RSS Feed

Auto-flagelo: Seguindo em frente sempre

Depois de muito tempo sem atualizar, gostaria de pedir desculpas por tais falhas, pois andei muito ocupada e dizer que sempre entro para ler os comentários que deixam aqui, e sempre que posso respondo-os.

Tendo em vista que há muitas pessoas na mesma situação da qual estive (ou estou, pois ainda não sei), resolvi me abrir mais uma vez para contar sobre minha difícil jornada em busca da “cura” (se é que há uma cura pra isto).

Já faz algum tempo, cerca de 5 meses que eu estou “limpa”, e digo mais, não é fácil permanecer assim, porém a vontade de parar tem sido maior que a vontade de me cortar.

Sei que muitos de vocês vêm aqui para desabafar e fico muito feliz com isso, é como se de alguma forma me expor pudesse tê-los ajudado de alguma maneira, mesmo que não tenham parado (ainda). Tudo o que disseram, todas as histórias que me contaram, acredite, eu passei por tudo isso, a reprovação da família, a gozação das pessoas, a vergonha, o medo e a vontade de ir mais além. Eu cheguei a ser vista como louca pelo meu pai a ponto de ouvir que seria internada. Foi quando eu estava no fundo do poço, quando eu pensei que não teria mais chances de parar, que logo eu terminaria com tudo, foi quando encontrei um fio de esperança e palavras que me fizeram acordar pra vida e ver que viver, mesmo em tempos ruins, é melhor do que o que possa nos aguardar do outro lado da vida.

Não, eu não me converti, nem fiquei louca, mas sim, eu creio no que o espiritismo prega e sim, eu penso que ao me matar irei sofrer o dobro até reencarnar. Eu confesso que até ajuda pela cura espiritual eu já busquei, e sim, por um tempo resolveu, mas nada realmente da certo de não partir do principio de que NÓS queremos, e PODEMOS!

Primeiro eu me abri com minha família, pedi ajuda mesmo, busquei ajuda psiquiátrica, mas nem sempre os remédios acalmam certas dores. Fiz terapia, mas o melhor remédio estava no ombro dos amigos, nos verdadeiros amigos que te escutam sem criticar e te dão força para não cair mais, e mesmo que caia, ele não irá te crucificar e sim te dar a mão para seguir em frente sempre.

O auto-flagelo é como uma droga, como qualquer outro vicio, você fica dependente da dor física pra aliviar o sofrimento mental, mas no final, como qualquer outra droga, logo o efeito passa e você vê que ao invés das coisas melhorarem, elas piorarão.

Eu sei que é difícil, e às vezes chega parecer impossível, mas não é! Primeiro temos de aceitar que precisamos de ajuda, sozinho é difícil, posso dizer por experiência própria. Quando me sinto mal, quando a dor bate, e a vontade aperta, quando a tentação é maior do que minhas forças, eu corro atrás de alguém, se estou sozinha, ligo pra alguma amiga e busco conversar, tentar tirar o pensamento do caminho. Distrair o cérebro é a forma que tenho encontrado para desviar os pensamentos sabotadores.

Sempre que estou péssima, busco me distrair, ver um filme, ler um livro, conversar mesmo que bobagens com outras pessoas, ou até mesmo chorar. Sim! Chorar, isso parece (ao menos pra mim) aliviar as angustias. E quando penso em fazer, eu tento na mesma hora pensar no ‘porquês’ de eu querer parar.

Nada nesta vida vale a pena! Nada vale nosso sangue e dor! Sei que é clichê, mas devemos ser mais fortes e não ter vergonha de buscar ajuda quando necessária, ou de recomeçar quando cair.

Pense nisto, reflita! Não sinta vergonha, não pense que você é fraco ou covarde, pense no quão forte é por tentar, e que é tentando que irá chegar lá. E se você conhece alguém que precisa de ajuda, ajude-o.

Freak Butterfly.

*Imagem retirada do Google Imagens

About FreakButterfly

Que fique logo claro: não sou sexóloga (apesar de que gostaria muito), também não sou formada em psicologia, sou Bacharel e Adm. Com habilitação em Marketing e agora Bacharel em Jornalismo. Tenho este blog desde meados de 2008, onde comecei a escrever por mera diversão e distração do tédio e solidão que a cidade onde morava até então me proporcionava. Com o passar dos dias, o blog foi crescendo e a vontade de escrever também. Amo escrever e espero faze-lo bem! Não estou aqui para julgar, descriminar ou fazer apologia a qualquer coisa que seja, escrevo do que gosto para pessoas que gostam do mesmo que eu, e se o ofendi, sinto muito, mas basta fechar a pagina. No mais, volte sempre!

6 responses »

  1. Muito bom o seu texto! Eu não sou espirita, sou judia, mas acho que uma crença espiritual ajuda muito quem passa por isso. Muitas vezes não me cortei e nem me esmurrei pensando que Deus está do meu lado e não gosta que eu me faça sofrer.
    Mas , concordando de novo com você, acho que a ajuda médica é necessária e sem ela, e o apoio dos amigos, fica muito difícil se curar.
    Deviam faze os auto-flageladores anônimos e auto-mutiladores anônimos, desabafar é muito importante.
    Adoro os seus textos, e eles ajudam bastante!
    Graças a eles (parcialmente pois minha psicóloga também me ajudou muito, e minhas amigas…) busquei ajuda médica =)

    Responder
  2. Ana Paula Fortes

    EStou no começo e estou assustada com isso, é novo pra mim, minha familia acha que infantilidade minha e me deixa pior ainda, nao consigo controlar, e ainda tenho tenho fiçho de 4anos, que amo muito, mas na hora nao consigo pensar em nada, depois que passa que cobro mais ainda porque tenho um filho. O que faço? Tem remedio pra isso?

    Responder
    • Aninha!
      Eu sei exatamente como se sente, eu so nao tenho o filho!
      é dificil se controlar quando a furia nos invade, e familia… realmente… tipo minha mae tenta me ajuda… mas meu pai… tem so medo de ser culpado sabe… isso me magoa muito.. sei como se sente!
      Ha terapia para isso.. e so um psiquiatra pode lhe recomendar um remedio, que provavelmente, será para toque.. mas nunca se auto-medique, pois isso pode piorar.. tenha forças!!!!

      Responder
  3. tive(tenho, as vzs volta) esse problema =/
    agora sei la meio que parou, porque meus problemas diminuiram muito…
    so vim comentar porque tem mais gente assim que nem nos, do que podemos imaginar

    Responder
  4. Oiiii passendo pelas suas palavras novamente, isso me faz pensa, cada ser humano reage com a dor e as adversidades de diversas formas….eu te desejo o melhor possível, desejo que fique bem…e que busque ajuda médica mesmo, em psicólogos, amigos em geral, eu adoro espiritismo e me ajuda muito a viver bem e da melhor forma possível….linda procure buscar equilibrio em tudo…pois pela forma q vc escreve, vc deve ser bem intensa…e por favor não se corte, não se flagele…fique na paz…pois vc é maior do que tudo isso…
    A partir do momento que vi sua reportagem na revista vc ganhou mais um leitor e mais um fã…fique bem..Bjos!

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: