na banheira Darling ficou sentada de costa para Justine que ensaboava seu corpo, a cena remetia a mãe e filha, tão inocente e ao mesmo tempo tão pervertida. Justine esfregava as costas, depois seguia com a bucha até os seios e descia por entre as pernas.

Depois do banho, Justine foi aprontar Darling, a secou, hidratou, perfumou, penteou seus cabelos e pediu para que vestisse o robe e os saltos.

– Você ficou espetacular! Agora vou me arrumar antes que o Lucas chegue.

Justine vestiu uma camisola de seda preta que deixava a costa nua, nos pés apenas uma tornozeleira que havia ganhado de Lucas logo no inicio do namoro. Ao abrir o porta jóias encontrou a gargantilha de brilhantes que havia ganhado dele em seu regresso do Canadá, olhou para Darling e disse:

– Acho que isso ficará lindo em você, foi um presente o Lucas, quero que use esta noite.

– Senhora, tenho medo, vai que quebra ou algo assim.

– Então tome cuidado – disse ela colocando a gargantilha em Darling – Perfeita! Quer beber algo?

– Sim, se eu puder, gostaria.

Justine abriu a champagne e deu uma taça para Darling, que ria por causa das bolhinhas que batiam em seu nariz. Justine arrumou e acendeu as velas, e jogou as pétalas pelo quarto, colocou o lubrificante e as camisinhas sob o criado mudo, e juntou-se a Darling.

– Bem, já ele chega. Lembre-se, não precisa ficar nervosa, eu não te faria mal – disse e depois a beijou.

 

 

Nunca diga “Eu te amo”

Talvez, mais uma vez, isso vá parecer dor de cotovelo, mas eu estava sentada pensando comigo mesma: é só dizer “eu te amo” que a pessoa foge!

Você já percebeu a força que tem a palavra amor!

É incrível como ela se torna mais forte ainda quando se da em enfeito contrário. Tudo está bem, a mil e uma maravilhas, mas é só usar a palavrinha mágica e POW! Ele (ela) some. A vida anda tão banal que se relacionar com alguém também se tornou uma mera diversão. Como no texto anterior, se há mulheres que buscam a casualidade e não conseguem achar, imagine aquelas que buscam o amor… Encontrar isso hoje em dia é como ganhar ao menos a quina da mega sena, é possível, mas se tornou cada vez mais dificil, pois você não pode ter tudo nesta vida, ou você tem o amor, ou é feliz! Ou você é feliz, e não terás o amor verdadeiro. E não digo só em relação às mulheres, há homens (eu sei são raros) que também buscam isso, uma relação madura.

É muito mais fácil viver em relações sem futuro, longínquas do que entrar de cabeça em algo mais sério, em algo que poderá render um futuro, se arriscar no amor é mais difícil do que se atirar de cabeça na bolsa de valores.

Hoje em dia ninguém se importa com mais nada se tratando de relações, o sexo é o principal para mantê-la acessa, se o sexo um dia “brochar” sua relação também. E o mais engraçado nisso tudo é o medo do compromisso, as pessoas temem mais a palavra namoro do que, por exemplo, “dor” ou “guerra”, não sei talvez se analisarmos o “amor” ele seja tão cruel quando a dor ou a guerra.

A única coisa que posso falar confiante é: não usem essa palavra “amor” como quem pede uma cerveja no boteco. Não diga eu te amo se não sentes. Se não deseja viver. Sendo longe ou perto, sendo possível ou não, apenas não diga. É melhor passar neste mundo sem nunca dizer um “eu te amo” que não fosse sincero, do que sair gritando pelos quatro cantos a qualquer um que vá de coração, acreditar em você.

O amor, esse tal amor, pode ser mais devastador do que uma guerra, doer mais do que tapas. Pois isso pode se tornar uma ferida sem cura.

Há ainda pessoas de coração puro neste mundo, então não tire a única coisa sincera e verdadeira que possa haver nela com uma frase tão mentirosa como esta. E se você amar de verdade, apenas se cale.

Eu te amo agente só diz pra parentes (isso se realmente valer a pena).

 

Freak Butterfly (Poliana Zanini)

Todo lugar é lugar!

11_mhg_mul_sexo

O tesão não tem hora e nem lugar para surgir, então esteja sempre preparado para o prazer.

Se aquelas fantasias de transar em lugar público estão a mil, então leia algumas dicas e lugares para se divertir com sua parceira, isto vale para as garotas também.

· No carro: Tudo que você precisa é de vidros com isulfilm e muita imaginação. Se o passeio for longo que tal brincar com os dedinhos? Comece acariciando as pernas, subindo até a virilha e voltando para as coxas, percorra o caminho novamente e espere que ela esteja relaxada, faça com que entre no clima, peça que ela tire a calcinha e mãos à obra, lembre-se de massageá-la com delicadeza e não esfregando o clitóris como se fosse um botão. Esta será uma viagem inesquecível. E não se esqueça de olhar as placas, fique atento ao volante. Para retribuir o carinho do seu amado, espere estar em um local tranqüilo, com pouco movimento e acaricie o brinquedo dele, comece pela coxa e percorra até a virilha, sinta o membro dele enrijecer, então abra o zipper e o masturbe, fique atenta se ele está atento ao transito, se ele der conta de dirigir e receber suas caricias, vá de sexo oral. Que tal no estacionamento do prédio? A noite ele fica mais escurinho e vocês podem aproveitar para brincar no banco de trás. Não recomendo estacionar em lugares desertos, com a criminalidade e assaltos nestes lugares, não seria seguro, então aproveite os estacionamentos, garagem, e qualquer lugar que se sintam seguros. Saiba de 21% das leitoras de NOVA responderam em uma pesquisa que sentem falta de brincar no banco de trás do carro, que tal reviver estas brincadeiras juvenis?

· No Chuveiro: Tudo o que você precisa é de xampu e sabonete líquido que faça muita espuma. Quando ela estiver no banho que tal ensaboar o corpo da sua amada? De banho nela, e enquanto a ensaboa, acaricie seu corpo, não pule as preliminares, não é porque estão molhados que não conseguirá fazer caricias de praxe, use o sabão e massageie as nádegas e com o sabão acaricie o púbis delicadamente, lembre-se quanto mais suave, mais nós gostamos. Você pode sugerir que ela o guie. Já pensou em usar seu antebraço como cavalinho? Quando ela estiver excitada coloque o antebraço por entre as pernas dela e comece a deslizar para frente e para trás, sugira que ela entre no ritmo e logo ela está no controle do vai e vem. Se o tesão aumentou e vocês não vêem a hora de transar, solte a criatividade e crie posições. Algumas que sugiro são: de frente para outro em pé, segure uma das pernas dela; ela de costa para você e de frente para a parede, afaste as pernas dela, peça para empinar a bunda um pouco e ai estarão pronto para mais prazer. E garotas saibam que o sexo oral se encaixa em qualquer hora.

· Avião vazio: Tudo o que precisará é de um cobertor e descrição. Quando as luzes se apagarem é hora de diversão. Esqueça os banheiros apertados e sujos, cubra os dois com a coberta e faça-a sentir confortável e segura, deslize sua mão por entre as pernas dela, acaricie por cima da roupa, isto dá uma sensação nostalgia, lembrando aquelas caricias escondidinhas que tinha na adolescência. Coloque a ponta do dedo sobre o púbis dela. Pressione com um pouco de força usando os quatro dedos, alternando os movimentos de cima para baixo sobre o clitóris com massagens lenta e circulares e a leve para as alturas. A parceira pode masturbá-lo enquanto é tocada.

· Na balada: O escurinho da balada sugere diversão. Enquanto dançam beije-a, envolva-a pela cintura e a puxe contra seu corpo, beije o pescoço e mordisque a orelha. As mulheres gostam da pegada forte masculina. Vão para um cantinho escuro, e peça que ela sente de lado em seu colo com as pernas cruzadas. Deslize sua mão sob a bunda dela até chegar entre as coxas, com suavidade toque o clitóris dela, você não fará com que ela chega ao orgasmo desta forma, mas com certeza ela irá implorar para irem embora logo.

Veja agora uma pesquisa realizada pela Men’s Health com as leitoras de NOVA sobre as preliminares que elas sentem falta:

· Dar uns amassos no cinema – 19%

· Trocar a “marcha” enquanto ele dirige – 16%

· Receber uma passada de mão num lugar público – 12%

· Dar uma rapidinha no mar – 11%

· Assistir a um filme aninhados embaixo do cobertor – 9%

· Dançar agarradinho – 8%

· Andar de mãos dadas – 4%

Se o tesão surgir, saiba que todo lugar é lugar para vocês curtirem um ao outro, mesmo que não cheguem aos finalmente, curtam cada momento juntos.

Freak Butterfly.

*fonte: Revista Men’s Health