RSS Feed

Justine – Amor Fraternal

A páscoa está chegando e com ela a reunião de família, seu primo Mario, enviou um e-mail avisando sobre a chegada.

Mario e Justine passaram parte de sua infância juntos, como ambos moraram no interior quando criança, foram criados juntos, como irmãos. Ela nunca pensou nele como homem, e sim como o irmão que nunca teve. Porém, com a troca de orkut, Justine já não podia pensar assim, ao ver o álbum do primo ela ficou incrivelmente excitada por notar que o rapaz franzino hoje era um homem forte e sedutor.

Como ele iria ficar em sua casa e melhor, dividindo o mesmo quarto, ela só pensava como iria fisgá-lo.

Dois dias depois, chega Mario, alto, branco, olhos esverdeados, cabelos castanhos, pele de neném. Ao vê-lo na rodoviária, Justine sentiu sua calcinha molhar. Dez anos sem se ver fez muita diferença. Ela com 21 anos e ele com 25. Quando crianças isso não parecia fazer diferença.

Ao vê-la Mario não reconheceu, porém, sem perder tempo, Justine correu ao seu encontro e gritando:

– Marinho!

Ele espantado, sorri e abre os braços.

– Juju, minha princesinha!

E ela salta em seus braços.

– Marinho, que saudades, como você está alto.

– Eu quem digo você se tornou um mulherão minha irmãzinha.

Irmãzinha? Isto não fez Justine sorrir, aliais, ela esboçou um sorriso sem graça e amarelo.

– É o tempo passa né!

– E como passa, senti sua falta, não acredito que ficamos tanto tempo sem nos falar.

– Bem, você estava estudando… Ah! Vamos conversar em casa, pega tua mala que vou buscar meu carro, fique aqui me esperando.

– Ok princesa!

No caminho do carro, Justine ficou inquieta, a palavra “irmãzinha” martelava em sua cabeça e disse a si mesma:

– Irmãzinha é?! Ele verá do que esta irmãzinha é capaz!

Ela pegou o carro, encontrou o primo e seguiram para casa. Para não perder tempo, ela subiu um pouco sua saia ao sentar no banco deixando boa parte das coxas à mostra. Mario não parecia prestar atenção, ele só falava e falava de estudos, da formatura, da família, do trabalho, até que Justine o interrompeu.

– E as namoradas?

– Depois do meu noivado, eu não consegui me relacionar com mais ninguém.

– Noivado?! Mas como? Porque não nos avisou?

– A Juju, foi tudo tão de repente, porém, como viu, não deu certo, mas foi melhor assim. Eu acho que foi.

– É não sei o motivo, mas se você está falando, eu concordo. Deve ter sido.

– Bem, o que passou, passou! E você, namorando?

– Não, e para falar a verdade, nem sei se quero. Estou vivendo um momento de descobertas, uma relação poderia me privar de coisas que não sei se quero.

– Danadinha, o que anda aprontando?

– Nada demais, ao menos eu acho.

– Agora fiquei até curioso.

– Bem, chegamos, é aqui.

– Mario, como você cresceu meu filho – disse Maria.

– Titia, a senhora está gatona como sempre, igual à mamãe não mudou nada.

– Obrigada meu filho! Vamos, entre.

– Sim meu rapaz, entre, Justine vai levá-lo até o quarto – disse Carlo.

– Obrigado por me acolherem tio, eu tenho uma entrevista de emprego logo após a páscoa.

– Que isso meu filho, você é de casa. Sinta-se a vontade.

– Valeu tio.

– Vem Mario, te mostro onde irá ficar.

– Certo!

Então Mario seguiu Justine pelos corredores, e ao atravessar a porta se deparou com o quarto da prima.

– Bem primo, você terá de dividir o quarto comigo se não se importar.

– Não, não. Tudo bem!

– Mesmo? É que nossa casa está reformando e no quarto de visitas ficou uma montoeira de coisas.

– Relaxa, será como nos velhos tempos. Assim podemos colocar a conversa em dia.

– Sim, sim, mas agora você vai descansar, aqui está sua toalha e o banheiro fica no meu quarto mesmo, na ultima porta do guarda-roupa.

– Valeu prima!

– Depois conversamos mais.

Três horas depois, Justine entra no quarto, pé ante pé e vai até seu banheiro para uma ducha. Ao ver Mario deitado em sua cama, dormindo como um anjo, excitada cada vez mais, aproxima sua boca da dele, sente a respiração e se afasta. Pega uma toalha e vai para o banheiro se masturbar com a porta entre aberta.

Imaginar que Mario irá acordar a qualquer momento e pega-la no flagra, fez ela ter um orgasmo fortíssimo soltando um ruído. Nisto escuta Mario levantar e então ela corre para o box de blindex escuro e liga o chuveiro, ele como bom curioso que sempre foi, abriu vagarosamente a porta e espiou Justine no banho, assim pode notar suas novas curvas, e se surpreendeu ao ver o pau enrijecido pela priminha.

Depois do banho, ela saiu enrolada apenas em uma toalha e Mario estava sentado em sua cama olhando a mala.

– Oh prima, você estava ai? Porque não me acordou pra eu sair do teu quarto?

– Você estava dormindo tão profundamente que não quis acordá-lo.

– Bem, deixe-me sair para você se trocar.

– Não precisa, eu pego a roupa e me troco no banheiro.

Ela abre o guarda-roupa, e pega de uma de suas gavetas, uma lingerie de renda preta, uma mini saia e uma baby look.

– Já volto aqui primo. Vi que não tomou banho, já libero o banheiro pra você.

– Relaxa, esta tudo bem.

Ao ver aquela lingerie, Mario ficou mais excitado ainda. Sua priminha havia crescido, e pelo que notou até o momento, era uma garota muito fogosa.

Depois de tomar banho e jantar, Justine chamou o primo para ver tv no quarto e conversarem sobre o tempo que perderam sem se ver.

– Primo, se importa de dormir no chão?

– Não claro que não.

– Mas se quiser dormir na cama junto comigo, eu não me importo.

As pernas dele tremeram e seu rosto ficou rubro. Ao perceber, Justine diz:

– Ora querido, não precisa ficar envergonhado por ter uma prima tarada.

– Tarada? Como assim?

Justine sorriu de forma provocante e disse:

– Ah querido, eu cresci! – riu.

– Eu sei, e como cresceu…

Ela pegou debaixo do travesseiro uma camisola e foi para o banheiro.

– Vou me trocar, já volto. Pode vestir seu pijama, quando eu voltar agente escolhe um filme.

Quando ela voltou, ele ficou mais uma vez vermelho, ela estava com uma camisolinha rosa transparente e de pantufas, uma perfeita ninfeta.

– E então vamos ver qual filme – disse ela.

– Não sei, você decide.

– Que tal algum da Belladonna? Você gosta?

– Menina se ta loca? Pornô?

– Ah primo, fala serio! Você já esta bem grandinho pra ficar impressionado com tais coisas. Melhor se acostumar com minhas atitudes.

– Seus pais sabem que você virou esta menina fogosa.

– E deveriam? O que faço entre quatro paredes é problema apenas meu. Estas coisas eles não precisam saber, você não concorda?

– Sim… Mas…

– Mas nada! Espera um segundo.

Justine vai até a porta e grita para a mãe:

– MAMÃE, NÓS VAMOS DORMIR!

E ela grita da cozinha:

– ESTÁ BEM QUERIDA! BOA NOITE FILHA! BOA NOITE MARIO!

– BOA NOITE TITIA E TITIO!

– Bem, melhor eu trancar a porta – disse Justine.

– Por quê?

– Você quer que eles nos peguem no flagrante?

– Como?

– Vendo o filme oras – e rio maliciosamente.

– Você é louca.

– E você não viu nada.

Ela colocou um filme qualquer de sua atriz preferida e começaram a assistir. Mario se sentia constrangido vendo cenas excitantes e tendo de esconder o que sentia. Poucos minutos depois, Justine desceu de sua cama e juntou-se a Mario no colchão no chão.

– Se incomoda? Detesto ficar sozinha.

– Tudo bem.

Depois de algumas cenas picantes, Mario não consegue se controlar e demonstra sua excitação, que logo é percebida por Justine.

– Nossa, como você cresceu!

Mario permanece em silencio, louco para devorar sua priminha, porém, toda vez que pensava no assunto, lembrava da infância e de quanto se amavam como irmãos naquele tempo. Sem resistir àquele pau rijo em sua frente, Justine com a mão por debaixo dos lençóis começou a acariciá-lo.

– Justine, melhor não brincar, nós somos como irmãos.

– Mas não somos irmãos, então não há incesto algum aqui.

– Mesmo assim sempre te amei como irmã.

– Eu também, mas não nos vemos há dez anos. Nós mudamos e o que sinto por você agora é o mais puro desejo.

Depois disso Mario não resistiu, deitou sobre Justine e começou a beijá-la. Suas mãos deslizaram rapidamente sob seus seios de mamilos rijos, ela suspirava e sentia sua buceta escorrendo de tanto tesão.

– Me toca – disse ela ao pé do ouvido dele.

Ele seguindo seu desejo e instinto e penetrou com os dedos.

– Que boceta molhada. Acho que nunca vi uma boceta tão quente como a tua.

– Deixa eu te chupar, deixa eu engolir teu pau?

– Claro minha putinha, ele é todo teu.

Então Justine enfiou aquele pau grande e rijo na boca e começou a sugá-lo loucamente, como se aquele fosse seu doce predileto. Enquanto ela o chupava, ele a tocava, apertava suas nádegas e dava tapinhas de leve.

– Gosta disto cadelinha?

– Amo! Eu amo! Bate mais?!

E então ele realizou seu desejo novamente e bofeteou sua bundinha branca.

– Mete o dedinho nela?

– Você é muito safada sua gostosa.

E ela continuou a chupar loucamente e quando sentiu que ele estava muito duro implorou:

– Mete em mim? Mete na minha bocetinha, por favor!

E ele a socou ferozmente. Justine sentia vontade de berrar, mas o pai no quarto ao lado não lhe permitia isto.

– Você vai gozar pra mim putinha?

– Muito, mas só se me foder como homem.

– Então pega isto!

E com toda força ele começou a estocá-la tampando sua boca para que ninguém pudesse ouvir os gemidos.

– Sua gostosa! Sua gostosa! Quero te foder todinha – sussurrava no ouvido dela.

– Isso, fode que eu vou explodir. Mete este pau grande bem fundo em mim. Sente esta bocetinha quente. Fode, fode!

Corpos suados, gemidos baixinhos e uma explosão mútua. E então ambos dizem:

– Gozei!

Justine se levanta, vai para sua cama e da boa noite:

– Boa noite caro primo, durma com Deus e sonhe com anjos!

– Você também priminha.

Ela desligou o abajur e sentiu o cheiro de porra que estava no ar, logo depois, exaustada ela adormeceu, pensando que aquela seria a melhor páscoa da sua vida.

Continua…

About FreakButterfly

Que fique logo claro: não sou sexóloga (apesar de que gostaria muito), também não sou formada em psicologia, sou Bacharel e Adm. Com habilitação em Marketing e agora Bacharel em Jornalismo. Tenho este blog desde meados de 2008, onde comecei a escrever por mera diversão e distração do tédio e solidão que a cidade onde morava até então me proporcionava. Com o passar dos dias, o blog foi crescendo e a vontade de escrever também. Amo escrever e espero faze-lo bem! Não estou aqui para julgar, descriminar ou fazer apologia a qualquer coisa que seja, escrevo do que gosto para pessoas que gostam do mesmo que eu, e se o ofendi, sinto muito, mas basta fechar a pagina. No mais, volte sempre!

5 responses »

  1. Gostoso incesto. Adoro contos/relatos veridicos ou não de transas de irmãs
    com seus irmãos principalmente. Primas metendo com seus primos, também
    são gostosos. escreva mais con tos de incesto.

    Responder
  2. praticamente virei fã de justine

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: