RSS Feed

Auto-Flagelo – Relatos de uma viciada

761182425d19d7e0a423cc171e963f83

Se muitos buscam nas drogas ilícitas uma fuga para suas dores psicológicas, eu infelizmente, busquei outras dores para “tentar” se distanciar daquilo que me afligia.

Resolvi escrever, pois tenho visto que a cada dia que passa, encontro mais pessoas com o mesmo problema, o auto-flagelo, visto na psicologia como “mania”.

É estranho estar aqui e colocar minha cara a tapas, mas como muitos de nós somos julgados, em conseqüência de uma modinha estúpida intitulada “emo”, as pessoas acabam nos tachando como estes, e não enxergando o verdadeiro problema que há por trás.

Sei que muitos não tentando fazer isso para provocar suas mortes, mas há casos de pessoas que mesmo sem desejar, veio a óbito.

Neste exato momento em que me encontro em meio a uma crise voraz, vi como o melhor momento para escrever e transcrever melhor o que realmente se passa em alguém que se mutila.014087964-gdq00

As vezes somos tão egoístas pois não vemos que além de provocar nosso próprio sofrimento, atingimos pessoas que realmente nos querem bem, como nossos familiares. Hoje pela manha, quando não consegui acordar para trabalhar, pois tomei havia tomado uma cartela de cloroadizepam na esperança de ao menos provocar um coma e assim me desligar verdadeiramente do mundo (já que ainda sou covarde demais para tirar minha vida, mesmo conhecendo varias formas de fazê-la) ou meu irmão dizer, “você se cortou outra vez?”, sem responder, sem ao menos conseguir me mover, já que os medicamentos me fizeram ficar “chapada” pude sentir o pesar em sua voz ao concluir enquanto saí do meu quarto, “este inferno vai começar novamente”.

Realmente, a vida de nossos familiares se tornam um inferno. Com medo sempre de que possamos fazer o pior a nos mesmos, passamos a ser vigiados e até mau interpretados. Muitos conseguem esconder de sua família e amigos o que acontece, eu sinceramente, moro em uma cidade quente o ano inteiro, e não poderia usar manga longa pra disfarçar as cicatrizes, mas muitos ao meu redor já sabem, e sei de a maioria dos muitos me acham idiota e estúpida por fazer algo assim.

multi5

Porque fazer isto? Eu comecei aos 13 anos quando meus pais se separaram (não os culpo por isto, o divorcio não influenciou, mas a falta de dialogo pode ter acarretado isto em mim), eu sentia raiva de mim mesma, se ser o patinho feio do colégio, de ser a menina mais zoada do meu condomínio, entre varias outras coisas que ocorrem nesta fase de adolescência e descobertas, por isto o único conselho que um posso dar no momento é: seja amigo de seus filhos, ouça-os. Julgar não os levará a lugar algum.

Nesta mesma fase juvenil, eu comecei a me punir por ser quem eu era. Nunca vou me esquecer de estar no canto da dispensa procurando algo pontiagudo para me machucar, e tudo que achei foram pisca-pisca de natal e grampos de cabelo. Eu me arrisquei nos dois, nem sem ao menos pensar no risco do tétano. Quando minha mãe viu os arranhões, que ainda eram bobos, culpei meu gato, já falecido.

Os anos se passaram, e isso me perseguiu, pode ser sadomasoquismo, mas a sensação da dor física anulava toda e qualquer dor sentimental, e ainda era como uma punição pelas coisas erradas, que na grande maioria das vezes não era eu que cometia.

O tempo passa, as cicatrizes aumentam e tem uma hora que alguém vai te pegar no flagra, e foi o que me aconteceu. Meus pais sabem do meu problema, eu já busquei diversos tratamentos, tomei uma lista variada de remédios para controlar a tal mania, ouvi centenas de diagnósticos, mas uma mania sempre leva a outras, hoje eu tenho outra mania (quando digo mania, não são aquelas bobas que todos pensam, são distúrbios, conhecidos também como TOC), como sacolejar a perna e uma das mais agoniantes, tirar a pele dos lábios sempre, todo dia o dia todo.

Parece idiotice, mas isso afasta muitas pessoas de nós. O problema que é algo incontrolável, bem eu confesso que tento, conto até 10, tomo um calmante, tento me distrair com a TV, mas se aquela dor, aquele martírio não para de martelar em nossa mente, não tem outra forma se não a dor maior.

Sei que muitos como eu, sofrem calados, às vezes até mesmo eu prefiro assim. Mas a melhor saída é conversar, colocar pra fora, chorar, espernear, pois de nada adianta de flagelar, logo a ferida fecha e os sentimentos permanecem. Eu sei que o que faço é errado, eu sei de todos meus problemas e acima de tudo sei que devo parar, mas infelizmente, não posso chegar aqui e dizer a vocês, queridos leitores (que sofrem ou não deste maldito distúrbio) que eu tenho a formula pra cura disto, ou que vocês vão superar, quando eu mesma não consigo.

Eu já passei meses sem me infligir à dor física, mas quando menos percebo, lá estou eu no fundo do “poço”, magoando novamente as pessoas que mais amo.

Como um leitor comentou no artigo que escrevi sobre, muitos de nós temos até instrumentos para o corte, para o curativo e truques de disfarces.

Isso não é moda, isso não é absurdo, isso é dor, é sofrimento, é um martírio, é um grito de socorro que poucos ouvem ou fingem não escutar. Uma coisa é certa, sozinho você não irá se curar ou amenizar este conflito, então busque ajuda, desabafe, tente se controlar, pois um dia, a dor é tanta que perdemos a noção do ferimento que nos causamos e podemos terminar como tantos outros jovens que perderam suas vidas prematuramente.

Fiquem atentos, pois quem se auto-flagela não escolhe um lugar do corpo especifico, podem chegar a ser pernas, tórax, ou qualquer outro lugar que se torne “invisível”, alguns casos as pessoas chegam a “tirar” pedaços se seus corpos.

É difícil, é doloroso, mas não impossível, e sei que muitos de vocês conseguirão vencer, assim como eu tenho fé que posso controlar um dia isto que causo a mim mesma. Não sei se meu objetivo foi claro, até porque eu ainda estou sob efeito de sedativos, mas quero que realmente entendam que não é moda, não é forma de chamar a atenção, é um grito de socorro, a nos mesmos.

 

Freak Butterfly (Poliana Zanini)

 

*Imagens retirada do google imagens.

About FreakButterfly

Que fique logo claro: não sou sexóloga (apesar de que gostaria muito), também não sou formada em psicologia, sou Bacharel e Adm. Com habilitação em Marketing e agora Bacharel em Jornalismo. Tenho este blog desde meados de 2008, onde comecei a escrever por mera diversão e distração do tédio e solidão que a cidade onde morava até então me proporcionava. Com o passar dos dias, o blog foi crescendo e a vontade de escrever também. Amo escrever e espero faze-lo bem! Não estou aqui para julgar, descriminar ou fazer apologia a qualquer coisa que seja, escrevo do que gosto para pessoas que gostam do mesmo que eu, e se o ofendi, sinto muito, mas basta fechar a pagina. No mais, volte sempre!

61 responses »

  1. Lindo e triste texto. Dor é algo que passa e muitas vezes, a gente deixa entrar. É como se abríssemos a porta pra ela, assim como pra alegria também. Beijos!!

    João Lenjob.

    Responder
    • Depoimento comovente, assim como esse comentário :”É como se abríssemos a porta pra ela, assim como pra alegria também”. Acabo de ler um post mais recente, onde você me parece bem melhor. Não desista de procurar a alegria dentro de si. beijo

      Responder
  2. eu achp que quando vc se senti no fundo do posso vc devi se pega com Déus, e dizer dotos seus poblemas pra eli e ter muita fé , com serteza eli vai te ajuda ,na medida que vc precisa, mas nuncas se machuca , achando que vc é o cupado de tudo da errado , a vida é assim, se peqi com Déus e encari seu poblema com fé, mas nunca fuge deli dessa forma, se machoca não vai te ajudar em nada , valew irmão ,, se cuida ,,,,, fica na fé ,,
    bad-boy_rael@hotmail.com msn e orkut ,,….. respone pow ,,,……………………………………..

    Responder
  3. Israel, entendo o que quer dizer, mas acho que VOCÊ não entendeu o que quis dizer, aqui o vicio nada tem haver com drogas, ok! que Fique super claro, eu relatei um acontecimento da MINHA vida, mas que se passa em milhoes de outras pessoas, isso não é uma coisa de se apegar somente a Deus (claro a fé qtem muito haver com isso, sem ela nossos caminhos se perdem) mas a questão está dentro de nos mesmo, em querer ser ajudado, em querer se ajudar!
    O sofrimento de muitos vai além da compreensão do proximo, e só quem o sente, compreende, o que quis aqui era que as pessoas não julguem os outros, pois ninguem tem este poder, o que podemos fazer é aconselhar, e ser compreensivel, é isto que muitos flagelados buscam, a luz!

    Responder
  4. Tomara que você encontre alívio de alguma forma, na escrita, acredito que possa funcionar.
    Coragem.
    Quanto a Israel, espero que deus o ajude a melhorar o português que é lamentável. Escrevi deus com minúscula de propósito.

    Responder
  5. Bom, nunca fui zoada (me sentia deslocada sim, mas que pre-adolescente nao se sente?), meus pais são casados, apenas alguns poucos amigos meus sabem, meus familiares nem sonham com isso, não tenho ninguem sofrendo por minha causa. Ninguem nunca nem viu nada, pq assim, com todo respeito mesmo, vc só corta oq q pode ser visto por outra pessoa se vc quiser… e só vai passar calor se vc quiser… E na realidade só passei a considerar ruim o auto-flagelo, o dia q eu não conseguia deixar uma semana passar p que os arranhoes sumissem p q eu pudesse ir ao medico q eu estava precisando. Me sinto ridicula tb em saber q todo mundo q tem essa compulsao sente oq eu sinto (depressao, culpa, etc etc), pq torna tudo mto simples e qd vc tá na intensidade do momento, vc realmente acredita nela. E as vezes se olha p tras e… sei la.. é só vazio… n sei se me entende… Resumindo, se vc acha q tá na hora de parar, acho q a sugestao dessa pessoa: lidia0308, ta no caminho, se gosta de escrever, escreve; de correr corre, oq for, faz ate passar o momento, ja funcionou p mim. Ja fiquei uns anos sem fazer nada, mas, as vezes volta… E, se nao tiver na hora de parar, só se cuida p usar algo limpo e que nao faca cortes profundos, ai vc vai conseguir oq quer tb. Bom, num sei, foi um desabafo p mim… Valeu!

    Responder
  6. bom eu passo por mesmo problema mas ainda não consegui me entender e nem saber porque faço isso,tiro todas as caskinhas de feridas do meu corpo até sangra tenho 31 anos sou uma mulher bonita mas morro de vergonha das marcas que causo no meu rosto pernas braços escondo as feridas com esparadrapo cor da pele mas hoje sinto -me pior não me controlo.sou muito infeliz por isso pois não queria fazer nada DISSO mas minha boca enche d”agua e ai é mas forte do que eu.

    Responder
    • poxa, dificil a sua situacao… Qd a vontade chega ao nivel do incontrolavel é uma merda. Num sei pq voltei aqui p ver se alguem tinha escrito… Acho q finalmente dp d anos perdi a vergonha da coisa… Da vontade d saber o pq as pessoas fazem isso… Mas todo lugar q se lê tem sempre a msm coisa: depressão, culpa, melancolia, etc. As mesmas patologias d sempre… P mim os motivos são os mais variados. Depende do dia. Mas acho q se vc chega a cortar seu rosto, talvez vc seja diferente d mim… N sei, me bate tão forte… Tipo, eu não tenho a sensacao d q o autoflagelo na minha vida seja algo negativo. Mto raramente me impediu d fazer coisas. E mto raramente meus cortes ficam a mostra e consequentemente a vergonha n é uma constante p mim… Mas eu entendo essa falta d controle, a coisa deixa d ser uma fuga e vira vicio, ja me vi a nt na rua louca atras d uma papelaria aberta p comprar um estilete… Rs… Eu ainda n cheguei ao ponto d n qrer mais. Ja tive medo d mim, mas sempre passa, entrei na terapia por isso, mas, sei la, o motivo q eu acho q fazer isso é ruim vem d fora, dos outros, da sociedade, sei la, eu n costumo dar ouvidos a ela… P mim, continua fazendo sentido me permitir fazer isso… Sou eu comigo…

      Responder
  7. Bem… Não sei o que dizer, foram poucas as vezes em que me cortei, foi bom na hora, respirei até de maneira mais aliviada, depois foi terrível observar as marcas e me sentir estúpida por ter feito aquilo. Hoje em dia me vicei em outras coisas para desviar as afliçoes do cotidiano. É difícil dizer o que se tem a fazer porque decifrar a dor de alguém é complicado demais. Sorte a todos.

    Responder
  8. Oi, história comovente, mas com o autoflagelo você não vai se curar, para se curar da depressão procure um médico psiquiátrico, e tente viver a vida feliz, a vida é um dom em que todos temos a chance de passá-la por isso ao invés de se autoflagelar, busque sorrir, sair com os amigos, ir para a balada, conversar mais com seus pais, e quando alguém te zoar, finja que nem ouviu, pois a vida é sua e você vive do jeito que quiser, mas garanto-lhe que sem dor é bem melhor…

    Responder
  9. jonathan, entendo o seu ponto d vista mais assim no meu caso por exemplo, eu tenho amigos e tento nao me isolar sair com eles , rir,brincar, mais qndo vc para e pensa, eh horrivel. no momento q vc ta com eles parece q tah tudo bem mais depois tudo volta, a dor volta,viver sem dor concerteza e muitoo melhor mais se livrar da dor eh o problema. e conversar como os meus pais eh algo impossivel.sempre fui muito sozinha, to tentando vencer esse lado tbm, axo q o ponto principal eh nao se isolar. e na automutilaçao eh qse q inevitavel, vc se isola por causa dos cortes e das cicatrizes q te envergonham. e tao complicado. to tentando me livrar desse mal, mais ta muito dificil, nao sei por qnto tempo mais vou aguentar…

    Responder
  10. é… já tinha ouvido falar em autoflagelo,mais nunca tinha presenciado uma pessoa q faz esse ato.Fiquei um pouco chocada com isso,mais ao mesmo tempo veio uma vontade de querer ajudá-la só que não sei como fazer isto. étanto q pesquisei sobre esse este assunto até q vi este relato e li todos os comentários. Realmente não sei como posso ajudar,não sou proxima(íntima) da pessoa,apenas estudamos no mesmo colegio.Ela disse q se flagelava e que era satanica quando perguntei o q era aquelas marcas no seu braço! E ai o que devo fazer? por onde começo? eu realmente devo ajudá-la? ou buscar alguem q possa ajudá-la?

    Responder
  11. Com certeza, as dores emocionais introjetadas e esquecidas, causam a compulsão do auto-flagelo. Faltou afeto, carinho, dos pais, em determinado momento de sua infancia.
    Acredito que o falar com alguém de sua inteira confiança, sem resistência, permitirá que venham a superfície de sua consciência fatos geradores destas dores, dores estas que foram captadas com uma mentalidade pueril e que sendo tais dores resignificadas por sua mente já madura, tornam sem sentidos tais sentimentos causadores da compulsão.
    Nem sempre tais sentimentos que foram introjetados na infância tem sua origem em fatos traumáticos, mas dependem de como a sensibilidade infantil fez a leitura destes fatos.
    Lameto que uma jovem como vc, tenha que se expor na internet, se de um lado é útil para abrir o debate e expor seu problema para que outros que sofrem encontrem também uma opção, por outro lado, lamento sua solidão afetiva.
    Espero ter contribuindo.

    Responder
  12. Por favor, se você tiver tempo tente me responder. Estou com lágrimas nos olhos. A primeira coisa que fiz hoje, após mais uma vez me dar vários socos, tapas, tentar cortar minhas pernas com as próprias unhas foi abrir um artigo na internet, pois sabia que o que eu sentia não era normal. Estou assustada com o que você disse. É exatamente assim, digo, sobre a dor. Sobre cessar uma dor com outra. Não tenho com quem conversar sobre isso, mas preciso de ajuda. Não quero acabar comigo. Por favor, me responda.
    coudraydreams@hotmail.com

    Responder
  13. Olá! mem sei que te diga! passei por aqui a procura de relatros de outra coisa que nada tem haver, embora seja tambem um vicio… mas não poderia passar sem dizer quea vida é bela e eu posso ser um bom exemplo para isso passei por uma deficiência fisica aos 13 anos e ainda hoje assim sou e cada vez gosto mais da vida… Não consigo entender o que vocês pensam para vos causar uma dor para esquecer algo que vos afecta no forum psicológico… mas gostava de comunicar comvocês que sofrem…
    trabalho na área da saude mas em fisioterapia fisica…
    Força meus amigos e vamos trocar os utenzilios de corte e outras coisas que possam tirar a vida que é unica e sendo ela ofercida por Deus só ele poderá por terninos nela se realmente assim merecermos…

    amador.leandro@gmail.com

    blog pessoal:

    http://www.aminhavidaeisto-ldpa.blogspot.com

    Responder
  14. Oi! Normalmente não comento em blogs, mas hj eu escrevo pq eu entendo e às vezes sinto a mesma dor, ainda que eu não faça feridas profundas em mim ou que sejam perceptíveis depois de relativemente pouco tempo. Não me iludo que, se a dor continuar aumentando, eu não vá fazê-las, talvez as faça, talvez não. O estranho é que sempre tive medo de sentir dor, inclusive a maioria das escolhas que faço tencionam justamente evitar a dor, física, emocional, não importa. Medrosa. Mas quando a dor dentro de mim é insportável, me alivia a ideia de que posso me proporcionar uma dor, pelo menos ilusoriamente, controlável. Não posso falar com muita gente sobre isso. Minha mãe só sabe falar em como eu tenho sorte na vida e em como meu sofrimento é sempre inútil, porque a vida dela foi muito pior que a minha. Me irrita profundamente isso, ela não pode entrar na minha cabeça pra dizer que isso é invenção minha, ou senão fica tentando dar soluções simples que de nada solucionam meus problemas. Mas me dou bem com ela, só que não posso começar assuntos do tipo. Meu pai simplesmente não entende meus sentimentos, apesar de que quando ele fica em silêncio ao meu lado me conforta. Gosto disso nas pessoas, não saírem julgando o que não sentem e nem nunca sentirão. Meus colegas de faculdade são todos diferentes de mim, não vivenciam as pressões do mesmo modo. Os do ensino médio foram se dispersando, é inevitável, eu sempre soube que eles tinham que seguir a vida deles. Não sei se quem poderia me ajudar se afasta de mim ou eu que afasto as pessoas, mas creio realmente que seja a segunda opção. Enfim, não tenho com quem conversar, com quem me queixar da vida, das besteiras que eu faço e às vezes nem consigo chorar, o que não foi o caso de hoje. Prefiro não pensar muito sobre o futuro, sobre o que vai acontecer comigo, porque parece que tudo na minha vida é errado e ninguém percebe. Mas eu não quero dar gritos de socorro. O máximo que obteria é pena. Não quero isso. Porém, também não sei porque sempre busquei aceitação nos olhos dos outros.
    Mas parabéns pelo texto e espero que você melhore e ache um caminho possível.

    Responder
    • Fiquei super feliz com seu desabafo e te digo que eu tb houvi muito isso da minha mãe e irmão. Coisas como tem gente que nao tem pernas ou braços e vc que tem saúde fica ai se ferindo… Mas somente nós sabemos o que se passa em nossas cabeças.
      Eu lhe agradeço, e já estou “limpa” a meses, as vezes a vontade me assombra, mas eu paro, respiro fundo e busco alguem pra conversar. nem que seja por telefone!

      Todos aqui irão conseguir vencer, o primeiro passo é aceitar que estamos doente, o segundo é querer se curar!

      beijos

      Responder
  15. …gostaria de saber que site foi retirado a imagem daquele braço da moça todo cortado…? ja vi as fotos tem umas ate mais brutais… teria como me enviar o link? quto ao texto achei muito show! continue….

    Responder
  16. Patricia Vasconcelos

    Olá,tenho 25 sou casada a 7anos meu marido sabe eu acho que ele sabe ou imagina…….. comecei a me auto flagela a uns 6 meses,quando fico nervosa lembro de algo que me aconteceram no passado intrigas com meu pai, frases horríveis que ele me dizia e que marcaram a minha vida e também a última frase em que meu ex namorado falou (vou ser simples rápido e objetivo …..acabou) esta frase só de escrever me da raiva, quando fico nervosa por qualquer outro motivo esta frases e outras e momentos tristes que aconteceram no passado vem em minha mente as frases gritam em meus ouvidos e unica coisa que me alivia este ódio este sentimento e me cortando com qualquer coisa que eu encontre é muito triste fazer isto…… …. depois tenho muita vergonha das pessoas elas ficam perguntando o que ouve no seu braço na suas pernas eu como sempre uso as mesma as mesmas disculpa me arranhei no muro foi o gato ……….tenho muito medo de um dia fazer besteira, devemos ter fé em Deus que um dia seremos curadas……… Beijos

    Responder
  17. Hj minha mãe brigou cmgo… pq eu não queria limpar a cozinha… que estava um nojo, eu expliquei pra ela o pq de eu não limpar (eu faço tudo e ela desempregada há 1 mes não faz nada!) mas disse com outras palavras… sendo que o dia todo ela me xingou pq em vez de estagiar, eu quero fazer um curso proficionalizante e o técnico… eu acabei perdendo o controle pq ela deixa evidente de mais que eu sou um problema pra ela, eu só faço ela passar vergonha por eu ter depressão…. acho que a depressão se aprofundou eu eu comecei a me bater na sala enquanto ela limpava a cozinha…. eu me bati mesmo… não por odiar limpar a cozinha, ms por naum ser respeitada em meus objetivos tendo que fazer o que os outros pedem (mandam), saindo completamente do eixo dos meus sonhos e objetivos me sentindo desmotivada pelas pessoas mais importantes da minha vida. Ela disse que se eu continuasse a me bater, me descabelar, mme arranhar ela me ajudaria a me “flagelar”!
    =S

    Responder
    • Camila acho que sua mãe que precisa de ajuda…. Possivelmente os problemas dela estão refletindo na sua vida! Por estar mau ela precisa descontar em alguém, sua mae é a tipica pessoa que acha que isso é burrise, infantilidade!

      Flor nao deixe que ninguem apague seus sonhos, nao deixe ninguem atrapalhar sua vida, lute pelo que deseja!

      se cuida flooor
      tenha força!

      Responder
  18. ola minha querida eu estava indo dormir quando decidi em voltar pra sala ,acabo de me flagear cortar novamete os punhos , so para aliviar a tensao, e muito dificil isso , hoje fui no psiquiatra ele trocou todos o meus remedios, me deu um estimulante e um calmante , porque estou com uma mudança de humor brusca, ja tentei suicidio 3 vezes mas nada cortei pra morrer mesmo mas nem pra isso eu sirvo , nao tenho medo de tirar minha vida , mas agora estou evitando isso e so me mutilo pra ficar mais calma mesmo com calmantes, e o chato de tudo e que eu quando estou super agitada eu quero fazer a mesma coisa mas fico feliz quero usar coisas que causam problemas que se misturada causam morte ou um infaro , e quando eu estou pra baixo eu me corto , e muito complicado relatar meu humor , mas como eu acabei de me mutilar eu posso dizer pra vc que estou calma no momento . e muito dificil desabafar isso com alguem pq como vc disse as pessoas nao entendem. gostaria de manter contato com vc meu email esta ai .qual quer coisa podemos se falar por email ou msn ,
    eu fico muito desesperada . beijos

    Responder
    • Joice, você me parece sofrer de disturbio bipolar, mas so o seu médico pode dizer isso, pra quem se corta estimulantes não me parece adequado, mas não sou médica para dizer, é que a agitação também nos deixa aptos a nos cortar. Olha querida eu nao sei seus problemas, nem os motivos que te levam a isso, mas tenha força, não desista de você, eu sei, eu sei mesmo o quanto é dificil, há dias que acordamos e as coisas dão tudo errado e você diz, “pra que continuar!” “não seria mais facil acabar?”, mas sabe querida, se pegue a alguma crença saudável, não sabemos o que nos espera do outro lado, os relatos de suicidas são horiveis, não sou praticante de religiões mas tenho minhas crenças, e pelo que sei, um suicida sofre muito mais depois de morto, e para cada um que sofre com sua perda sua “pena” aumenta mais e mais, seu sofrimido nao termina na morte, as vezes ele so inicia.

      Responder
  19. texto escrito pela autora (anônima) COUDRAYDREAMS.

    Diante de um material cortante, de uma dor incessante, de um desvio de pensamento e de uma poça abundante de sangue ninguém é igual. São todos meros doentes afogados na dor de um jeito simples, mas descontente.

    E então eles se viram para o lado e fazem um curativo, usam uma blusa de manga longa, abrem um sorriso, e vão para a rua levar as suas vidas normais.

    Ninguém sabe o que há em casa. Ninguém sabe o que há em casa simplesmente porque não querem saber, ou… Simplesmente porque não lhes é contado. E, sim, eles não vão te contar, eles não precisam te contar. E eu também não. Somente dizer que é tão doce, mais tão doce… que amarga.

    E no dia seguinte, as marcas não vão permitir que você se esqueça tão facilmente, e, com o passar do tempo, elas só tendem a aumentar e a aumentar, até que as tão úteis blusas de frio.. Sejam incapazes de cobri-las.

    E eu sei disso. Mas não importa.

    Ele é lindo… relata as consequencias e como as pessoas que se cortam se sentem. parem com isso, amigos… busquem o amor de deus, busquem entenderem os motivos que os fazem fazer isto e principalmente se o problema é mesmo vcs ou os que rodeiam vcs. beijos.

    Responder
  20. Vai passar, assim como eu vou me curar, tenho fé de que vooc ficará livre disso!!!

    Responder
  21. Nessa vida somos testados de muitas formas, algumas delas até crueis, mas como você mesma disse há aqueles que tanto amamos e nossa luta é por eles, já que não fazemos mais tanta questão de nós mesmos. Não me auto-flagelo, mas as vezes uma tristeza descomunal me acomete, sem motivo algum. Eu entendo sentimentos ruins e desejo que você se cure logo. Tudo de bom, sua fé não é em vão.

    Responder
  22. Bm esse video , mi vez ver cm outros olhoos , o que eu não queria ver, é simplismente , a viida e muitos jovems cmo eu , q cm fé em Deus vou parar de mi corta , para sempre.

    Responder
    • Muito obrigada Luciana! Adorei este video espero que as pessoas vejam e acordem, agente sempre tem de lutar sempre e não desistir, algumas pessoas não levam a sério este problema, acham que é modismo só porque alguns Emos acharam que seria legal, por isso acabou que ninguem mais leva a sério o que é seríssimo!
      Força sempre!

      Responder
  23. Me corto há 4 anos, porem pratico atitudes autodestrutivas há 10. Atualmente, freqüento um psicólogo e psiquiatra, mudei inúmeras vezes de remédios – fui de antidepressivos, estabilizadores de humor ao clássico Rivotril – e aparentemente, nada muda. A vontade de cortar-se é extremamente grande. Boa parte de meus familiares, amigos e namorado sabem. Mas o julgamento é sempre existente, e eu afirmo: só entende-se do sentimento quem se corta. Já ouvi dizerem que somos egoístas, demoniacos, insanos. Ninguém tem a mínima idéia do que uma pessoa passou na vida para julgá-la ao se cortar; os sentimentos, as lembranças, as dores. “Cada um sabe a dor de ser o que é”. Guardem seus julgamentos para si mesmos. As cicatrizes que levamos em coxas, rostos, pulsos, braços e ate tórax, vão muito alem de físicas. São cicatrizes mentais, psicológicas. Se isso passara? Não sei. Morrerei devido a isso? Não tenho idéia. Machuco, também, as pessoas ao meu redor? Sim. Já passaram-se 10 anos. Minha personalidade formou-se juntamente com o autoflagelo. E, acreditem, há muitas pessoas que cortam-se. Basta apenas você perceber.

    Obrigada por, simplesmente, lerem o desabafo de uma desesperada com inúmeras cicatrizes na coxa e tórax. E feridas abertas que talvez nunca curarão…

    Responder
    • Sim flor há feridas que as vezes não se pagam mesmo, mas aprendemos a lidar ou conviver com elas! é sempre bom desabafar e saber que foi ouvida por alguém que lhe intende!
      Te desejo toda sorte do mundo e que você consiga a amenizar tais mazelas!
      Tenha força sempre Anna, nunca desista pois você é maior que tudo isso!
      beijos
      Poliana

      Responder
  24. Olá Poliana, meu nome é Maíra estou fazendo um documentário jornalistico sobre as pessoas que tem o hábito de cometer o auto flagelo, e que muitas vezes lutam para vencer isso. Gostei muito da sua história, por isso gostaria de saber se você poderia participar do meu documentário, contando a sua história de vida. Caso sim, entre em contato por favor. Obrigada.

    Responder
    • Oi Maíra que legal a iniciativa! acho que aqui há varias pessoas com quem vc pode contar!
      bem, como não sei de onde você é, não sei como posso lhe ajudar! Mas sim, no que precisar conte comigo!

      Responder
  25. Sei o que passa. pois passo o maesmo. Pensei em abrir um blog, mas escrever não me alivia. Tentei de tudo, fumar, beber, escrever, chorar.. Mas no fiim, quando a dor é maioor, me corto. Hoje estou ecsrevendo aqui à base de vodka. Por isso talvez estou meio embaraçada na escripta, estou tentando corrigir. Fumar até me aliviou, mas é um alivio passageiro. Me enbebedar … acordo toda cortada do mesmo jeiito.. pois quando acaba o porre me desespero, me corto e durmo. Hoje carrego cicatrizes que não são tão facieis de ver, mas alguns ainda veeem. Confesso estou cheia de sangue e não penso em parar por hoje. Confessar isto aqui ee em qualuer lugar é dificil para mim, é o mesmoq qye addimitir minhas fraquezas,e confessoq ue não gosto diisso. Não tenho dificuldade de me relacionar, ou me sinto culpadad pelas coisas que acontecem a minha volta,, acho que simplesmente não sei lidar com minha propria dor. prefiro a dor fisica, do que a mental. Me assuto comigo mesma. Pois cada vez os motuivos me parecem mais futeis, quando saio dos trase que a bebida e os corte sme trazzem. Não vejo isso como algo tão negativo. Mas cofesso, tenho verginha de mostrar cada cicatriz, mesmo que cada uma signifique um momento vivido e superado. Meu namorado, coitado, sabe e sofri comigo a dor de cada corte. Só com ele me abro, uma vez que miha familia einda não descobriu, pois como muitos tenho pernas, barriga e braços cortados, tudo que da para esconder, fora as orelhas, mas é algo imperceptivel.. apesar de saber que meu namorado me acha superrr idiota, e saber que ele não entende, apenas tenta me proteger. Espero sinceramente que as pessoas não compreendam oq ue sinto, pois soó quem passa.. sabe o que é. Apesar de desbafar sobre tudo com ele, sinto pena pois não deveria estar ao meu lado. Mas como diz o mesmo.. quando vsitas, hajo como se fossem cicatrizes de guerra.. como abstaculos qe venci. De certa forma sãp. Não penso em parar, posi hoje não enconytrei forças suficientes para isso. A dor me alivia e as cicatrizes formam quem sou. Mas desejo de todo coração que consiga se livrar, não desse vicio, mas desse refugio e que seja muito feliz, encontrando algo melhor paras se refugiar

    Responder
  26. hoje amanheci péssima alem de ter dormido mal ,tive pesadelos com inclusive dores ,acordei com um susto ….mas já faz uns dias k estou melancólica chorando a toa , ando na rua com os olhos todo tempo cheios de lagrimas fico disfarçando meu humor com meus amigos inclusive meu namorado.Nos braços dele choro choro e choro ele não sabe o k fazer pelo menos ele me aguenta , moro longe de minha família faço faculdade em outra cidade mas nõ são esses motivos k me fazem chorar e me coratr faziam uns sete meses k eu não me machucava , hoje eu ia flagelar meu braço ainda fiz dois cortes mas lembrei k semana k vem vou pra csa e com certeza minha mãe ia ver então machquei minha cocha pra não ser muito visivel .Estou escrevendo isso nõa sei nem por k estou com olhos cheios de lagrimas com medo, anciedade,nervosismo, estou meio k tremendo com boca seca,ai as vezes penso estou ak a toa qual o objetivo dos seres humanos ak na terra é tão fzio………..kria morrer…mas também tenho medo do k me espera do outro lado … tive uma base crstã então tenh medo do iferno mas nda faço pra evita-lo . espero k eu e todos venhamos conseguir sair dessa ….

    (descupem por não ter feito um comentário mais útil)

    Responder
  27. estou com medo….pois nao sei ayej aonde eu posso chegar desse jeito…desculpa nao falar mais….

    Responder
  28. Laudiene M. L. Costa

    OUVINDO OS SEGREDOS DE DEUS
    21/10/2010 por blogdaezenete

    Neste fim de semana Deus falou muito comigo sobre um texto muito conhecido, mas que as vezes nós não damos a devida importância para ele…

    “Clama a Mim e responder-te-ei, anunciar-tei coisas grandes e ocultas que não sabes.” (Jeremias 33:3)

    Se entendemos que nossa mente é totalmente limitada para compreender o propósito de Deus para nossas vidas, os desafios e lutas diárias que Ele quer nos levar a conquistar, passariamos mais tempo clamando ao Senhor do que lamentando diante das dificuldades.

    Deus quer fazer parte das pequenas coisas em nossa vida. Ele quer nos ensinar a fazer as escolhas certas, a discernir os planos do inimigo contra nossas vidas, nossa família e ministério.

    O clamor é mais do que uma oração simples que muitas vezes tem sido “mecanizada” por causa da nossa correria.

    Clamar é parar e se render diante do Senhor reconhecendo nossa necessidade e dependência total dEle.

    O texto diz que quando nós clamamos, ele responde o nosso clamor e compartilha conosco segredos.

    A Palavra de Deus diz em Amós 3:7 que…”Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.”

    Somente o Senhor tem o poder de nos dar as armas espirituais específicas para enfrentarmos o nosso inimigo que em todo o tempo não desiste de se opor ao plano de Deus em nossas vidas.

    Quando estamos distantes de Deus, somos assolados pela opressão, pela tristeza, pelo desânimo, pois caminhando assim, não teremos forças para reagir e resistir o inimigo.

    No clamor, nosso coração é quebrantado, nossos ouvidos ficam sensíveis para ouvir a voz do Espírito Santo e nossos olhos espirituais são abertos.

    Os segredos que Deus quer revelar a nós diz respeito as nossas vidas, ao propósito que Ele tem e deseja cumprir em nós e através de nós para fazermos diferença na nossa cidade, país e nas nações.

    Se você deseja saber mais sobre este assunto, sobre Intercessão, participe do Seminário de Intercessão que teremos no próximo fim de semana em Nova Iguaçu.

    Informe-se pelo telefone: Tel (21) 2669-5757

    Que Deus te abençoe

    Responder
  29. ola paolina…

    bom,assim como vc começei aos13 anos a auto me fragelar…
    isso aconteceu pois tive uma discussão terrível com meu pai,logo apos ke ele saiu para trabalhar fui ao banheiro e peguei uma gilette e começei a me cortar,me senti bem após provocar-me cortes,e prossegui com isso.hoje tenho 16 anos e continuo com isso,quero parar mais não consigo,sempre ke alguem me magoa faço isso…ninguem sab disso pois aki é um lugar frio sempre,uso roupas de manga cumprida,queria quee você entrasse em contato para nos conversarmos sobre isso,queria tanto compartilhar isso com alguem que tenha o mesmo problema que eu.bjs

    Responder
  30. tenho o mesmo vício, geralmente n uso facas, pois elas n me satisfazem, sempre me ajudava a passar, usar os dentes, me morder e sentir dakele jeito, me satisfazia… consegui fikar uns 3 meses sem fazer nada, até hj.. realmente, concordo qnd mencionou q qnt maior a dor emocional, maior a dor física é necessária. Tenho 16 anos, tenho um primo com 14 q sabe desse meu problema, mas o pior de tudo é que ele me copia em praticamente td, agra ele tb tm esse vício, meu namorado tb e agra meu irmão tb, mas só meu primo foi influenciado por mim, meus pais n sabem de nenhum de nós, talvez até saibam d meu irmão[que tm 12 anos], mas n falam nd pois axam q é fase, como vamos receber apoio de pessoas q n entendem isso?? meo pai por exemplo, n apoia psicologos, pois ele acredita q eles na vdd n fazem nd, só ganham pra fla ca pessoa, coisa q tds podem fazer, ele é mto cabeça dura. D=
    Pra mim tanto faz onde eu me maxuqe, se algm ver, qnd é no rosto, sempre do a disculpa d q era uma espinha q tirei, qnd n é, flo q cocei ou sei lah. Meu irmão se unha e se bate com cadernos. meu primo usa tesoura q leva pra escola. Jah tntei escrever, pois escrever musicas, poemas e textos q viessem em minha cabeça sempre me ajudaram a me acalmar, mas agora, td q me vem na cabeça é me cortar, me morder, me arranhar, etc. sei q um dia ainda vo acabar me matando, + n consigo parar, qnt mais tmpo fiko sem me mutilar, qnd volto a fazr isso, preciso usar + força, cada vez sempre pior. Sei q da para parar, tda vez q procuro um motivo para parar, penso em td, nas amigas q tenho [falsas], meu irmão [meio retardado; mas axo q isso é culpa minha, jah q qnd éramos peqenos derrubei uma janela antiga na cabeça dele], jah pensei q meu primo me copiando era um bom motivo, pois se eu parasse, ele tb podia acabar parando, mas sempre lembro q ele começo por minha causa… Pelo namorado, nem adianta, um dia acaba e volta td… Olho o mundo em que vivo, cheio d preconceito e incompreensão, n consigo parar.
    Isso é como uma maldição, ou uma praga q me segue, sempre q axo q me livrei disso, td volta!
    Acho que o bullying ajudou a agravar td isso, sei lah. N sei pq continuo procurando algo para culpar o início disso, acho q assim posso tentar mudar, mas jah estou desistindo de td, As vezes paro e penso.. vivemos para morrer, então pq n adiantar essa espera agoniante?! Não quero q ninguém entre nessa, que fique bem claro, que isso como vc mesma disse: Não É Modinha! Nunca foi! pense: se pular duma ponte virasse moda, vc pularia?? Pensou se tds pulassem? o mundo acabava. Isso é como fumar, se vc tnta parar aos poucos, vc NUNCA para, tm q parar de uma vez!! + n consigo, qm sabe um dia.. ants tarde doq nunca nééh! Pois é, só espero q o meu tarde n seja mto extremo. Jah q minha vida me lembra o Lago Dos Cisnes; pra qm n sabe é uma história [balé] em q a cisne branca tm uma irmã mal[a cisne negra] q acaba roubando td da branca, inclusive seu principe; bom, mas o q importa é q no fim, a cisne branca morre! N devo estar mto longe disso!

    Peço a tds q lerem: N entrem nessa, ou se estão, façam o impossível para sair, pois sei q é MTO deprimente, me sinto como um animal irracional. =\

    boom, é isso, foi bom desabafar. ;D

    Responder
  31. Cara realmente triste,Eu tenho 16 anos e sofro de uma terrivel mania de se olhar nos espelho.Confesso eu me acho super bonito,mais por dentro,dentro da minha alma,nao me amo,não me respeito.

    Responder
  32. Eu tenho 14 anos, eu ja fiz isso varias veses, e tudo é um motivo pra mim, briga com pais, notas ruins na escola, discutir com amigas, culpa de algo, quando algo que eu planejo sai errado, qualquer coisinha é um motivo. Meus pais ja perceberam algumas marcas em meu corpo, mais eu sempre arranjo uma desculpa e eles acreditam, aos poucos estou parando com isso, tento pensar em outra coisa, falo com minhas amgs, acho outra coisa pra me concentrar, as veses eu penso que nao vale a pena que nao adiataria de nada eu me machucar fisicamente se akilo ainda vai ficar na minha cabeça, mais depois eu me vejo la sangrando, chorando, com uma faca, uma gilete qualquer coisa que vier na minha frente, ja contei isso pra tres pessoas e duas me apoiaram, a outra no começo nao levou a serio, ate que ela viu, ao chegar na minha casa eu estava deitada na cozinha com uma gilete na mao e a perna com 3 cortes, ela ficou chocada no momento, e depois quando pecerbi nem falava mais comigo direito ela preferiu se afastar. Hoje estou 5 meses sem fazer isso, nao por falta de motivos, porq sempre tem, mais em pensar que isso nao me faz bem, isso ja estava virando abto, antes eu procurava motivo pra me auto – flagelar, e nossaaa, eu me sentia pessima depois, isso ocorria semanalmente, e alem das tentativas de se matar. Hoje eu me sento otima em desabafar com minhas amgs em vez de desabafar com meu corpo, claruh que nao foi facil, elas sempre me apoiaram e encitivaram a eu parar. Hoje eu ajudo uma menina, que so tem 12 anos, ela asta parando. Eu nao aconselho isso nem ao meu proprio inimigo. E desejo a todos com esse vicio que parem, eu sei que nao é facil mais com muita força de vontade é possivel .

    Responder
    • Boa Ray! também estou a cerca de 5 meses sem me cortar, motivos tenho tido até de sobra, mas procuro ter controle, as marcas que tenho já me causam transtornos, preconceitos, é dificil demais, eu luto com isso a mais de 12 anos, e hoje eu sei que mais do que tudo no mundo eu quero e parar!

      Eu mereço e quero isso!

      Siga em frente sempre, e se puder ajudar a outros, isso lhe fará muito bem!

      Parabéns, siga forte!

      Responder
  33. Tenho uma entiada de 14 anos que estar com o mesmo problema seu, uma jovem linda, vaidosa. Espero que essa fase passe logo, estamos levando ela a um psicologo.

    Responder
    • Boa sorte patrícia, espero que seja uma fase, mas busquem saber o porque, há ainda, infelizmente, jovens que comentem este ato horrendo consigo, por influências de “amigos”, busquem a causa e mantenham a mente aberta!

      Desejo o melhor a vocês!

      Responder
  34. É a 1º vez que escrevo sobre isso, diferente de muitos d vcs eu não me corto, e ume queimo com faca quente, antes fazia só uns risquinhos. Mas da ultima vez foi “diferente” as queimaduras no meu pulso ficaram muito visiveis e só me dei conta do quanto a faca estava quente no dia seguinte, foi terrivel ver meus amigos se compadecendo de mim ao verem a queimadura.Cherei muito não por ter machucado e sim pelas pessoas terem visto, não sei se vou conseguir mas não quero mais fazer isto.
    A algumas semanas esfreguei o punho na parede até sangrar, e me dei conta do tamanho do meu problema. Tentei substiuti o “metodo” e ao olhar pros ferimentos me dei conta de que só quem pode aliviar a minha dor sou EU mesma, afinal de contas, quem provoca ou provocava os machucados sou(era) EU.

    Responder
  35. Querida, boa tarde!
    Hoje li seu relato, em busca de resposta. Ao visitar minha irmão ela disse passou a madrugada conversando com sua filha de 13 anos que se cortou pela 2ª vez.
    Li seu artigo em primeiro lugar para saber o sentimento que esta envolvido no depoimento de alguém que faz isso, aprendi e chorei com seus relatos, sou cristã e vou estar orando por você, não se acredita em Deus , mas ele rege e ilumina a minha vida, desde os treze anos, logo na adolescência descobri um versículo assim: ” Todas as coisas me são licitas, mas nem tudo me convém. Todas as coisas me são licitas , mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas.” Não e fácil não se envolver ou dominar por situações ou problemas, mas a cada dia eu peço a Deus que me de forças, para escolher bem e não me iludir, as vezes sou forte, as vezes fraca, mas quando me entrego firmemente a Deus consigo forças para recuar. Vou orar por você e clamar a Deus que te faça forte.
    Minha sobrinha esta iniciando e vamos ajuda-la , com você pude entender um pouco sobre as angustias, obrigada por expor o que você sente e me permitir entender.
    Marcia

    Responder
  36. Silvia Schmidt

    Olá. Li seu artigo e todos os comentários. É muito triste. Vc melhorou depois que começou a escrever, pôr pra fora?? Alguma coisa que sua mãe fez melhorou ou piorou? Minha filha de 15 anos se auto flagela. Descobri há 2 meses e buscamos ajuda de psicóloga, psiquiatra, hebeatra. Ela está medicada, mas não consegue se controlar. Ela disse que começou no final do ano passado devido aos problemas em casa, separação minha e do pai dela e outros problemas que enfrentamos. Não sei como ajudá-la, parece que tudo que faço está errado. Ela diz que eu não entendo e acredito que não entendo mesmo. Vc pode me dizer o que vc gostaria que sua mãe fizesse ou que ela fez pra melhorar, amenizar ou apenas ajudar? Ja li várias coisas a respeito e falam muito que os pais qdo descobrem “colam” na pessoa, foi o que fiz na minha filha. Procuro dar atenção, carinho, apoio, mas sinto que ainda é pouco ou pior. Ela é muito tímida, tem uma baixa estima acentuada, agora começou a atingir a escola, as notas caíram e ela se cortou de novo por causa das notas. Se afastou dos amigos, como a maioria. Como podemos ajuda-los?? Como ajudar pessoas como vcs? Vou rezar pra vc e se tiver alguma coisa que eu possa fazer pra te ajudar também, meu email está abaixo. Obrigada e fica com Deus.

    Responder
    • Silva, tudo bem!

      Minha mãe sempre me ajudou muito… Fora o blog, eu tive um diário, tentava escrever todos os dias, e quando me sentia muito mau, eu escrevia, poemas, textos, qualquer coisa que me ajudasse a sei lá distrair.

      Minha mãe não me julgou, apenas tentou buscar saber o porque, conversou comigo, meus parentes tentam não me deixar sozinhas quando vêem que estou meio pra baixo, para não correr o risco, claro que o excesso de desconfiança as vezes me incomoda.

      Fé? Ajuda sim! E muito, até tratamento espiritual eu fiz e vou dizer, me ajudou, vai da crença de cada um.. Mas terapia, para ela, ajudaria muito, muito mesmo!

      Responder
  37. Olá. Li seu artigo e todos os comentários. É muito triste. Vc melhorou depois que começou a escrever, pôr pra fora?? Alguma coisa que sua mãe fez melhorou ou piorou? Minha filha de 15 anos se auto flagela. Descobri há 2 meses e buscamos ajuda de psicóloga, psiquiatra, hebeatra. Ela está medicada, mas não consegue se controlar. Ela disse que começou no final do ano passado devido aos problemas em casa, separação minha e do pai dela e outros problemas que enfrentamos. Não sei como ajudá-la, parece que tudo que faço está errado. Ela diz que eu não entendo e acredito que não entendo mesmo. Vc pode me dizer o que vc gostaria que sua mãe fizesse ou que ela fez pra melhorar, amenizar ou apenas ajudar? Ja li várias coisas a respeito e falam muito que os pais qdo descobrem “colam” na pessoa, foi o que fiz na minha filha. Procuro dar atenção, carinho, apoio, mas sinto que ainda é pouco ou pior. Ela é muito tímida, tem uma baixa estima acentuada, agora começou a atingir a escola, as notas caíram e ela se cortou de novo por causa das notas. Se afastou dos amigos, como a maioria. Como podemos ajuda-los?? Como ajudar pessoas como vcs? Vou rezar pra vc e se tiver alguma coisa que eu possa fazer pra te ajudar também, meu email está abaixo. Obrigada e fica com Deus.

    Responder
  38. Olá. Li seu artigo e todos os comentários. É muito triste. Vc melhorou depois que começou a escrever, pôr pra fora?? Alguma coisa que sua mãe fez melhorou ou piorou? Minha filha de 15 anos se auto flagela. Descobri há 2 meses e buscamos ajuda de psicóloga, psiquiatra, hebeatra. Ela está medicada, mas não consegue se controlar. Ela disse que começou no final do ano passado devido aos problemas em casa, separação minha e do pai dela e outros problemas que enfrentamos. Não sei como ajudá-la, parece que tudo que faço está errado. Ela diz que eu não entendo e acredito que não entendo mesmo. Vc pode me dizer o que vc gostaria que sua mãe fizesse ou que ela fez pra melhorar, amenizar ou apenas ajudar? Ja li várias coisas a respeito e falam muito que os pais qdo descobrem “colam” na pessoa, foi o que fiz na minha filha. Procuro dar atenção, carinho, apoio, mas sinto que ainda é pouco ou pior. Ela é muito tímida, tem uma baixa estima acentuada, agora começou a atingir a escola, as notas caíram e ela se cortou de novo por causa das notas. Se afastou dos amigos, como a maioria. Como podemos ajuda-los?? Vou rezar pra vc e se tiver alguma coisa que eu possa fazer pra te ajudar também, meu email está abaixo. Obrigada e fica com Deus.

    Responder
  39. Olá, eu passo pelo mesmo problema desde os 14 anos, hoje tenho 26 e estou passando por uma tremenda crise a cerca de 2 anos. Minha mãe fala que devo agir como homem perante os problemas, mas ela não está dentro de mim para saber como é essa dor. Tento ter forças para não chegar ao ponto de tirar minha vida por causa dela, pois sei que seria um sofrimento absurdo para ela. Eu sei que essa dor que sentimos vem e volta com o tempo, mas às vezes a intensidade é tanta que chega a ser quase insuportável. Já me cortei, já me queimei e uma certa vez, para não atirar na própria cabeça, atirei contra a minha mão. O que me deixou meses internado e me custou diversas cirurgias para reparar os danos causados pelo projétil.
    Não tenho ninguém com que eu possa conversar abertamente sobre isso, pois como você mesma disse, “muitos não nos compreendem”. Já tentei terapias mas, sinceramente, não me ajudaram em muita coisa a não ser com os remédios. Esta crise atual que estou passando esta muito difícil para mim! Tento não perder o restinho de Fé em Deus que ainda me resta. Pois, no mais, já perdi muita coisa, a maioria delas, eu sei, que por minha própria culpa. O mais “engraçado” dessa história é que quem mais me dava forças para superar tudo isso, era a minha namorada. Esta me abandonou logo depois que este problema começou. O que me deixou pior e mais fraco ainda, pois era nela que eu buscava forças, carinho, colo, etc. Mas a vida para nós incompreendidos é assim! Enquanto posso, tento lutar contra tudo isso sozinho. E tento conviver com as cicatrizes do corpo e as da alma. Que Deus nos abençoe e nos dê forças para superar esse problema. Pois se continuarmos só conseguiremos mais cicatrizes, senão a morte.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: