RSS Feed

Auto-Flagelo: Se cair, levante-se

Já diziam os antigos, “mente vazia, oficina do diabo”, e estavam certos. Depois de meses sem ao menos penar em me ferir, ontem, eis que o ‘diabo’ me tentou.

É difícil… Desviar o pensamento da dor é, pra quem luta diariamente para não ter recaídas, uma verdadeira tortura. Mas nem todos iriam entender, somente quem está lutando pra abandonar um ‘vício’ pode saber do que estou falando.

Eu luto! Dia a pós dia, entre a depressão e euforia, eu sigo, mesmo que nem sempre esteja de cabeça erguida, eu sigo.

Vejo aqui tantos outros como eu e penso: porque este assunto não é abordado pelas mídias de maneira mais aberta, assim como os viciados em drogas, os compulsivos, nós também precisamos de atenção, precisamos que nossas famílias saibam que isso não é uma ‘manha’ uma tolice, precisam saber como lidar com isso, afinal somos viciados compulsivos em dor!

Tantos outros que vêm aqui me pedir ajuda, comecei a pensar: quem sou eu pra ajudar, dar minha opinião se ainda estou na ‘reabilitação’? Mas sabe, só de poder falar, de me abrir com alguém… Se essas pessoas sentem o que eu sinto quando desabafam, então, de certa forma, sou útil!

A queda nem sempre tem um motivo drástico, uma simples discussão pode alavanca um erupção emocional, eu mesma, ontem, uma discussão com meu pai, pelos mesmos motivos de sempre (família, aliais essa família que não é minha), não poder falar, não colocar pra fora aquilo que está me sufocando simplesmente porque ele não sabe lidar com isso, acha que vou surta, ficar louca, me ferir ou sei lá mais o que, esse simples fato de não ouvir, de “deixa pra lá”, isso que faz não só eu, mas muitos outros se sentir um nada e assim, nossa força despenca novamente.

Eu chorei, solucei, me isolei por segundos no banheiro, e ao olhar meus olhos vermelhos no espelho, vi um vestidinho pink da minha sobrinha pendurado, ela se sujou, eu a troquei e ele ficou ali. Fui lavar roupa! Era eu, o tanque e água por todo lado, quando do nada, aquele pensamento maldito me martelou, uma dorzinha, apenas uma dorzinha só pra aliviar. Eu sacudi a cabeça tentando fazer o pensamento sumir, fui ao varal e lá estava aquele anjinho de cabelos dourados e bagunçados me dizendo, “ou titia”. Pega-la no colo e sentir aqueles bracinhos pequenos envolvendo meu pescoço me fez seguir em frente, não podia, não queria parecer fraca na frente dela. Tantas vezes ela me viu mal, e perguntava, “titia você ta dodói?”, aquilo me partia ainda mais o coração, se eu não era exemplo pra uma sobrinha, imagina pra um filho? Sinceramente, não sou apta a ser mãe, mas isso é um outro caso.

Não vale, não vale a pena, eu já tenho tantas marcas que me afastaram tantas pessoas, pessoas boas. No meu convívio social posso dizer que sou só. Bem, ainda me sobraram alguns amigos, alguns que eu acho que me compreendem (compreensão não é o mesmo que apoiar, amigo que é amigo não apóia atitudes insanas), já outras pessoas, me acham louca, e quando o assunto é afetivo… Ai danou-se! Estou só mesmo, é raro uma pessoa que consiga ficar ao lado de gente como nós (isso soou preconceituosamente, mas sim, como minoria, somos digamos, diferentes, em alguns aspectos), mas não condeno ninguém, afinal não quero ser um peso, mais do que já sou a mim.

Uma coisa positiva que tenho visto são pessoa que vem atrás de ajuda para ajudar quem sofre desse vicio maldito. Eu gostaria de saber como ajudar, mas são sei, pra mim, ajuda quem me escuta, para os demais, penso que isso também será um bom começo.

É um dia de cada vez, um pé enfrente ao outro. Se cair e se ralar, chore o que tiver pra chorar, mas siga enfrente, não desista.

Não quero tentar induzir ninguém a ir a uma igreja, templo, ou seita, sei lá, mas a fé ajuda, seja de onde ela venha. Eu não sou espírita, sou católica, mas acredito nos ensinamentos espíritas, e se eu pudesse indicar uma leitura, leia “Nosso Lar” que hoje estréia nos cinemas, isso fará você repensar quando frases como “melhor morrer do que viver assim”, “lá não deve ser pior que aqui”, entre outros pensamentos suicidas, pois, já ouvi milhares de vezes que “não me corto com a intenção de morrer”, porém, o auto-flagelo pode levar a morta como qualquer outro vício. “Nosso Lar” mostra um pouquinho e explica o que é o suicida. Vale a pena ao menos para refletir.

Haverão dias que você não irá resistir porque está muito mal, em outros sentirá falta (isso mesmo, você poderá sem motivo algum, sentir saudades da sensação que ver o sangue correr nós dá). O auto-flagelo é uma droga, não se cale, não se isole, busque ajuda!

About FreakButterfly

Que fique logo claro: não sou sexóloga (apesar de que gostaria muito), também não sou formada em psicologia, sou Bacharel e Adm. Com habilitação em Marketing e agora Bacharel em Jornalismo. Tenho este blog desde meados de 2008, onde comecei a escrever por mera diversão e distração do tédio e solidão que a cidade onde morava até então me proporcionava. Com o passar dos dias, o blog foi crescendo e a vontade de escrever também. Amo escrever e espero faze-lo bem! Não estou aqui para julgar, descriminar ou fazer apologia a qualquer coisa que seja, escrevo do que gosto para pessoas que gostam do mesmo que eu, e se o ofendi, sinto muito, mas basta fechar a pagina. No mais, volte sempre!

11 responses »

  1. Muito bom o texto… sofro do mesmo problema e também conconrdo q o primeiro passo pra ajudar algm q estaja passando por isso é ouvir essa pessoa…estou a vários meses sem machucar e acho q o principal motivo dessa melhora é q além de muita força de vontade eu encontrei amigos q me criticam pelo q faço, mas q me ouvem, q me confortam e me mostram o caminho, sem em nenhum momento deixarem de ser meus amigos…

    Responder
  2. Nossa…realmente bem ‘tocante’ o seu “desabafo / lição de vida / conselho” pra quem tem esse tipo de problema, o problema é que a auto-flagelação, pra grande parte da sociedade parece ser somente mais um tipo de ‘frescura’, e pra sociedade moderna, é ‘coisa de emo’…problemas como esse, o povo resolve somente empurrar pra frente e fingir que não existe…
    Vc escreve pra caralho Poli…parabens!

    Responder
  3. Oi , passei a visitar seu blog esporadicamente.Me comoveu o seu depoimento… Sabe só tenho duas coisas para te dizer… 1ª Cuide do seu corpo e mente é um presente de Deus para você. 2º Se precisar de mais alguém para lhe ouvir, eu estou aqui! Beijos e se cuida…seja forte!

    Responder
  4. Pois é minha amiga, eu tento me auto flagelar, porque sou habituado nisso. As palavras escorrem da minha boca, com ato de ira, revolta. Eu fico tão nervoso e tão raivoso dos meus problemas, da minha incapacidade de resolver meus problemas, da minha prova e eu realmente fico espumando de raíva. Eu tento me auto flagelar. Já tentei suicidio várias vezes, mas eu não consigo mais fazer isso. Não consigo mais me auto flagelar. Eu tento, mas não consigo. Alguma coisa me impede. E essa coisa se chama Evangelho . Desde que eu descobri esse livro eu me seguro. Isso me acalma. Isso é para mim como um calmante. Porque eu leio e ele me leva a um consolo, um apoio. Um consolo que eu nunca tive de nenhum familiar. Eu sou depressivo. Sofro de depressão crônica. Desde que me tornei evangélico a minha vida melhorou, porque descobri que todo mundo passa por um processo de sofrimento que serve para purificação. Está certo, eu não aceito sofrimento e por causa disso eu me judio. Mas ali no lugar em que estou me sinto em paz. Porque recebo uma orientação que me dá condições de vencer as crises da minha mente perturbada. Eu recebi o Consolador. Ele é uma voz que soa no meu coração. Podem pensar que eu estou maluco, viajando. Mas não estou. Essa voz fala com suavidade e diz. Calma. Eu vou te salvar, vou te ajudar, você não machucará seus pés. Está ruim, mas estou contigo e você vai vencer. Não é auto ajuda. É uma voz mesmo. Descobri que essa voz é o Espirito Santo de Deus que recebi quando fui batizado. Não estou te dizendo para trocar de fé, porque Deus deu a fé em cada um e a crença no que foi indicado e no que se sente melhor. Mas falo por mim. Já fui de muitas religiões, mas nunca senti essa presença tão ardente. Na verdade o que te indico é que leia o evangelho. Esse livro é indicado por todas religiões, inclusive a católica e a espirita. Tem cartas de alivio. Salmos. Esses Salmos descrevem a história de um Rei que sofreu muito. E Jó um profeta que sofreu tanto que sua vida era reduzida a pó. Imagina um homem que era milionário, tinha uma familia farta e era bem sucedido, temente a Deus e nada lhe faltava. Derepente apareceu Satanás na tenda e ele disse a Deus, Esse teu filho vai te blasfemar. E ele disse a ele que podia o tocar e tirar tudo dele e ele não o blasfemaria. E o coisa ruim foi e tirou tudo dele. Deixou ele sem nada. Ele perdeu a riqueza, perdeu os filhos, a esposa e também ficou doente, foi acometido de Fogo Selvagem. E na sua angustia ele buscava a Deus e ele o ajudava a passar pelas adversidades. Ele passava raspas de telhas na pele porque a ardencia era muita. Cheirava mal e andava pelos cantos. Depois Deus o restituiu e ele teve o dobro que tinha quando estava doente. Ele não negou a Deus. E Deus o restituiu. O que estou te dizendo é que a Biblia fala de pessoas como nós que sofreram como nós e perderam as esperanças. E Deus salvou a vida desses. E em cada pedaço há uma lição de esperança. Indico esse tipo de leitura pra você. Vai te fazer muito bem.
    Um forte abraço.

    Responder
  5. Impressionante o seu texto. Identifiquei-me toda e, fora algumas eventuais diferenças de vida, parecia que você estava escrevendo uma situação que vivi há pouco. Também me automutilo, mas não tenho orgulho disso. Estou tentando parar, todavia, quem se corta sabe: Você quase nunca pára e quase sempre continua. A cura é difícil. Creio até que seja “meio impossível”. Mas vale lutar, já que a vida do ser humano é isso mesmo: Luta. Como você diz: Se cair, Levante!
    Um bj

    Responder
  6. A muito tempo sobro de uma depressão terrível…Faço tratamento direto com psiquiatra e tomo muitos remédios!!!Sei q agora o problema esta agravando-se cada vez mais. Não acredito mais em Deus e em ninguem…Criei raia de todos da minha família…acho q eles não tão nem aí pra mim.Tentei o suicidio várias vezes, várias mesmo…Até já fui internada em um hospital psiquiatrico, foi a pior experiência q vivênciei. A única coisa q me deixa em pé é a minha filha…ela é tudo q eu tenho!!!!E a um tempo atrazfaz, cada vez q vem a ideia de suicidio na minha cabeça, eu vou até o banheiro com uma faca e me corto, parece q aquela dor fazia a ideia de suicidar-me desaparecer.

    Responder
    • Veja bem Roberta, se ela é tudo pra vc, faça tudo para que ela te veja bem, e nunca sinta o que vc sente, pois os filhos podem herdar certas manias dos pais…
      A dor não apaga nenhum sofrimento, busque algo que te faça bem, quando quiser te fazer mal, vai na sua filha, de um abração, beije-a faça carinho.

      Se cuide!

      Responder
  7. Vocês não estão sozinhos, somente acham que estão, existem muitas pessoas como eu disponíveis a bater um papo legal e saudável, quando se sentirem sozinhos lembrem-se primeiramente de Deus, por mais que às vezes sintam raiva das pessoas que os rodeiam sendo eles os pais os irmãos os filhos ate mesmo os amigos mais íntimos, haverá alguém disposto a conversa com você, a te escutar a te aconselhar, o bom conselho vem de onde menos se espera, às vezes pode vir de uma criança de 5 anos, ou de um senhor de 50 anos, de uma sala de bate papo, no supermercado, na lotérica, no shopping, existem vários lugares onde você pode esta procurando uma companhia agradável, existem também os poréns da vida né, você cheio das boas intenções, precisando de um conselho, de um ombro amigo, alguem para desabafar, ai vem o engraçadinho, faz uma piada, tira um sarro, vem com uma historia mais absurda ainda.

    A conselhos e conselhos vão depender muito de quem você esta pedindo ou de onde você esta se apoiando.

    Muitas pessoas procuram se fazer de coitadinhas para não se sentir sozinha, e acaba-se confundindo realmente o necessitado de uma companhia daquele que só esta fazendo tipo, os bons acaba pagando pelos maus, mesmo que se sinta só que não é o seu caso, mesmo que não se lembre de Deus, mesmo que não tenha um pé de cristão ao alcance da sua visão, ainda sim, por favor, não culpe ninguém pelo que você se transformou, ou pelo o que pensou, ou resolveu agir daquela forma, você, assim como todo mundo tem os seus defeitos, mas também tem qualidades, e uma das qualidades mais importantes que talvez você não saiba que tem é, que você não precisa de ninguém para ser feliz.

    Somente você tem a força para escolhe o que você quer da sua vida.
    Que escolha você vai fazer agora?
    Você quer esquecer tudo o que já passou começar uma vida nova cheia de experiências, ou quer continuar como esta e cada vez mais descendo um degrau da sua vida.

    Meu ditado favorito é… NUNCA SE ESTA RUIM O BASTANTE QUE NÃO SE POSSA PIORAR UM POUCO MAIS.
    Mas cada obstáculo na vida nos serve para deixarmos mais fortes ainda, cada vez que você escorregar e cair você vai levantar mais forte ainda, mas é como eu disse a escolha é somente sua você tem a força.

    Você pode escolher levantar ou escolher ficar deitadinho no chão, para não correr o risco de cair novamente.

    Um abraço enorme em cada um de vocês, que Deus nos abençoe,
    Ate à próxima.

    ASS. Hijo Noleto

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: