RSS Feed

Conhecendo seus direitos sexuais

 

Você sabia que temos Direitos Sexuais? Pois é, eu não sabia, até agora e nada melhor do que compartilhar com vocês tamanha informação. A declaração dos Direitos Sexuais foi estabelecida no XIII Congresso Mundial de Sexologia na Espanha em 1997.

Se você como eu não tava interagido – digo de forma mais profunda –  neste assunto, conheça agora seus Direitos Sexuais:

  • Direito à Liberdade Sexual – abrange a possibilidade dos indivíduos em expressar plenamente seu potencial sexual. No entanto, estão excluídas todas as formas de coerção, exploração e abuso sexual em qualquer época ou situação da vida. (isso só ocorreu na década de 70 né? Pois depois que ela passou, essa liberdade se tornou novamente um tabu)
  • Direito a Autonomia, Integridade, e Segurança Sexual do Corpo – este direito inclui a habilidade de uma pessoa em tomar decisões autônomas sobre a própria vida sexual dentro do contexto da ética pessoal e social. Também inclui a capacidade de controle e prazer de nossos corpos, livres de tortura, mutilação e violências de qualquer tipo. (a não ser que você seja adepto ao sado-maso e esteja consciente do seu significado, afinal isto também é liberdade)
  • Direito a Privacidade Sexual – é o direito às decisões e aos comportamentos individuais exercidos na intimidade desde que não interfiram nos direitos sexuais dos outros. (parece uma frase montada)
  • Direito à Equidade Sexual – este direito se refere à oposição de todas as formas de discriminação, independentemente do sexo, gênero, orientação sexual, idade, raça, classe social, religião ou limitação física ou emocional. (estamos vivendo a ausência deste direito com a legalização do casamento gay, infelizmente, há pessoas que vivem na ‘caverna’, não se abrem ao mundo e se limitam unicamente a julgar)
  • Direito ao Prazer Sexual – incluindo o auto-erotismo, é uma fonte de bem-estar físico, psicológico, intelectual e espiritual. (enfim, sexo é bom para tudo que há de necessário na vida)
  • Direito a Expressão Emocional Sexual – é mais que um prazer erótico ou atos sexuais. Cada indivíduo tem o direito de expressar sua sexualidade por meio da comunicação, do contato, da expressão emocional e do amor.
  • Direito a Livre Associação Sexual – Significa a possibilidade de se casar ou não, de divorciar-se e de estabelecer outros tipos de associação sexual responsável. (ou seja, este é o livre arbítrio sexual)
  • Direito as Decisões Reprodutivas Livres e Responsáveis – é o direito de decidir sobre ter ou não filhos, o número e o período entre cada um, e o direito ao total acesso a métodos de regulação da fertilidade. (não concordo plenamente, claro que devemos escolher se queremos ou não procriar, mas vendo a degradação do mundo, o difícil acesso a educação, alimentação e principalmente pais loucos, abuso sexual, entre outros, este direito poderia ser algo questionável, digno de um atestado de sanidade apito ou não para a maternidade/paternidade)
  • Direito a Informação Baseada no Conhecimento Científico – a informação sexual deve ser gerada por meio da pesquisa científica livre e ética, e disseminada de modo apropriado em todos os níveis sociais. (ao menos nesse país, sei que não funciona, aliais diversos tipos de informações não são divulgadas como deveriam, ou seja, em diversos níveis sociais)
  • Direito a Educação Sexual Integral – este é um processo que inicia no nascimento e segue pela vida toda, e que deveria envolver todas as instituições sociais. (coisa que também não ocorre, se houvesse este tipo de diálogo ainda na puberdade, talvez houvessem menos doenças alastradas, gravidez indesejável entre outros, se na geração de nossos pais isso não era comum, na nossa deve ser fundamental para a saúde da prole)
  • Direito a Saúde Sexual – o cuidado com a saúde sexual deve estar disponível para a prevenção e o tratamento de todos os problemas, inquietações e transtornos sexuais. (acho que a falta de informação, ou programas que estimulem tais buscas, faz com que as pessoas se acomodem, mesmo nos dias atuais)

Claro que não pude deixar de dar meus ‘pitacos’, é fácil criar direitos, leis e regras, o difícil é serem respeitadas, o mundo pode ter evoluído em diversos aspectos, mas quando o assunto é SEXO, a palavra TABU (infelizmente) não pode ainda ser ignorada.

*Fonte: O Globo on-line

 

 

 

About FreakButterfly

Que fique logo claro: não sou sexóloga (apesar de que gostaria muito), também não sou formada em psicologia, sou Bacharel e Adm. Com habilitação em Marketing e agora Bacharel em Jornalismo. Tenho este blog desde meados de 2008, onde comecei a escrever por mera diversão e distração do tédio e solidão que a cidade onde morava até então me proporcionava. Com o passar dos dias, o blog foi crescendo e a vontade de escrever também. Amo escrever e espero faze-lo bem! Não estou aqui para julgar, descriminar ou fazer apologia a qualquer coisa que seja, escrevo do que gosto para pessoas que gostam do mesmo que eu, e se o ofendi, sinto muito, mas basta fechar a pagina. No mais, volte sempre!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: