RSS Feed

Tag Archives: amizade

Desventuras em Série: O inimigo é outro

Desventuras em Série: O inimigo é outro

Mulheres têm a tola mania de colocar os homens como o inimigo número um. Se sua relação não da certo, se ele a traiu, se ele ‘pilantrou’ com você de alguma forma. Mas você já parou pra pensar que o inimigo é outro?
Eu sempre disse que não se pode confiar certas coisas as amigas, por exemplo, fazer propaganda demais do cara perfeito, como ele é ótimo amigo, como ele é bom de cama – principalmente esta – pode instigar a curiosidade e o desejo. Talvez tais idéias e sentimentos, até então nunca havia passado pela aquela cabecinha, mas como no filme “A Origem”, acredito no fato de que uma idéia pode ser plantada no subconsciente e acabar crescendo, e muitas vezes, nós que a fertilizamos.
E nós melhor do que ninguém, sabemos que querer pode ser poder, afinal, nós temos todas as armas que eles desejam, e eles tem a desculpa da carne fraca. Daí vem à questão, será que posso culpá-lo por um ato falho meu? Ou seja, me abrir pra uma amiga? Aliais, acho que não se pode dizer muito aos amigos, só as coisas tolas e sem muita importância, coisas que podem ser compartilháveis, no mais é melhor pagar uma terapeuta e ‘desabafar’ ou ‘desabar’ com a mesma.
Eis que eu mesma não segui meus conselhos, e em meio à euforia do momento – onde tudo estava até então enfim em paz – confessei algo a alguém que eu sempre confiei muito, e eis que na calada da noite me vem à apunhalada – via torpedo claro, hoje às pessoas não têm mais o hábito de ao menos usar a voz pra te ‘chutar’.
Aliais, a decepção de abateu pela manhã, quando despertei do sono e vi uma mensagem não lida com “você já foi fala pra ciclana que veio aqui… blá blá blá é por isso que é melhor me afastar”.
Meu ato – em vão – de tornar o ambiente entre amigos agradável e sociável outra vez – tendo em visto que tive certas desavenças com um pilar de minhas amizades incluindo à mesma – se virou contra mim!
Realmente o que diz a respeito entre você e uma segunda pessoa, só interessam a vocês. Contar a terceiros – até mesmo quem você acredita fielmente que seja amiga, irmã ou qualquer palavra afetuosa utilizada para intitulá-la é um erro, é isso que fode todo o sistema, isso que te fode!
Decepção é uma palavra que insiste em permanecer na minha vida, este ano mais que nos outros. E a palavra decepção quando vinculada à confiança se torna ainda mais dolorosa. Um ato falho imensamente meu, visto que, tendo o conhecimento de que o ser humano é falho, porém você não fica esperando levar apunhalada pelas costas. E se eu quisesse foder tudo, eu mesma o tinha feito, e com classe! – sim vou usar milhões de vezes a palavra “foder”, porque é assim que me sinto, acho até pertinente citar aqui uma frase de um filme “quer me foder me beija”.
Enfim, antes de abrir a boca, pense bem. Se você é confiável, não quer dizer que todos são. Não saia por ai achando que só homem ferra tudo, se ele traiu é porque uma mulher o instigou a fazê-lo – claro que não estou em defesa do sexo oposto, há também a falta de caráter, coisa que não se mede logo de cara. Nestas horas concordo que os gays são os melhores amigos, nenhum dos meus amigos gays me apunhalou, ou tentou me ferrar.
Mas no final, se aprende – ou pensa que aprende – que só você sai prejudicada, é você quem perde o cara perfeito, que perde os amigos, que se perde, enquanto para os outros, está tudo bem, tudo normal.
Enfim, se quer desabafar ou desabar, pague uma terapia, ao menos ali há sigilo ético, e se na falta de ética, se algo for dito e você se ferrar, ainda pode abrir um processo.

Efeito Primata: Celular é arma

É incrível como um celular em mãos erradas pode virar uma arma! Não, ele não foi atirado na cabeça de alguém, mas você já irá compreender o que quero dizer.

Foi um final de semana de sobriedade que vi o quanto o ditado “amigo é amigo, filha da puta é filha da puta” vale. Quando você está sóbria (o) você vira psicóloga (o) dos seus amigos, você vê coisas que não deseja e comigo tudo aconteceu em um pequeno ‘fumódromo’, que acabou por se tornar um divã.

As pessoas bebem e a tendência é se soltarem, – alguns bebem justamente por este motivo – mas ao se soltar, duas coisas podem acontecer: curtir a noite a doidado ou ter um entrar nuna ‘bad trip’ – palavra mais utilizada por ‘curtidores’ de ‘balas’ e ‘doces’ – e iniciar um processo de remoer tormentos de um passado não muito distante, e é nesta hora que você pode acabar  usando o celular para fins não convenientes.

Eu mesma já fui vitima, ou melhor, fiz uma vitima com meu celular. Quando a ‘depre’, desejo ou ódio se misturam com o tal do ‘etílico’ nosso senso e razão desaparecem como um passe de mágica e tudo o que você quer ligar ou torpedear quem não deveria ser vítima da sua ‘cachaçada” – ou mesmo talvez nem mereça sua atenção e desespero.

Acontece que sem a razão, só há uma coisa que pode te salvar seu amigo sóbrio – porque se ele estiver bêbado, é capaz de te dar mais corda pra se enforcar que além de se tornar cúmplice, acabará por sentir vergonha alheia.

Por isso, se sair para beber pense duas vezes em levar o celular, deixo no modo “pai de santo” e só receba ligações. Eu já usei esta ‘arma’, eu já fui vítima da mesma, e como vítima eu sei o quanto é chato receber mensagens no meio da noite ou uma ligação sem nexo algum onde o conteúdo da conversa já não interessa mais para essa tal vitima!

Então se sair para beber com os amigos opte por CURTIR A NOITE A DOIDADO! A dor não vai acabar, o ‘chifre’ não desaparecerá – mesmo que metaforicamente falando – e ele (a) não vai voltar. Esquecer é difícil, mas garanto, é muito melhor do que acordar com ressaca moral. Como diz o sábio Chico Xavier – mesmo que você seja católico, evangélico ou umbandista a dádiva da palavra vale para todos – “o sofrimento é parte do processo de evolução”, então um brinde a evolução!

*Imagem copiada do site Google

 

Desventuras sexuais

Quando seu amigo lhe disser: “Esse cara é gente boa, pode ir enfrente!”, lembre-se, ele é homem, não provou da fruta (ao menos não aquela fruta né, pois vai saber).

Eu tento não ser feminista, nem ao menos parecer, mas é complicado, muito complicado, cada dia que passa, o sexo casual se torna mais perigoso, e não digo do risco de doenças nem algo do gênero, quem ta antenado se previne sempre, mas é que a qualidade sexual vem caindo como uma bomba.

Se arrependimento matasse, eu teria virado múmia!

Garotas, ouçam seus instintos quando ele lhe acionar um alerta de “fuja enquanto é tempo”. Eu não ouvi e tive o pior sexo que poderia ter em toda minha vida. Ir ao motel mais decadente da cidade não foi o problema, agora não ficar excitada, sentir aquele corpo pesar sobre o seu, gemidos, gemidos, falsos gemidos e… Ele sumiu, foi no banheiro. Volta, deita ao seu lado e dorme!

Tédio! Tédio! Tédio! Tentei não dormir, pela primeira vez o filme do canal pornô era interessante, tinha pegada, tapas, o entrosamento parecia real… “vamos!”, quase que desesperada eu dizia…. “só mais cinco minutos”.

Tédio! Tédio! Tédio! Me segurava pra não dormir e pensava “que bosta! Que bosta”, não resisti e repeti, “vamos”… Dessa vez ele aderiu, afinal, eu já tinha pego ele em casa, outra coisa que já acho errada, odeio chegar dirigindo em motel.

Às vezes penso: será que to sendo feminista? Será que estou errada?

Minha cabeça gira, gira e vejo que nada está errado, além da companhia ao lado. A cede em não estar só, às vezes (quase sempre) nós faz optar por péssimas escolhas. Porque me esponho? Porque escrevo? Quem sabe quem ler isso pense duas vezes antes de ir no impulso!

Por isso é bom quando sua amiga ta por dentro de quem é o bonzão na balada, você não cai naquela do amigo de que “ele é um cara legal, vai fundo”!

Errar é humano, espero que ao menos essa que vós escreve tenha aprendido. Eu sinto agora: “devia ter ouvido aquele meu amigo que disse: já vai? Mas ta cedo”, eram vários sinais, só que eu estava bêbada demais pra perceber, nada que um miojo e copos de coca-cola (claro sem contar a transa decadente) pra me fazer acordar as cinco e quarenta na manhã.

Fique atenta aos seus instintos, não beba Stanhegue como se fosse tequila, não ouça seu amigo (do sexo masculino) quando suas intenções são outras e não de seu telefone pra um cara que te “leva” ao motel e só tem cartão de crédito, quando o motel de quinta, obviamente não passa cartão e você tem que pagar a conta e ouvir piadinhas ridículas de “você gastou todo meu dinheiro”, me segurei, quase mordendo a língua pra não dizer: “depois do que rolou ali, você ta é me devendo muito mais!”, mas meu bom senso de menina do papai me fez ficar calada e apertar o volante pra não virá um soco do dito-cujo.

Vivendo e aprendendo… Errando e se… Pensem! Reflitam! Vivam!

F.B.

Dormindo com o inimigo

Somente vivendo na pele certas situações para entender coisas que muitas vezes eu julguei. Como por exemplo: por que as mulheres se acomodam e se tornam mais “frígidas” em uma relação.

Não tenho medo de assumir que por alguns dias perdi o tesão no sexo. O motivo? Desmotivação!

Vamos analisar o caso: você está super afim, desejando aquele corpo que está deitado ao seu lado, mas na hora do sexo, parece que você está em um filme pornô, onde as preliminares não existem, o cara encosta em você e acha que isso te excita e já força a barra pra você abrir as pernas. Ele “mete-mete”, goza e vira pra dormir. E ainda me perguntam por que as mulheres andam tão frias?

Simples! Nosso padrão de qualidade evoluiu, foi-se o tempo que o sexo era algo para se procriar ou somente para deixar seu parceiro relax. Hoje as mulheres estão cada vez mais exigentes pensando mais e mais no seu próprio prazer.

O parceiro não deve se tornar inimigo, uma relação deve ser sempre amigável, quando isto acaba, é porque não há mais uma “relação”. É triste saber que ainda há homens das “cavernas” que só pensa em si. O egoísmo não deve estar presente em uma cama.

Então meu conselho é (se conselho fosse bom agente vendia, fato, mas não custa nada tenta): mulheres, não aceitem isso de seus parceiros em hipótese alguma! Se acomodar com essa situação acaba por baixar nossa auto-estima e o nível de qualidade de vida também, pois o sexo ajuda em muitas coisas principalmente na saúde. Homens, se vocês notarem um certo esfriamento na cama, uma ausência pela procura de suas parceiras, procure identificar o que está acontecendo, se é você que tem faltado com o prazer, pois claro, há situações que envolvem o psicológico.

Não sou feminista longe de mim, mas abaixo o prazer individualista, esqueça aquele homem que goza e não se preocupa com você! Porque nós temos de ficar na mão enquanto eles têm a boca? Pois no fim não é mais legal se todo mundo estiver satisfeito!

Poliana Zanini

Justine – Terremoto na Rotina (parte III)

Justine e Lucas tomaram banho juntos como duas crianças brincalhonas, rindo de tudo que acabara de acontecer. Lucas saiu primeiro, pois já estava atrasado para sua viajem, Justine ficou curtindo a água morna que percorria seu corpo relaxado.

– Querida, preciso ir, me deixa no aeroporto? – perguntou Lucas apressado.

– Sim claro, vou me secar e vestir algo rapidinho – respondeu Justine enquanto desligava o chuveiro e pegava a toalha.

Ela pegou a primeira roupa do armário, um vestido longo, mas leve, ela estava tão relaxada que poderia dormir o dia todo, como um bebê. Lucas já estava na porta berrando desesperado.

– VAMOS AMOR! ESTOU ATRASADO!!!

– Tô aqui já, podemos ir!

– Você esta estranha…

– Eu? Por quê?

– Sei lá, esse sorriso esquisito ai?

– Depois de tudo que houve, você queria que eu ficasse triste ou mal humorada?

– Claro que não! Desculpe se estou meio indiferente, mas não posso perder este vôo, muito menos essa reunião.

– Eu sei – disse com ternura – Bem, pisa fundo então!

Os dois foram em silêncio no carro, na rádio rolava musicas bregas e ninguém se importava em mudar. Justine estava com o olhar longe, ora soltava um risinho malicioso, ora suspirava profundamente.

– Chegamos Ju – disse Lucas saindo do carro parado no “embarque-desembarque”.

– Quer que eu entre contigo? – perguntou Justine indo a sua direção no porta-malas.

– Não precisa anjo – respondeu e beijou-lhe a testa – Vou sentir sua falta cadelinha, te amo, se cuida e juízo!

– Você quem vai viajar, você que se cuide e tenha muitíssimo juízo! Te amo – se beijaram e Justine ficou olhando Lucas entrar no aeroporto.

Ela voltou ao carro e seu celular estava piscando no banco ao lado, 3 chamadas não atendidas, era Amanda, então retornou a ligação.

– Oi putaaaa! Finalmente consigo falar contigo! – disse Amanda animada.

– É que o Lucas foi viajar, vim trazê-lo no aeroporto.

– E ai como estão às coisas? Melhor?

– Sim – respondeu entre risos – melhorou muito!

– Que bom, então não quer sair comigo mais?

– Claro, você acha que vou ficar mofando em casa enquanto ele vai pro Canadá? Frango frito, cerveja forte e Hooters? Mas nunca que fico em casa, onde vamos?

– To saindo com aquele cara da internet, não quer ir no barzinho que te falei que ia? Gata, lá tem tanto topetudo bonito, que você nem tem noção!

– Ok! Me passa o endereço por e-mail, que horas?

– La fica bom pela meia noite… Mas vamos mais cedo, assim agente descola uma mesa, ou um lugar no bar.

– Fechado, umas onze ta bom?

– Dez e meia!

– Fechado! Até mais tarde Mandita.

Justine desligou e decidiu ir visitar a mãe, no caminho foi pensando no que vestir pra noite, e no que disse a Amanda, sobre o Canadá.

– Só espero que o Lucas não encontre nenhuma canadense e me esqueça!

Chegando na sua casinha, a mãe estava no jardim aguando as plantas.

– Ju! Filha que surpresa, você sumiu, quase não a vejo mais.

– Desculpe mãe, é que andei enrolada, e o Lucas você sabe, até viajou hoje de ultima hora pro Canadá, pra resolver um problema de cliente.

– Vocês estão bem? – perguntou a mão ao notar a face preocupada de Justine quando mencionou o Canadá.

– Bem mãe, sei lá, senti medo pela primeira vez, eu e o Lucas andamos meio distantes no ultimo mês, quase nem tempo pra nós dois, só nos víamos na cama pra dormir, caímos em uma rotina que estava me deixando deprimida, eu estava virando dona de casa! Acredita?

– Minha filha… – disse a mãe ao sorrir – você está crescendo, isso parece ser pavoroso mesmo, mas é que nem sempre da para se manter o pique de um namoro normal, morar junto então, mas tem que ter paciência, qualquer relação será assim, tudo tem que ter paciência.

– Eu sei, eu sei! Pena que paciência não faz parte das minhas virtudes.

– Isso eu sei bem! Vamos entrar eu vou passar um cafezinho do jeito que você gosta e tem bolo de cenoura, seu predileto!

– Ah mãe, só você pra me tirar da dieta e me por pra cima – elas se abraçaram e foram para dentro.

As duas ficaram conversando por horas, o pai de Justine chegou para a janta, os três se reuniram em volta da mesa como nos velhos tempos, riram, conversaram, e logo mais Justine foi para casa se arrumar.

– Tchau mãe, obrigada pela conversa – disse Justine enquanto a abraçava – Tchau papai – se despediu beijando o pai carinhosamente.

Justine entrou no carro e disparou até o apartamento, já passava das nove horas e ela não tinha menor idéia de onde era, nem o que vestir. Entrou no apartamento correndo e deixou o computador ligando enquanto tomava outro banho. Conectou-se a internet e entrou no closet para procurar algo.

– O que vestir? O que vestir? – dizia ela com as mãos nos cabelos.

O celular apitou, era uma mensagem da Amanda.

“Amiga, já está se arrumando? Não vai me esquecer em sua safada. Recebeu meu e-mail? Beijos, até logo!! x)”

Justine sentou na mesinha e foi olhar o local, jogou o endereço no Google maps para encontrar o melhor caminho e voltou a se arrumar, entre vestidos, saia e calças ela não tinha idéia do que vestir.

– Acho que um pretinho básico vai bem em qualquer lugar!

Vestiu um tomara-que-caia preto com um belíssimo decote coração e um pouco acima do joelho. Colocou um bolerinho de renda preto, só como enfeite pois não cobria muito seus fartos seios. Correu para o banheiro.

– Caramba, sabe aqueles dias que não da nem vontade de se arrumar? Hoje é meu dia! Droga…. Cadê meu pó… Aqui! Nossa que pele lixo está a minha… Acho que só vou cobrir essas espinhas que surgiram e passar um rímel, será que consigo?

Depois de algum esforço ela consegui se maquiar, uma sombra clara, rímel preto, cílios alongados com o delineador e um batom rosado para dar um ar de saudável. O closet de Justine era um sonho, Lucas, amante de sapatos sempre a presenteava com novidades belíssimas.

– Que droga, às vezes ter muita coisa é um saco, não sei o que calçar, definitivamente, não sei.

Depois de gastar quase 30 minutos calçando diversos sapatos para decidir qual usaria, ela colocou o primeiro que experimentou, salto 10cm vermelho de vinil bico arredondado.

– Acho que to pronta!

Olhou para o relógio já passara das dez e meia, conforme havia combinado com Amanda.

– CARALIO PUTA QUE PARIU, A AMANDA VAI ME MATAR! GRRR – gritou enquanto imprimia o mapa, nem parou pra desligar o computador e saiu correndo trancando a porta.

No elevador ela olhou o endereço.

– Ainda bem que não muito longe, e não tem muito transito.

Ela entrou no carro e saiu em disparada. Ao chegar em frente ao local, o celular tocou, era Amanda.

– Oi amiga!

– Porra Justine, tu vai mesmo me dar um bolo é?

– Não eu já estou em frente, só tenho que achar lugar pra estacionar.

– Segue um pouco mais que tem um estacionamento logo enfrentem é mais seguro, te encontro lá.

– Ok! – ela desligou, seguiu um pouco mais e logo achou o estacionamento.

Fechou o carro e saiu do parking, Amanda estava na frente a esperando.

– Que bom que você veio! – disse Amanda indo em sua direção para abraçá-la.

– Não disse que eu vinha!

– Vamos vou te apresentar o Vitor, ele trouxe um amigo.

– Ah safada, planejando as coisas pelas minhas costas?

– Você vai me agradecer. Mudando de assunto, menina, você ta chique demais, os caras vão cair matando, e eu toda básica.

– Não sei onde básica com essa calça justíssima e este corselet, os peitos pulando de tão apertados – risos.

– Tô tentando entrar no clima do lugar, mas você vai se dar bem, ta toda pin upizuda! – disse Amanda enquanto ria – bem eles estão lá dentro, preparada?

– Meu Deus, até parece que vou conhecer meu futuro marido.

– Quem sabe! Aproveita e guarda a aliança na carteira.

– Tá loca? – disse Justine brava.

– Amiga, você vai me agradecer.

Quando entraram havia uma roda de mulheres alvoroçadas, Justine não entendi o que estava havendo, era muito escuro ali, mas já pode sentir como seria a noite, ainda na entrada ela já havia levado uma cantada do porteiro, outra de um rapaz que passou esbarrado nela.

– Ah! Eles estão ali – apontou para a mesa logo depois da reunião feminina – Cara odeio essas Maria Topetudo, onde vou passo raiva, ainda bem que o Vi não ta nem ai, só olha pra mim.

– Também, ele deve se perder ai nesses peitos, caracas Mandita, estão enormes – disse Justine dando uma apertadinha enquanto ria.

– Safada, vai que eu gosto!

Não basta ser amante

Você já se deparou com aquela típica cena da TPM, onde sua parceira fica o cumulo da sensibilidade e até mesmo perde a razão das coisas? Ou quando ela está com problemas familiares e não sabe como resolvê-los, é uma série de coisas que afetam o dia-a-dia de várias mulheres, e com sua parceira não será diferente.

Às vezes uma amizade não basta, nem tudo que acontece, nós sentimos que dá pra contar aos amigos, mesmo os melhores, se você já conquistou o titulo de “melhor amante”, porque não ganhar o prêmio de melhor amigo?

Não basta você dar conta do recado na cama, tem que saber ouvir, aconselhar, dar colo e carinho (que não seja nas preliminares), muitos perguntam “como é o cara ideal”? Ideal nada nesta vida é, sempre poderá haver erros ou defeitos, mas o bom companheiro sabe escutar (ou ao menos sabe fingir), tudo o que uma mulher busca é compreensão. A TPM é um fato, os hormônios entram em ebulição, algumas ficam tão ruins que precisam de medicamento (que somente o ginecologista pode prescrever), assim como nós tentamos tornar o ambiente mais agradável ao nossos parceiros quando estão estressados, devemos receber o mesmo carinho e dedicação.

Lembre-se: uma relação vai além do sexo! (pelo menos para muitas mulheres) Então traga um pouco de luz a estes dias tempestuosos de sua parceira, ela se sentirá a mulher mais sortuda do mundo e pronta para retribuir.

Freak Butterfly

Homens: o mau “necessário”

casal

Depois das minhas ultimas experiências amorosas e de ouvir os reclames de algumas amigas, fiquei pensando comigo mesma. O que passa na cabeça dos homens? Porque em um minuto eles te desejam mais que tudo e no outro eles não queriam te iludir? Porque eles mentem? Isso é algo quem vem no gene? É uma necessidade?

Homens sempre reclamam que mulher não sabe distinguir quando o cara quer só sexo ou quando ele busca um romance, claro que como em tudo nesta vida há exceções, há umas e outras que ainda se iludem, mas a maioria já está “ligada”, por mais que ele procure romance, ficamos com o pé atrás achando que no final ele busca somente sexo.

Sexo! Sexo! Sexo! Claro que o sexo é importante, mas ele não chega a ser 100%, pois hoje em dia, sexo é igual comida de solteiro, basta ir ao “mercado” e escolher o que quer “comer”. Agora, carinho, atenção, colo, isto esta escasso.

O mundo se tornou prático, on-line, e o sexo também, as relações também. Por isso as rapidinhas se tornaram rotina, e inicio de namoros mais rápidos que nunca, conhecer o parceiro não é mais necessário, hoje você diz sim (pois, com a concorrência crescendo cada dia mais, não podemos perder tempo), hoje você beija, amanha você transa e em pouco tempo já estão namorando.

Pedir em casamento também é algo muito fácil, é mais fácil do que pedir um prato no restaurante, o cara chega e diz: “Casa comigo?”, e a grande maioria, ainda cai na conversa do individuo.

Mas isto tudo não é um mau somente masculino, há mulheres que só buscam sexo, mas o problema é que o cara só “dá” quando ele ta afim (eu sei é raro homem recusar, mas existe), pois depois do segundo encontro sexual, se você quer encontrar o cara novamente, ele já pensa que você quer namoro, e te diz: “desculpe se eu não sinto o que você sente por mim?”.

Será que quando gozamos nossas vaginas gritam: “CASA COMIGO, EU TE AMO!”?

Eu gostaria de saber, isso ainda é um mistério pra mim. Digamos, um cara pode pentelhar pra te comer varias vezes no mês, mas se você liga pra ele varias vezes neste mês querendo sexo, ele pensa que você quer algo serio. Uma moça não tem direito de ter apenas um “P.A.” (sigla que uso com amigas para definir o “Pau Amigo”)

Outra coisa que esta cada vez mais comum é: hoje ficamos, temos algo em comum e amanha estamos namorando.

Lembrem-se: Antes só que um mau namoro. Isso pode estragar tudo que poderia realmente acontecer de bom entre vocês. É terrível descobrir que vocês tem um gosto musical em comum, mas não freqüentam os mesmo lugares, não gostam das mesmas comidas, odeiam algum amigo(a) dele(a) (alerta, nunca fale mau dos melhores amigos, isso estraga tudo, pois amores vem e vão, mas os amigos estão lá, principalmente quando os mesmo te dão um fora), claro que não dá pra parecer em tudo, mas há diferenças que estragam qualquer relacionamento.

Mas o que eu queria dizer realmente com este texto? Talvez nada, talvez tudo. Não sou feminista, muito mesmo uma Riot Girl, não vejo vantagens alguma nisto, mulher é dependente sim, é carente, tem TPM, gosta de carinho, mas no meio do desespero, não tome decisões precipitadas, procure um amigo, ele pode te dar tudo isso, até o sexo.

Namoro também é marketing, onde se utiliza a melhor estratégia, o “boca-em-boca”. Se pisar na bola é bomba na certa!

Então vamos com cuidado e deixemos tudo as claras. Doa a quem doer, ainda é a melhor opção.

Freak Butterfly.

* Imagem: Leo Fontoura